Dados sobre utilizadores deste modelo
Estados Unidos da América



Aeronaves do mesmo tipo ou relacionadas:

TBD-1 «Devastator»
Bombardeiro leve / táctico
TBF «Avenger»
Bombardeiro leve / táctico

Acontecimentos relacionados
Batalha de Midway


TBD-1 «Devastator»
Bombardeiro leve / táctico (Douglas)
TBD-1 «Devastator»

Dimensões:Motores/ Potência
Comprimento: 10.69 M
Envergadura: 15.24 M
Altura: 4.59
1 x motores Pratt & Witney R-1830-61
Potência total: 900 HP/CV
Peso / Cap. carga Velocidade / Autonomia
Peso vazio: 2804 Kg
Peso máximo/descolagem: 4623 Kg
Numero de suportes p/ armas: 3
Capacidade de carga/armamento: 550 Kg
Tripulação : 2
Passageiros: a
Velocidade Maxima: 331 Km/h
Máxima(nível do mar): Não disponível
De cruzeiro: 206 Km/h
Autonomia standard /carregado : 1000 Km
Autonomia máxima / leve 1152 Km.
Altitude máxima: Não disponível


- - -

Forum de discussão

O projecto do TBD-1 Devastator, data de 1934 e o primeiro voo do avião ocorreu em 15 de Abril d 1935.
Ele foi o primeiro avião torpedeiro da marinha dos E.U.A. E era o orgulho do comando aeronaval daquele país.

As suas linhas modernas eram no entanto enganadoras. A aeronave era submotorizada e a sua velocidade máxima era inadequada mesmo no final dos anos 30, quando os americanos não tinham conhecimento das características dos novos caças da marinha japonesa.

A tripulação era constituida por três, piloto, assistente de bombardeiro e operador de rádio e de metralhadora, colocados em fila e protegidos por uma carlinga extremamente longa.

A marinha norte-americana colocou uma encomenda para 114 exemplares em 3 de Fevereiro de 1936.
Entre outras vantagens deste modelo estava a de ele poder ser utilizado como bombardeiro de voo picado, além de poder ser utilizado como torpedeiro, dado estar preparado para transportar um torpedo de 450kg para atacar navios inimigos.

As entregas começaram no dia 5 de Outubro de 1937 e a primeira unidade operacional estava ao serviço no porta-aviões Saratoga.

Uma encomenda adicional foi colocada para mais 15 exemplares, no entanto acidentes ocorridos ainda antes de os Estados Unidos terem entrado na guerra foram responsáveis pela perda de pelo menos 30 aeronaves.

Este pequeno avião suportou parte do esforço naval dos E.U.A. Durante os primeiros meses da guerra em 1942
Quando começou a guerra a marinha americana tinha menos de 100 destes aviões disponíveis mas apenas 69 estavam em condições de combater.

A primeira ação ocorreu a 10 de Janeiro de 1942 contra um submarino japones, que escapou com danos ligeiros.

Os Devastator eram supostamente os mais adequados aviões que os americanos tinham para deter a poderosa marinha do Japão e estes aviões foram divididos entre os porta-aviões americanos no Pacífico.

Após a batalha de Midway, o Devastator foi tremendamente criticado por causa do grande número de perdas durante a batalha. A retirada de serviço no entanto resultou de na prática já não haver mais Devastator disponíveis para equipar os porta-aviões.

Dos 41 Devastator que a marinha tinha a bordo dos porta-aviões, 36 foram destruidos em ataques inuteis contra os navios japoneses, onde pela sua exasperante lentidão foram alvos fáceis dos aviões japoneses e da artilharia antiaérea.

Ele foi subsituido pelo muito mais capaz Grumman TBF «Avenger»

Informação genérica:
A partir de 1934 a marinha dos Estados Unidos optou por aeronaves monoplano, abandonando as aeronaves na configuração biplano, afastando-se de uma doutrina que ainda vigorava na Grã Bretanha.

Devastator
O primeiro avião torpedeiro da marinha dos Estados Unidos na configuração monoplano.
Grande parde das aeronaves perdeu-se nos primeiros meses da guerra.

TBF Avenger

-

   
---