Aeronaves do mesmo tipo ou relacionadas:

C-235-200
Aeronave de transporte ligeira
C-295M
Aeronave de transporte ligeira

Notícias relacionadas
Primeiro C-295M entregue à FAP


C-235-200
Aeronave de transporte ligeira (EADS-CASA)
C-235-200

Dimensões:Motores/ Potência
Comprimento: 21.4 M
Envergadura: 25.8 M
Altura: 8.2
2 x motores General Electric CT7-9C turboprop
Potência total: 3500 HP/CV
Peso / Cap. carga Velocidade / Autonomia
Peso vazio: 9800 Kg
Peso máximo/descolagem: 15100 Kg
Numero de suportes p/ armas: 0
Capacidade de carga/armamento: 4000 Kg
Tripulação : 2
Passageiros: 30 a 44
Velocidade Maxima: 509 Km/h
Máxima(nível do mar): 509 Km/h
De cruzeiro: 450 Km/h
Autonomia standard /carregado : 830 Km
Autonomia máxima / leve 3900 Km.
Altitude máxima: 9145 Metros


- - -

Forum de discussão

O C-235 foi concebido em Espanha e na Indonésia, com o objectivo de produzir uma aeronave que pudesse ser utilizada pelo mercado civil, mas que também pudesse ser apresentada como transporte militar.

A primeira versão foi o C-235-100, a qual foi posteriormente seguida pelo C-235-200.

O C-235 tinha como principal objectivo o mercado de ligação entre os grandes aeroportos intercontinentais e os pequenos aeroportos regionais.
O seu concorrente principal era a aeronave ATR-42 / ATR-72, mas o aparecimento no mercado de pequenas aeronaves regionais a jacto acabou por inviabilizar o programa, levado o fabricante CASA praticamente à falência, sendo a empresa salva ao entrar na órbita do gigante europeu EADS.

Mas se o C-235 foi um fracasso no mercado comercial, a mesma coisa não se pode dizer como aeronave de transporte militar onde a porta traseira, inicialmente incluida por exigência da IPTN da Indonésia[1], foi vista como uma grande vantagem por parte dos militares.

Por esta razão, por cada unidade para o mercado civil foram entregues quatro para o sector militar.

Pensado para o mercado civil europeu, o C-235 era no entanto demasiado pequeno para muitas missões, o que levou ao desenvolvimento de uma versão adequada para as necessidades militares (ver C-295).


[1] porque no mercado civil daquele país era necessária a porta traseira para facilitar a entrada e saida de carga e passageiros.

Informação genérica:
Familia de aeronaves resultante do acordo estratégico de parceria entre a empres CASA da Espanha e a empresa NURTAINO da Indonésia.

O primeiro resultado desta união, foi o C-235, uma aeronave especialmente concebida para as necessidades de transporte das empresas indonésias, que efectuam vôos entre uma miriade de ilhas dentro do país, às quais se deve a manutenção da porta traseira, que se adapta bastante à utilização que lhe é dada em operações de ligação aérea inter-ilhas.

Embora o C-235 não tivesse tido o sucesso comercial que se esperava, o facto de possuir uma porta traseira permitiu que posteriormente o avião fosse apresentado como aeronave militar, campo onde efectivamente teve sucesso.

Foram produzidas versões destinadas não apenas ao transporte mas também à patrulha marítima.

Posteriormente, tendo em atenção o mercado militar, foi construida uma versão aumentada chamada C-295. Ao contrário do seu antecessor mais pequeno, esta versão já não foi apresentada como aeronave civil e foi destinada exclusivamente ao mercado militar.

-

   
---