Dados sobre utilizadores deste modelo
Libia
Peru
Argentina
Israel

Aeronaves do mesmo tipo ou relacionadas:

Mirage-III
Avião de caça
Mirage 5 / Nesher / Dagger
Caça bombardeiro
Mirage F1
Avião de caça
Mirage-2000C
Caça de superioridade aérea
Kfir C2 / C7
Avião de caça
Atlas Cheetah C/D
Avião de caça

Acontecimentos relacionados
Batalha da Baía de San Carlos
Guerra do Yom Kippur


Mirage 5 / Nesher / Dagger
Caça bombardeiro (Dassault-Aviation)
Mirage 5 / Nesher / Dagger

Dimensões:Motores/ Potência
Comprimento: 15.55 M
Envergadura: 8.22 M
Altura: 4.5
1 x motores SNECMA Atar 9C turbojet
Potência total: 6200 kW
Peso / Cap. carga Velocidade / Autonomia
Peso vazio: 6600 Kg
Peso máximo/descolagem: 13700 Kg
Numero de suportes p/ armas: 7
Capacidade de carga/armamento: 4000 Kg
Tripulação : 1
Passageiros: a
Velocidade Maxima: 2350 Km/h
Máxima(nível do mar): 1550 Km/h
De cruzeiro: 1100 Km/h
Autonomia standard /carregado : 1370 Km
Autonomia máxima / leve 2600 Km.
Altitude máxima: 17000 Metros


- - -

Foguetes / Misseis / bombas que pode utilizar
- N/D Mk.82 - 500 lb (GP) (Ataque ao solo)
- IMI - Israel Military Industries Shafrir-2 (Combate aéreo apróximado)

Forum de discussão

O Mirage 5 (ou Mirage V) foi o resultado de um pedido da força aérea de Israel, para uma aeronave dedicada ao ataque, mais barata e sem radar, pois deveria ser utilizada apenas durante o dia.

A não existência de radar, é a razão que explica a principal característica deste modelo que é o «nariz» afilado em formato de ponta de agulha.

Esse avião serviria como aeronave de ataque retendo capacidade de combate desde que em operações diurnas, o que não era problema, dado ele ser destinado a operação de ataque que na altura só tinham lugar durante o dia.

O ataque de Israel aos países árabes durante a guerra dos seis dias, levou a que a França decretasse um embargo de armas contra os paísesw envolvidos, o que afectou especialmente os israelitas, dado os árabes utilizarem essencialmente material soviético. Por essa razão os Mirage-5 nunca chegaram à força aérea israelita, sendo incorporados à força aérea francesa.

NESHER
Embora privados dos Mirage-5, os israelitas iniciaram um programa secreto, que tinha como objectivo construir uma aeronave que pudesse cumprir as especificações da força aérea.

Começa assim a construção não autorizada de cópias de caças Mirage-III segundo a especificação israelita, que resultarão no Nesher.

Estes mesmos aviões, serão posteriormente vendidos à Argentina, onde serão conhecidos como «Dagger».

Notar que ainda hoje existem dúvidas sobre como foram produzidos os Nesher, uma vez que várias fontes afirmam que se trata de aviões fabricados em França e que foram enviados em peças para Israel, onde foram montados.


Mirage 50
Como base no Mirage 5, surgiu posteriormente o Mirage-50, que era basicamente o mesmo avião, mas com a colocação de nova electrónica.

Alguns dos Mirage-5, foram convertidos para o padrão Mirage-50. Este modelolo seria vendido para a Bélgica e posteriormente para o Chile, onde foi baptizado de Pantera.

Informação genérica:
A família de aeronaves conhecida como Mirage, é a mais prolifera família de aeronaves construidas na Europa depois da II guerra mundial.

O Mirage, também colocou a França numa posição de relevância internacionalmente, ajudando a elevar a industria aeronáutica francesa a um lugar de destaque internacional.

Além da França, outros quatro países montaram ou modificaram o Mirage.

O primeiro avião entrou em produção em finais dos anos 50 e foram produzidos mais de 1400 exemplares nas várias versões.

O primeiro protótipo do Mirage, o Mirage-I voou pela primeira vez em 1955, os mais recentes Mirage-2000, continuam ao serviço em vários países.

O primeiro elemento da família foi o Mirage-III, com capacidade para voar a MACH-2.

Depois, a pedido da força aérea de Israel, foi produzida uma versão económica, conhecida como Mirage-5, destinada a operações unicamente durante o dia, que era desprovido de radar. Essas aeronaves serão a origem dos caças Kfir, derivados dos Mirage-5, Delta-Dagger argentinos e Chetah sul africanos.

O Mirage-50, foi uma versão intermédia produzida pela França, equipada com avionicos mais sofisticados.

A modernização conhecida como Mirage-5 era uma versão simplificada do Mirage-III foi apenas vendida para a Libia e para a África do Sul (os Mirage sul africanos foram modernizados em cooperação com Israel).

No inicio dos anos 70, foi lançado o Mirage-F1, que representou um corte com a tradição de asa delta, ao apresentar uma configuração tradicional, que serviu em França para substituir o Mirage-III.

Em 1982 foi lançado o Mirage-IIING (Nouvelle Génération), caracterizado por asas Canard e comandos «fly-by-wire» mas a Dassault não conseguiu vender a ideia, principalmente porque os kits de modernização, permitiam manter grande parte da frota actualizada, por uma fracção do custo.

A verdadeira renovação da linha Mirage, ocorreu com o lançamento do Mirage-2000


Os outros Mirage

Além das aeronaves fabricadas na França, outros países construiram versões do Mirage.

Nesher
A primeira, foi uma cópia quase exacta do caça bombardeiro Mirage-5. que foi fabricada ilegalmente.

Kfir
O Kfir, foi lançado depois do Nesher e era uma versão mais sofisticada e capaz do Mirage, com nova electrónica e motores de origem norte-americana. Ainda hoje estão ao serviço versões do Kfir e a mais recente é Kfir-C10

Chetaah
A África do Sul tambem obteve licença para fabricar o Mirage-III e o seu motor.
Embora não tenha produzido o Mirage, o Chetaah lembra em grande medida o caça israelita Kfir, o que se compreende pelas estreitas relações que se estabeleceram entre Israel e a África do Sul nos anos 70.

Mirage-2000
Com novas apostas e novas propostas de mocernização, a própria Dassault lançou um novo Mirage, que embora partilhe o conceito geral desenvolvido com o Mirage-III, é na realidade uma aeronave completamente nova.

-

   
---