Dados sobre utilizadores deste modelo
Paquistão

Aeronaves do mesmo tipo ou relacionadas:

FC-1 / JF-17
Caça bombardeiro
J-10A
Caça de superioridade aérea
J-10B
Avião de caça

FC-1 / JF-17
Caça bombardeiro (Chengdu)
FC-1 / JF-17

Dimensões:Motores/ Potência
Comprimento: 14.97 M
Envergadura: 9.46 M
Altura: 4.77
1 x motores RD-93
Potência total: 12375 Kgf
Peso / Cap. carga Velocidade / Autonomia
Peso vazio: 6411 Kg
Peso máximo/descolagem: 12104 Kg
Numero de suportes p/ armas: 0
Capacidade de carga/armamento: 7063 Kg
Tripulação : 1
Passageiros: a
Velocidade Maxima: 1900 Km/h
Máxima(nível do mar): Não disponível
De cruzeiro: 0 Km/h
Autonomia standard /carregado : 1800 Km
Autonomia máxima / leve 2700 Km.
Altitude máxima: 20500 Metros


- - -

Canhões / Metralhadoras
- 1 x 23mm GSh-23 (Calibre: 23 )
Radares
- SELEX Sistemi Grifo-7 - Multi-modo/Pulso Dopler (Alcance médio: 0Km)

Forum de discussão

Depois do melhoramento de relações entre a China e o ocidente, no inicio dos anos 80, a empresa Northrop Grumman foi contratada pelo governo da China para desenhar uma modernização radical do caça J-7, a versão chinesa do MiG-21. Esse projecto ficou conhecido como «Super Seven» ou Chengdu J-9.

O massacre de centenas de pessoas na praça de Tian-an-men, ordenado pelo governo chinês em 1989, levou a que os Estados Unidos cancelassem a cooperação militar com a China, o que por sua vez conduziu ao cancelamento do projecto J-9 / Super-Seven.

O JF-17 é um avião ligeiro/médio de combate, destinado a múltiplas funções, que tem como objectivo a manutenção de um custo reduzido que permita a substituição de muitos dos MiG-21 e J-7 presentemente ao serviço em varios países.

As suas performances são relativamente reduzidas para o inicio do século XXI. Ele utilizará sistemas originários de países ocidentais, reflectindo o que já foi feito com o F-7M «Airguard».

Além de radares de concepção chinesa, está prevista a possibilidade de instalação do radar Grifo-S7 italiano.

Ele terá capacidade para lançar mísseis AIM-9M «Sidewinder», bombas guiadas a laser.

Não se espera que a China se interesse especialmente por esta aeronave, principalmente porque o principal investimento num monomotor médio parece estar a ser feito no caça J-10, que embora tendo a mesma origem, sofreu um redesenho e reconfiguração muito mais radical.




O Super Seven: Aeronave J-7/MiG-21 modernizada pela Northrop Grumman.

Informação genérica:
Depois de produzir o J-7, que é uma cópia exacta do MiG-21F fabricado na China sob licença, os chineses desenvolveram nos anos 80 dois modelos de caça derivados do MiG-21, que no entanto foram radicalmente modificados.
Para aceder às aeronaves do tipo MiG-21 de fabrico soviético fazer click neste link

A necessidade de conceber os seus próprios modelos, tornando a China independente da União Soviética, levou a que o país aproveitasse o apoio dado pelos países ocidentais a partir de meados dos anos 70, quando se negociou uma aproximação com os Estados Unidos e com a Europa.

É importante frisar que muitas das ideias para o desenho e concepção de aeronaves modificadas são originárias da China e não do ocidente.
As industrias ocidentais foram consultadas e assessoraram o desenvolvimento. Os chineses utilizaram o apoio das industrias ocidentais, para acelerar o processo de desenvolvimento, pois embora os chineses tivessem ideias quando ao caminho que pretendiam seguir, a industria chinesa não estava à altura de acompanhar a rápida evolução tecnológica.

FC-1

O caso mais significativo de modificação do caça MiG-21 com o apoio de empresas ocidentais, resultou no FC-1, visto hoje como um caça de segunda linha, adequado para exportação para países com orçamentos militares limitados. Esta aeronave, que foi desenvolvida com o apoio de empresas norte-americanas, foi vendida para o Paquistão.



J-10A

Embora seja muitas vezes referido como uma derivação do caça LAVI de Israel, o J-10 é no entanto uma outra derivação (ou evolução) do MiG-21.

Parece no entanto ser aceite, que pelo menos parte dos estudos aerodinâmicos que levaral à construção da aeronave tiveram a participação directa ou indirecta de industrias israelitas.

O J-10 é praticamente um novo avião, embora internamente beba ainda muito da experiência da industria chinesa na construção do MiG-21-

J-10B

à medida que a industria chinesa vai ganhando capacidade e a China vai aumentando as suas capacidades em várias áreas tecnológicas, torna-se claro que o país tem recorrido cada vez menos ao apoio exterior para desenvolver as suas próprias derivações de aeronaves.

A prova mais recente é o anuncio do caça J-10B, uma derivação do J-10, com importantes modificações ao nível d aerodinâmica, mas também da electrónica embarcada.

J-10C

Existem rumores de que a China estará a desenvolver aeronaves destinadas a operação a partir de porta-aviões. A industria Chengdu estará por isso a trabalhar numa versão do J-10 alegadamente com dois motores, destinada a essa função.




Embora se trate de uma aeronave bastante diferente, o J-10 tem dimensões aproximadas do J-7 / MiG-21.

-

   
---