Dados sobre utilizadores deste modelo
III Reich / Alemanha

Aeronaves do mesmo tipo ou relacionadas:

Fw.190A-2 «Anton»
Avião de caça
Fw.190G-3 «Jabo»
Caça bombardeiro
Fw.190A-8
Caça interceptor
Fw.190F-3
Caça bombardeiro
Fw.190D «Dora»
Avião de caça
Ta.152H
Caça interceptor

Fw.190A-2 «Anton»
Avião de caça (Focke Wulf)
Fw.190A-2 «Anton»

Dimensões:Motores/ Potência
Comprimento: 8.96 M
Envergadura: 10.5 M
Altura: 3.96
1 x motores BMW-801C-2
Potência total: 1600 HP/CV
Peso / Cap. carga Velocidade / Autonomia
Peso vazio: 3470 Kg
Peso máximo/descolagem: 4900 Kg
Numero de suportes p/ armas: 0
Capacidade de carga/armamento: Kg
Tripulação : 1
Passageiros: a
Velocidade Maxima: 657 Km/h
Máxima(nível do mar): Não disponível
De cruzeiro: 0 Km/h
Autonomia standard /carregado : 1000 Km
Autonomia máxima / leve 1600 Km.
Altitude máxima: 10300 Metros


- - -

Canhões / Metralhadoras
- 2 x 20mm MG FF (Calibre: 20 ) - 4 x 7.9mm MG-15 / MG-17 (Calibre: 7.9 )

Forum de discussão

O Fw.190A-2 representa as primeiras séries do modelo Fw.190. Ele começou a ser produzido no inicio de 1941, como parte de uma primeira encomenda para 100 unidades. Foram inicialmente entregues 40 unidades durante os primeiros seis meses de 1941.

Os primeiros aviões foram fornecidos com quatro metralhadoras 7,9mm que disparavam por entre as hélices, utilizando um dispositivo de sincronização. No entanto foram consideradas insuficientes, pois o objectivo era instalar quatro canhões de 20mm.

Os testes iniciais do avião realizados em Le Bourget em França (em condições típicas de utilização normal) foram descritos como catastróficos, pois o Fw.190 foi afectado por graves problemas de sobreaquecimento do motor radial da BMW que levaram a que o cancelamento da produção do avião chegasse a ser sériamente considerado.

Foi necessário esperar por um entendimento entre a Focke Wulf e a BMW para que fossem introduzidas várias alterações à aeronave para que esta pudesse então ser aceite pela Luftwaffe.

O Fw-190 começou a efectuar operações contra a Inglaterra a partir do final de Julho de 1941, mas muito poucas aeronaves estavam disponíveis. O primeiro recontro com caças ingleses só ocorreu em Setembro desse ano.

O Fw-190 mostrou ser superior ao Spitfire Mk.V que os britânicos tinham colocado em serviço apenas alguns meses antes. O caça britânico superiorizava-se apenas num quesito: Podia fazer uma curva em menos espaço.

No entanto os alemães não puderam aproveitar a vantagem, porque as primeiras séries do Fw-190 tinham uma taxa de disponibilidade muito reduzida, com a maior parte das aeronaves em reparações, principalmente por causa dos problemas de sobreaquecimento.

Na frente leste, para onde também foram enviados alguns Fw-190 os problemas se somaram. Curiosamente, nas condições climatéricas da Rússia, o sobreaquecimento não era exactamente um problema, mas o caça acabou por ser rejeitado para operação naquele teatro de operações por causa dos múltiplos problemas com o motor.

São dois os modelos que podemos considerar nas primeiras séries:
A designação Fw.190A-0 é dada aos modelos de Pré produção. Os primeiros modelos de produção receberam a designação Fw.190A-1 e foram fabricados 102 exemplares.

Logo que terminou a produção da primeira encomenda, em Outubro de 1941, entrou em fabrico a série Fw.190A-2, de que seriam produzidos 426 exemplares. A aeronave estava equipada com o motor 801C-2 e as entregas começaram ainda em Novembro de 1941.

Na Primavera de 1942 foi a vez de começarem as entregas do Fw-190A-3 equipado com o motor BMW-801D-2 de 1700cv. É num destes aviões que se testa pela primeira vez a capacidade do Fw-190 para operar como caça bombardeiro. Foram produzidos cerca de 500 exemplares desta aeronave.

No final de 1942 começou a ser fabricado o Fw-190A-4, que se destinou especialmente a operações de ataque na frente ocidental. Esta caça-bombardeiro efectuaria operações de ataque e fuga, sendo equipado com um sistema auxiliar de propulsão que lhe permitia escapar com maior facilidade em caso de necessidade.

