Dados sobre utilizadores deste modelo
Sri Lanka
Estados Unidos da América
Colombia
Equador
Israel

Aeronaves do mesmo tipo ou relacionadas:

Mirage-III
Avião de caça
Mirage 5 / Nesher / Dagger
Caça bombardeiro
Mirage F1
Avião de caça
Mirage-2000C
Caça de superioridade aérea
Kfir C2 / C7
Avião de caça
Atlas Cheetah C/D
Avião de caça

Kfir C2 / C7
Avião de caça (IAI / Lahav)
Kfir C2 / C7

Dimensões:Motores/ Potência
Comprimento: 15.65 M
Envergadura: 8.22 M
Altura: 4.55
1 x motores General Electric J79-J1E
Potência total: 8055 Kgf
Peso / Cap. carga Velocidade / Autonomia
Peso vazio: 7285 Kg
Peso máximo/descolagem: 16500 Kg
Numero de suportes p/ armas: 9
Capacidade de carga/armamento: 6085 Kg
Tripulação : 1
Passageiros: 0 a 0
Velocidade Maxima: 2440 Km/h
Máxima(nível do mar): 1389 Km/h
De cruzeiro: 900 Km/h
Autonomia standard /carregado : 900 Km
Autonomia máxima / leve 1550 Km.
Altitude máxima: 17000 Metros


- - -

Canhões / Metralhadoras
- 2 x 30mm DEFA-554 (Calibre: 30 )

Forum de discussão

Desenvolvido ainda nos anos 70, depois de Israel ter construido, ou montado localmente o Mirage-V, também conhecido como Nesher, o Kfir é outro derivado do Mirage, embora com consideráveis modificações relativamente aos modelos originais franceses, nomeadamente o Mirage-III.

A principal modificação é a inclusão de um motor de origem norte-americana, em substituição dos motores franceses. O Kfir-C7 está equipado com um motor General Electric.

Os primeiros Kfir (versão C1) entraram ao serviço de Israel ainda em 1974 e era um Mirage-III modificado, do qual foram produzidos (convertidos) apenas 27 exemplares.
Em 1976 foi apresentado o Kfir C2, já totalmente montado em Israel, mas apenas em 1983, será entregue a versão definitiva Kfir-C7.

O Kfir C7, foi concebido com o objectivo de ser uma aeronave de bombardeamento, com capacidade para intercepção, ou seja é um caça multiusos.

O C-7 passou a ser a aeronave padrão e os exemplares que não foram para a reserva ou exportados foram convertidos para o padrão C-7, que inclui motores com mais potência, maior capacidade para transportar armas, dois pontos adicionais para transportar armas (9 em vez de 7)

Vários C2 foram entretanto vendidos a outros países, nomeadamente sul americanos.
O seu principal utilizador foi Israel, que no entanto colocou as aeronaves na reserva após a chegada de caça-bombardeiros F-16i.

Tanto os Kfir-C2 como os Kfir C-7 têm versões de dois lugares conhecidas respectivamente como TC-2 e TC-7.

Posteriormente foram desenvolvidas outras séries com base no C7, como foi o caso do Kfir C9, proposto à Argentina e à África do Sul, tendo-se transformado posteriormente no caça Atlas Chetah.

O modeo C10, foi desenvolvido mais tarde e é basicamente idêntico ao C7, mas possui um novo e poderoso radar AESA EL/M-2032.
Uma versão atualizada do C10, é conhecidao como Kfir Block 60. Trata-se de um Kfir C10

Informação genérica:
A família de aeronaves conhecida como Mirage, é a mais prolifera família de aeronaves construidas na Europa depois da II guerra mundial.

O Mirage, também colocou a França numa posição de relevância internacionalmente, ajudando a elevar a industria aeronáutica francesa a um lugar de destaque internacional.

Além da França, outros quatro países montaram ou modificaram o Mirage.

O primeiro avião entrou em produção em finais dos anos 50 e foram produzidos mais de 1400 exemplares nas várias versões.

O primeiro protótipo do Mirage, o Mirage-I voou pela primeira vez em 1955, os mais recentes Mirage-2000, continuam ao serviço em vários países.

O primeiro elemento da família foi o Mirage-III, com capacidade para voar a MACH-2.

Depois, a pedido da força aérea de Israel, foi produzida uma versão económica, conhecida como Mirage-5, destinada a operações unicamente durante o dia, que era desprovido de radar. Essas aeronaves serão a origem dos caças Kfir, derivados dos Mirage-5, Delta-Dagger argentinos e Chetah sul africanos.

O Mirage-50, foi uma versão intermédia produzida pela França, equipada com avionicos mais sofisticados.

A modernização conhecida como Mirage-5 era uma versão simplificada do Mirage-III foi apenas vendida para a Libia e para a África do Sul (os Mirage sul africanos foram modernizados em cooperação com Israel).

No inicio dos anos 70, foi lançado o Mirage-F1, que representou um corte com a tradição de asa delta, ao apresentar uma configuração tradicional, que serviu em França para substituir o Mirage-III.

Em 1982 foi lançado o Mirage-IIING (Nouvelle Génération), caracterizado por asas Canard e comandos «fly-by-wire» mas a Dassault não conseguiu vender a ideia, principalmente porque os kits de modernização, permitiam manter grande parte da frota actualizada, por uma fracção do custo.

A verdadeira renovação da linha Mirage, ocorreu com o lançamento do Mirage-2000


Os outros Mirage

Além das aeronaves fabricadas na França, outros países construiram versões do Mirage.

Nesher
A primeira, foi uma cópia quase exacta do caça bombardeiro Mirage-5. que foi fabricada ilegalmente.

Kfir
O Kfir, foi lançado depois do Nesher e era uma versão mais sofisticada e capaz do Mirage, com nova electrónica e motores de origem norte-americana. Ainda hoje estão ao serviço versões do Kfir e a mais recente é Kfir-C10

Chetaah
A África do Sul tambem obteve licença para fabricar o Mirage-III e o seu motor.
Embora não tenha produzido o Mirage, o Chetaah lembra em grande medida o caça israelita Kfir, o que se compreende pelas estreitas relações que se estabeleceram entre Israel e a África do Sul nos anos 70.

Mirage-2000
Com novas apostas e novas propostas de mocernização, a própria Dassault lançou um novo Mirage, que embora partilhe o conceito geral desenvolvido com o Mirage-III, é na realidade uma aeronave completamente nova.

-

   
---