Aeronaves do mesmo tipo ou relacionadas:

Do-17-Z
Bombardeiro
Do-217 E
Bombardeiro

Do-17-Z
Bombardeiro (Dornier)
Do-17-Z

Dimensões:Motores/ Potência
Comprimento: 15.79 M
Envergadura: 18 M
Altura: 4.55
2 x motores BMW Bramo 323P
Potência total: 2000 HP/CV
Peso / Cap. carga Velocidade / Autonomia
Peso vazio: 5209 Kg
Peso máximo/descolagem: 8578 Kg
Numero de suportes p/ armas: 0
Capacidade de carga/armamento: 1000 Kg
Tripulação : 4
Passageiros: a
Velocidade Maxima: 427 Km/h
Máxima(nível do mar): 400 Km/h
De cruzeiro: 380 Km/h
Autonomia standard /carregado : 800 Km
Autonomia máxima / leve 1160 Km.
Altitude máxima: 7500 Metros


- - -

Forum de discussão

O Dornier Do-17Z foi o mais significativo e mais produzido das várias versões desta aeronave que entraram ao serviço na Alemanha.

Ele baseou-se no Do-17 original, que era derivado de uma aeronave construida para o transporte aéreo rápido, muitas vezes conhecido como «lapis voador».

O Do-17Z foi também o resultado das inovações introduzidas durante a guerra civil em Espanha, onde vários Dornier Do-17 de versões anteriores participaram, integrados na Legião Condor.

Os primeiros Do-17Z sairam das fábricas em 1939 e quando a Alemanha atacou a França em 1940, já estavam ao serviço mais de 400 destas aeronaves.

Os Do-17, foram desenhados concebidos em meados dos anos 30 e eram relativamente ligeiros, o que levou a que ainda em 1938, perante a pressão da concorrência (tinha-se tornado evidente que o Junkers Ju-88 era muito superior ao Dornier Do-17) dentro da própria Alemanha, a Dornier começasse a desenvolver uma versão mais poderosa, que viria a resultar no Dornier Do-217.

Não obstante, o Do-17 continuou ao serviço até 1942, quando foi lançado o Do-217 e várias unidades foram fornecidas a forças aéreas de países aliados da Alemanha.

Informação genérica:
O Dornier Do-17 começou por ser uma aeronave civil de transporte de passageiros, resultado de um pedido da transportadora aérea alemã Lufthansa.

A aeronave, que transportava seis passageiros além de correio, não foi considerada satisfatória pela empresa aérea, principalmente por causa do pouco espaço disponível para os passageiros.

O Ministério do Ar alemão, no entanto, aproveitou a ideia logo em 1933 quando Hitler chegou ao poder e solicitou a sua conversão em bombardeiro.

As versões militares foram enviadas a partir de 1936 para Espanha, onde a sua rapidez era o seu principal argumento, tendo uma velocidade inferior aos caças soviéticos em operação.


Um dos Dornier mais antigos, ao serviço da força aérea franquista (Espanha).

No entanto a diferença na velocidade era minima. Os pilotos de caça da República Espanhola entenderam que era possível atacar o Do-17 de baixo para cima, onde ele não tinha defesa possível e isso levou à introdução de modificações nos modelos posteriores.

Os Do-17 foram especialmente produzidos na versão Do-17Z (que incluia os ensinamentos da guerra em Espanha) e esteve em todos os combates até 1942, altura em que começou a ser substituido por outras aeronaves mais pesadas e com maior alcance operacional.


Dornier Do-217

O Dornier Do-217 por seu lado, foi um modelo destinado a ultrapassar as deficiências do Do-17. O seu desenvolvimento começou ainda antes do inicio da II Guerra Mundial, dado as deficiências do Do-17 serem já evidentes em 1938.

Quantidades produzidas[1]:

Do-217A - 6
Do-217C - 10
Do-217E - 604 (cinco diferentes séries)
Do-217J - 130 (caça nocturno)
Do-217K - 390 (três diferentes séries)
Do-217M - 477 (duas diferentes séries)
Do-217N - 335 (duas diferentes séries - caºa nocturno)
Do-217R - 5
Do-317 - 6




[1] - Existem discrepâncias quanto ao numero de unidades produzidas, principalmete por causa da classificação de algumas aeronaves como caças.

-

   
---