O Fw-190A-5 começou a ser entregue a partir de Abril de 1943. Este modelo era ligeiramente mais longo e tinha um compartimento para o motor ligeiramente maior. Os Fw-190A-5 foram produzidos em quatro distintas séries:
U-2 - (Ataque nocturno); U-3 - (Caça bombardeiro); U-4 - (Reconhecimento aéreo); U-5 - (Caça bombardeiro de maior alcance)

Informação genérica:
As aeronaves do tipo Fw.190 começaram a ser desenvolvidas em meados dos anos 30 e o Fw.190 era apresentado como um possível sucessor do Me.109 a aeronave preferida dos governantes da Alemanha hitleriana.
Pensado como caça de superioridade aérea, o Fw.190 era um avião mais adequado para a defesa da Alemanha de potênciais ataques de bombardeiros inimigos.

Como a estratégia delineada pelos dirigentes alemães, previa guerras muito curtas e vitórias esmagadoras, a possibilidade de um conflito longo, que desse a um potencial inimigo o tempo necessário para organizar ataques contra a Alemanha não era considerada realista. Para os dirigentes nazis, não haveria sequer tempo suficiente para desenvolver o aparelho, pois qualquer guerra acabaria sempre muito antes de o Fw-190 ficar pronto para utilização operacional.

Estes factores levaram a que a equipa de desenvolvimento fosse desacreditada e por isso consideraram o projecto apresentado por Kurt Tank (engenheiro da Albatros que passou a dirigir os desenvolvimentos de novos aviões na Fock Wulf no inicio dos anos 30) como «projecto de baixa prioridade».

A construção de três protótipos do Fw.190 só foi aprovada em meados de 1938, segundo o conceito de «segundo ferro no forno» ou uma forma de dizer que era uma segunda opção militar «para utilizar em caso de necessidade».
O avião seria movido pelo motor BMW-139, um motor radial de 18 cilindros refrigerado a ar, que seria ainda na fase de produção dos protótipos substituido pelo BMW-801

O desenvolvimento foi lento e teve como objectivo produzir uma aeronave que pudesse resistir ao fogo inimigo, que fosse de fácil manutenção e que pudesse ser construido por módulos em fábricas espalhadas pelo país.

O entusiasmo de Herman Goering, chefe da Luftwaffe levou no entanto a que fosse colocada uma encomenda já em 1940 para 18 aeronaves de pré produção e a uma encomenda de 100 aeronaves de produção Nascia o Fw-190A.

Os problemas enfrentados pela Luftwaffe no final de 1940 e início de 1941 durante a batalha de Inglaterra e a invasão da Rússia em Junho de 1941 levaram a que o caça que os dirigentes alemães achavam que nunca seria necessário passou a ser prioritário pois era necessário para a defesa do Reich contra os bombardeiros britânicos e ainda durante 1941 as fábricas da AGO e da ARADO receberam ordens para também fabricar a aeronave.



Distinguem-se principalmente as seguintes versões:

Fw.190A
A principal versão, destinada a ser um caça interceptor, capaz de perseguir e destruir as aeronaves pesadas que atacassem a Alemanha e a garantir a superioridade sobre as aeronaves britânicas como o Spitfire, que eram mais manobráveis.
Ele evoluiu da versão de pré-producção Fw.190A-0, até à sua última versão a Fw.190A-8, tendo como base o motor BMW 801D.
A produção das versões equipadas com o motor 801D foi a seguinte:

Fw.190A-3: 509 unidades produzidas entre 1942 e 1943
Fw.190A-4: 894 unidade produzidas.
Fw.190A-5: 723 unidades produzidas. Modelo idêntico ao A-4, mas com pequenas diferenças nos apoios do motor que foram alongados para recolocar o centro de gravidade do avião.
Fw.190A-6: 569 unidades produzidas. Introduziu uma estrutura interna de asa diferente e substituiu o canhão de 20mm MG FF pelo canhão MG-151/20 também de 20mm.
Fw.190A-7: 80 unidades produzidas. Basicamente idêntico ao anterior mas com a colocação de metralhadoras MG-131 em vez das MG-17
Fw.190A-8: 1334 unidades produzidas tinha como principais alterações, um novo equipamento de rádio, um suporte de bombas reposicionado e capacidade para utilizar um tanque auxiliar de combustível especial.

Fw.190F
Destinado inicialmente a substituir o bombardeiro Junkers «Stuka» na sua função de bombardeiro de voo picado

Fw.190G
Idêntico ao Fw.190G, mas pensado para atingir alvos a maiores distâncias e também para funcionar como caça de longo alcance.

Como eram baseados nos desenvolvimentos da versão «A» os modelos F e G também foram tendo uma evolução similar, nomeadamente no que respeitava a armamentos e motores, além das suas especificações próprias resultantes da sua função específica.

Fw.190D / Ta.152
No final da guerra e partindo da versão Fw.190A-8, foi pensado um avião do mesmo tipo mas com um motor diferente, de que resultou o Fw.190D ou «Dora».

Este «Dora» abrirá por sua vez caminho para o Ta-152, o último dos caças da Focke Wulf.



No total foram produzidos 19,000 Fw.190 de todas as versões.

-

   
---