Aeronaves do mesmo tipo ou relacionadas:

Ju-88A 4
Bombardeiro
Ju-88C-6
Avião de caça
Ju-88D
Aeronave de reconhecimento
Ju-88S-1
Bombardeiro

Ju-88S-1
Bombardeiro (Junkers)
Ju-88S-1

Dimensões:Motores/ Potência
Comprimento: 16.7 M
Envergadura: 21.7 M
Altura: 4.8
2 x motores BMW-801G-2
Potência total: 3460 HP/CV
Peso / Cap. carga Velocidade / Autonomia
Peso vazio: 8 Kg
Peso máximo/descolagem: 13700 Kg
Numero de suportes p/ armas: 0
Capacidade de carga/armamento: 1990 Kg
Tripulação : 3
Passageiros: a
Velocidade Maxima: 550 Km/h
Máxima(nível do mar): Não disponível
De cruzeiro: 0 Km/h
Autonomia standard /carregado : 1100 Km
Autonomia máxima / leve 1900 Km.
Altitude máxima: 10370 Metros


- - -

Canhões / Metralhadoras
- 1 x 13mm MG 131 (Calibre: 13 )

Forum de discussão

Quando no final de 1942, se tornou evidente que o Ju-88A não teria já a velocidade suficiente para escapar aos caças interceptores dos aliados, a modernização do Ju-88A tornou-se de primordial importância.

O Ministério do Ar alemão emitiu então uma nova especificação para uma modernização do do Ju-88A com o objectivo de aumentar as suas capacidades.

Para evitar o longo processo de desenvolvimento de uma aeronave, o Ministério do Ar decidiu que se deveria manter a configuração básica do Ju-88A, a especificação centrava-se essencialmente na modificação dos motores e em melhoramentos aerodinâmicos.

As asas, a fuselagem e a cauda do Ju-88A permaneceram sem alterações, mas os motores Jumo-211J foram substituidos pelos novos motores radiais BMW-801D, que também equipavam os caças interceptores Focke-Wulf Fw-190, de 1700cv cada um.
As helices seriam metálicas e o nariz do avião com a sua frente caracteristica com aspecto de diamante lapidado, recebeu um «nariz» transparente de uma só peça (idêntico ao que tinha sido introduzido na versão «caça» do Ju-88).

O Ju-88S também era mais leve, mercê da redução da blindagem e da redução de componentes exteriores que aumentassem o queficiente de arrasto e reduzissem a velocidade do avião que ficou pelos 530km/h.

Mas o Ju-88S não mostrou ser suficientemente rápido, e foi estudada uma nova versão que resultou no Ju-88S-1 foi submetido a mais uma «cura de emagrecimento», com a remoção da gondola ventral, reduzindo a tripulação para apenas três, e substituindo o equipamento de pontaria por outro mais moderno. A blindagem ficou restringida apenas à cabine, para dar alguma protecção à tripulação.
O bombardeiro ficou também reduzido a uma simples metralhadora MG-131 para defesa, colocada na parte traseira da cabine.

Os motores BMW-801G-2 dispunham do sistema de propulsão de emergência a Dioxido de Nitrogénio que permitia aumentar a potência dos motores em caso de necessidade, embora para isso fosse necessário transportar mais 400kg daquele combustível.
Com este sistema, em caso de necessidade o Ju-88S poderia ultrapassar 610km/h de velocidade máxima, embora a sua velocidade (sem propulsão adicional) se mantivesse em 550km/h

Informação genérica:
Quando o Junkers Ju-88 voou pela primeira vez, obteve resultados espectaculares, em termos de velocidade máxima. A velocidade atingida pelos primeiros exemplares do avião, era resultado das linhas eficazes e aerodinâmicas do avião.

No entanto, embora continuasse a ser bastante veloz, o Ju.88 não conseguiu atingir o mesmo nível de prestações depois de armado e preparado para operações militares.

Por se encontrar em desenvolvimento os primeiros exemplares do Ju.88 só estiveram prontos muito tarde, para intervir no inicio da guerra.

Prestações enganosas.
Sabe-se que em 1939, ainda antes do inicio do conflito mundial, Herman Goering afirmou ao conde Ciano (ministro das relações exteriores da Itália) que o novo bombardeiro poderia até transportar uma razoável carga de bombas para lá da Irlanda, podendo mesmo ser utilizado como bombardeiro naval, para impedir os navios ingleses de atingir a ilha.

As prestações reais do Ju-88, especialmente quando carregado com o máximo possível de bombas (500kg) não tinha um alcance realmente atrativo, ficando por um raio de ação operacional de 800 a 1000km. Mas as restantes prestações do Ju.88, nomeadamente a sua velocidade, levaram a que chegassem a ser fabricadas versões que o equiparavam a um caça, tendo-se mesmo transformado, mercê da sua autonomia, num dos principais caças nocturnos da guerra.

O desenvolvimento do Ju-88 continuou, sendo as suas prestações aproveitadas como aeronave de reconhecimento a grande altitude.

Em 1943 surge o Ju-88S uma modernização da versão Ju-88A, com mais potência e maior velocidade


A produção total das várias versões do Junker Ju-88 atingiu 16.000 unidades, transformando o Ju-88 no bimotor mais produzido pela Alemanha durante a II guerra mundial.

-

   
---