Aeronaves do mesmo tipo ou relacionadas:

MiG-15 bis «Fagot-B»
Avião de caça
MiG-17F «Fresco C»
Avião de caça

MiG-17F «Fresco C»
Avião de caça (MiG-MAPO)
MiG-17F «Fresco C»

Dimensões:Motores/ Potência
Comprimento: 11.09 M
Envergadura: 9.63 M
Altura: 3.8
1 x motores VK-1F
Potência total: 3380 Kgf
Peso / Cap. carga Velocidade / Autonomia
Peso vazio: 3930 Kg
Peso máximo/descolagem: 6069 Kg
Numero de suportes p/ armas: 4
Capacidade de carga/armamento: 0 Kg
Tripulação : 1
Passageiros: a
Velocidade Maxima: 1145 Km/h
Máxima(nível do mar): 1100 Km/h
De cruzeiro: 600 Km/h
Autonomia standard /carregado : 600 Km
Autonomia máxima / leve 1470 Km.
Altitude máxima: 16600 Metros


- - -

Canhões / Metralhadoras
- 3 x 23mm NR-23 / AM-23 (Calibre: 23 )

Forum de discussão

O MiG-17F é a segunda versão de produção do MiG-17 e aquela que atingiu numeros mais elevados.

A principal diferença relativamente ao MiG-17 inicial e ao MiG-15 era o novo motor VK-1F, com um incremento de potência de 25% com pós combustão, que dava ao MiG-17F uma enorme velocidade ascencional.

Em termos de armamento, o MiG-17F era identico quer ao MiG-17 original quer ao MiG-15bis.
O MiG-17F tinha asas mais resistentes e podia igualmente transportar até quatro foguetes de 190mm ou dois foguetes de 212mm.

Esta aeronave foi declarada operacional na Força Aérea da URSS em 1953 e entrou ao serviço em pelo menos 30 forças aéreas em todo o mundo.

O rápido desenvolvimento das técnicas e sistemas aeronauticos levou a que a aeronave estivesse em produção na União Soviética apenas até 1958.

No entanto, ele foi produzido sob licença noutros países, tendo 477 unidades sido produzidas na Polónia entre 1956 e 1960.

A China também produziu o caça nas instalações de Shenyang, de onde no Verão de 1956 saiu o primeiro MiG-17F, conhecido na China como J-5.

A aeronave foi rapidamente colocada em unidades operacionais, e a sua maior manobrabilidade era muito apreciada pelos pilotos

Informação genérica:
No final da II guerra mundial, os três principais gabinetes de projectos aeronauticos da União Soviética (Lavochkin, Yakovlev e MiG) receberam a incumbência de apresentar um projecto de caça a jacto, que deveria utilizar dois motores lado a lado.

A análise dos resultados, levou à apresentação de uma nova especificação em 1946 que pedia um interceptor com velocidade e capacidade para destruir bombardeiros ocidentais como o B-29. O MiG-15 é o resultado desse processo de seleção.

O primeiro dos MiG a jacto, estava equipado com dois motores BMW tomados aos alemães, com potência de 800Kgf cada um colocados lado a lado. Ele foi conhecido como I-300 e foi desenvolvido em apenas 14 meses, tendo voado pela primeira vez em 24 de Abril de 1946. O primeiro protótipo voou 19 vezes tendo-se despenhado após totalizar 6 horas e 23 minutos de tempo de voo.
O primeiro avião de pré série estava pronto em 13 de Outubro de 1946. Ele passou a ser conhecido como MiG-9, e era equipado com dois motores RD-20, que era um BMW-003A copiado (ver MiG-19).

Um motor britânico, para os russos

Curiosamente, a URSS encontrava-se em fase de negociação da compra de motores Rolls-Royce RB-41 «Nene» que estava em produção desde 1944. Era o mais potente motor a jato do mundo na altura, e a sua oferta aos soviéticos é hoje vista como uma opção desastrosa dos britânicos, que lhes deram quase de mão beijada, meios para produzir o melhor caça do inicio dos anos 50..

Com uma potência de 2270 kgf, o motor britânico, era muito mais poderoso que a soma dos dois motores alemães que equipavam o MiG-9, tornando desnecessária a colocação de dois motores lado a lado. O novo avião, redesenhado para acomodar o novo motor, terá uma velocidade que lhe permite servir como interceptor, será conhecido como MiG-15.
O desenvolvimento na União Soviética do motor RB-41 da Rolls Royce foi extremamente rápido e os técnicos da Klimov, começaram a copia-lo de imediato, dando-lhe o nome de RD-45.

O primeiro voo do MiG-15 ocorreu a 30 de Dezembro de 1947 e um ano depois, a 30 de Dezembro de 1948, ocorre o primeiro voo da versão definitiva de produção, que ficará conhecido como MiG-15 SV (alcance de 1175km motor com 2270kgf e autonomia para 1100km - peso vazio de 3523kg e máximo de 4963kg - Comprimento de 10.04M envergadura de 10.08m e altura de 3.7m)

Porém, várias deficiências foram notadas na aeronave, pelo que ainda em Novembro de 1948 começou o desenvolvimento de uma versão mais sofisticada, que seria conhecida como MiG-15 BIS.

Já em Novembro de 1950 foram enviados MiG-15 para a guerra da Coreia.

A rapidez com que os soviéticos colocaram no ar uma aeronave com motor a jacto foi surpreendente, especialmente para os norte-americanos, que gozavam de absoluta superioridade aérea na primeira fase da guerra. A superioridade aérea foi aliás uma das razões que permitiram às forças das Nações Unidas resistir e voltar a empurrar as forças norte-coreanas e chinesas para norte.

MiG-17

Paralelamente ao desenvolvimento do MiG-15bis (uma versão melhorada do MiG-15), as autoridades soviéticas ordenaram o desenvolvimento simultâneo de uma versão mais sofisticada, conhecida como i-330.
O objectivo do i-330 era o de construir uma aeronave com um motor mais potente e com capacidade para se aproximar da barreira do som. Com esse objectivo a aeronave seria mais longa e com um tratamento aerodinâmico mais refinado, com uma asa mais fina e completamente redesenhada. O MiG-17 utilizava também o motor VK-1 que também equipava o MiG-15bis.
O primeiro voo do MiG-17 ocorreu em 1 de Fevereiro de 1950 e ele atingiu a velocidade de MACH 0.95. A sua produção foi iniciada em seis fábricas da União Soviética em Setembro de 1951. O MiG-17 utilizava o mesmo armamento do MiG-15bis e foi declarado operacional em Outubro de 1952.

Mas rapidamente, o desenvolvimento do motor VK-1 com pós combustão (VK-1F), bastante mais potente, levou ao desenvolvimento de uma versão mais poderosa do MiG-17 que voou ainda em Setembro de 1951. Com uma potência máxima de 3.380kgf, o motor VK-1F oferecia um aumento de 25% de potência relativamente ao motor que equipava a versão anterior e também o MiG-15bis.

Surge assim o MiG-17F (F de Forsirovannyi, que em russo quer dizer incrementado).

Calcula-se que foram produzidos cerca de 9.000 aeronaves MiG-17 / J-5

-

   
---