Dados sobre utilizadores deste modelo
Portugal

Aeronaves do mesmo tipo ou relacionadas:

F-8 «Crusader»
Avião de caça
A-7 Corsair II
Caça bombardeiro

A-7 Corsair II
Caça bombardeiro (Northrop-Grumman/Westinghouse)
A-7 Corsair II

Dimensões:Motores/ Potência
Comprimento: 14.06 M
Envergadura: 11.08 M
Altura: 4.9
1 x motores Allison TF-30P
Potência total: 6100 Kgf
Peso / Cap. carga Velocidade / Autonomia
Peso vazio: 8668 Kg
Peso máximo/descolagem: 19050 Kg
Numero de suportes p/ armas: 8
Capacidade de carga/armamento: 6805 Kg
Tripulação : 1
Passageiros: a
Velocidade Maxima: 1112 Km/h
Máxima(nível do mar): Não disponível
De cruzeiro: 950 Km/h
Autonomia standard /carregado : 1200 Km
Autonomia máxima / leve 5200 Km.
Altitude máxima: Não disponível


- - -

Canhões / Metralhadoras
- 2 x 20mm Colt Mk,12 (Calibre: 20 )
Foguetes / Misseis / bombas que pode utilizar
- Raytheon Systems AIM-9A /B Sidewinder (missil ar-ar)
- Raytheon Systems AIM-9L Sidwinder (missil ar-ar)
- N/D Mk.81 - 250 lb (GP) (Ataque ao solo)
- N/D Mk.82 - 500 lb (GP) (Ataque ao solo)

Forum de discussão

O Vought A-7 Corsair, ou SLUF - Short Little Ugly Fellow - entrou pela primeira vez ao serviço, na Marinha Norte Americana, em Outubro de 1966, e manteve-se ao serviço por cerda de 25 anos.

Avião pensado para operações de ataque efectuadas pela marinha, e derivado do Crusader, o A-7, foi desenhado como aeronave resistente, e capaz de transportar uma razoável quantidade de armamentos, a uma distância maior que o seu antecessor.

Com uma capacidade para transportar quase 7 toneladas durante 1200km, ele ultrapassava claramente o Skyhawk que no máximo poderia transportar 4,5 toneladas a bem menos de metade da distância.

Manteve-se ao mesmo tempo dentro dos limites das catapultas dos porta-aviões da classe Midway, desde os quais operava. A sua primeira acção de combate, foi em Dezembro de 1967 quando efectuou ataques desde o Porta-Aviões Ranger (CVA-61) sobre o Vietname, na região de Vinh.

Em 1966, o Corsair II foi também adoptado pela USAF, e o A-7D foi equipado com o motor TF-41, mais possante que o TF30-6 da Pratt & Witney, que equipava os primeiros Corsair. Foram produzidos cerca de 1400 unidades e o A-7 foi vendido para o Paquistão, para a Grécia e para Portugal.

Informação genérica:
As origens desta família de aeronaves encontram-se nos ensinamentos recolhidos pelos norte-americanos no seguimento do cnflito coreano. Embora a qualidade do equipamento norte-americano e a qualidade do treinamento dos pilotos tivesse permitido uma grande vitória sobre os MiG-15 soviéticos, ficou claro que do ponto de vista de conceito, os caças russos eram superiores aos caças americanos. As novas especificações que sairam dos estudos feitos a partir da guerra da Coreia, deram enfase à velocidade supersónica e mobilidade da aeronave.

As aeronaves F-8 «Crusader» e A-7 «Corsair» foram concebidas pela então Chance-Vought, que posteriormente foi absorvida pela Northrop Grumman.
Distinguem-se dois modelos principais nesta família de aeronaves:

F-8 «Crusader»
Caça supersónico embarcado que foi utilizado pela marinha dos Estados Unidos desde 1957 até 1988 e pela marinha da França até 1999.

A-7 «Corsair»
Quando em meados dos anos 60 a marinha dos Estados Unidos pretendeu substituir o avião de ataque «Skyhawk», foi lançado um concurso que foi vencido pela Vought.
Por isso, o A-7 é na realidade uma versão do F-8 «Crusader» adaptada para ataque, com asas reforçadas e maior capacidade para transporte de armas.


Outros projectos
F-8U-III
O caça supersónico F-8U «Crusader III» nunca chegou a ser adquirido e foi preterido ao F-4 «Phantom». Ele era na altura o mais rápido avião do mundo e aquele que tinha a maior aceleração. Os programas da Força Aérea e da Marinha não favoreceram o projecto e acabaram por influir na falência da Chance-Vought.

-

   
---