Dados sobre utilizadores deste modelo
Estados Unidos da América

Aeronaves do mesmo tipo ou relacionadas:

B747-100
Aeronave comercial Longo Alcance
B747-200
Aeronave comercial Longo Alcance
B747-400
Aeronave comercial Longo Alcance
B747 / VC-25
Transporte executivo/VIP
B-747 E4B
Aeronave de transporte pesado
B747 YAL-1 «ABL»
Plataforma aérea de tiro

B-747 E4B
Aeronave de transporte pesado (Boeing)
B-747 E4B

Dimensões:Motores/ Potência
Comprimento: 70.5 M
Envergadura: 59.7 M
Altura: 19.3
4 x motores General Electric CF6-50E2
Potência total: 94500 Kgf
Peso / Cap. carga Velocidade / Autonomia
Peso vazio: 190000 Kg
Peso máximo/descolagem: 374000 Kg
Numero de suportes p/ armas: 0
Capacidade de carga/armamento: Kg
Tripulação : 3
Passageiros: 90 a 112
Velocidade Maxima: 969 Km/h
Máxima(nível do mar): 850 Km/h
De cruzeiro: 895 Km/h
Autonomia standard /carregado : 11000 Km
Autonomia máxima / leve 11000 Km.
Altitude máxima: Não disponível


- - -

Forum de discussão

Esta aeronave é muitas vezes confundida com o VC-25A. Ele foi colocado ao serviço logo em 1974 e como o VC-25A é também um derivado do Boeing B747-200.

No entanto o E4B [1], ou «National Airborne Operations Center (NAOC)» é um posto de comando aéreo, destinado a ser utilizado pelo presidente dos Estados Unidos em caso de crise. Ao contrário do VC-25A, que é acima de tudo uma aeronave VIP de grande porte, o VC-25A é muito menos comodo e está equipado com uma variedade de sistemas de comunicações, entre os quais se encontra uma antena com 2.5km de comprimento, que permite efectuar ligações à rede de satelites militares dos Estados Unidos.

O «E4» é uma aeronave especialmente protegida e pode resistir mesmo aos disturbios electromagnéticos provocados por uma explosão nuclear. A blindagem da electrónica e dos sistemas de comunicações, aumentou o peso do avião.

Com capacidade para ser reabastecido em voo, a sua autonomia é apenas condicionada pela existência de víveres para a tripulação e pela necessidade de manutenção dis aviões, o que lhe permite voar «non stop» durante bastante tempo. Não há dados fiáveis sobre quanto tempo a aeronave pode estar no ar, tendo já efectuado oficialmente um voo de 33 horas.

Tal como o VC-25A, também no E4 foi aproveitado o espaço de carga no porão, pelo que na prática a aeronave tem três «decks».


Notas:
A primeira versão da aeronave foi a E4A, foi inicialmente equipada com motores Prat & Whitney JT9D-7R4G2. O primeiro E4B foi entregue em 1980

Informação genérica:
O projecto do Boeing 747 saíu de uma conversa casual entre o presidente da Boeing e o presidente da companhia de aviação Pan-Am, sobre a possibilidade de se construir uma aeronave de grande porte para transporte intercontinental de passageiros que eram quase monopolio da empresa norte-americana Pan-Am.

Na realidade, a origem do projecto encontra-se numa série de estudos e projectos para um grande avião de transporte estratégico, destinado a permitir o transporte de grande numero de homens e material dos Estados Unidos para a Europa em caso de necessidade e guerra entre a NATO e o Pacto de Varsóvia.

A Boeing participou nesses estudos, mas o projecto de grande aeronave de transporte estratégico escolhido foi o da Lockeed, que resultou no C-5 Galaxy.

Aproveitando os estudos que jná tinham sido iniciados e juntanto à aparente necessidade de um transporte comercial de grandes dimensões numa algura de boom nas viagens intercontinentais a Boeing lançou o projecto do B-747.

Tratou-se do mais revolucionário avião comercial de passageiros lançado até à altura, pois o maior avião de passageiros em serviço nos anos 60 era o Boeing B-707 que tinha capacidade para transportar 180 pessoas.

As aeronaves deste tipo dividem-se em:

B747-100
B747-200
B747-300
B747-400

Além destas versões, foram lançadas versões destinadas a transporte de carga e a funções especiais.

Os Estados Unidos operam o B-747 como aeronave de transporte VIP, como aeronave de comando aéreo e presentemente está em estudo o Laser aerotransportado, uma aeronave B-747 equipada com um Laser de alta potência, destinado a destruir com um raio de energia, mísseis na fase inicial do voo.

O Boeing B747-400 perdeu o título de maior avião comercial do mundo para o avião europeu Airbus A-380 . A Boeing ainda considerou a possibilidade de modificar o B-747 para prolongar o segundo «deck» da aeronave ao longo doe toda a fuselagem, mas os projectos foram cancelados.

-

   
---