Dados sobre utilizadores deste modelo
Reino Unido

Aeronaves do mesmo tipo ou relacionadas:

B-24D «Liberator»
Bombardeiro pesado / estratégico
B-24J «Liberator»
Bombardeiro pesado / estratégico

B-24J «Liberator»
Bombardeiro pesado / estratégico (Consolidated Aircraft)
B-24J «Liberator»

Dimensões:Motores/ Potência
Comprimento: 20.49 M
Envergadura: 33.55 M
Altura: 5.49
4 x motores P&W R-1830-65 14cyl.
Potência total: 4800 HP/CV
Peso / Cap. carga Velocidade / Autonomia
Peso vazio: 16425 Kg
Peso máximo/descolagem: 29510 Kg
Numero de suportes p/ armas: 0
Capacidade de carga/armamento: 3652 Kg
Tripulação : 10
Passageiros: a
Velocidade Maxima: 464 Km/h
Máxima(nível do mar): 440 Km/h
De cruzeiro: 345 Km/h
Autonomia standard /carregado : 1300 Km
Autonomia máxima / leve 3800 Km.
Altitude máxima: 8540 Metros


- - -

Forum de discussão

O B-24J foi o mais produzido de todos os B-24 fabricados durante a II Guerra Mundial.

A sua principal característica (herdada do modelo anterios B-24H) é a instalação de uma torreta no nariz da aeronave armada com duas metralhadoras calibre 12.7mm.

A aeronave tinha capacidade para transportar até 3.652kg de bombas, no entanto neste caso conseguia apenas voar durante 1.300km. Para conseguir transportar bombas no seu alcance máximo de cerca de 3.800km, ele poderia apenas transportar cerca de 1.200kg de bombas.

De notar que sem armamento e peso adicional, o B-24 Liberator tinha uma autonomia superior a 6.000km.


No total, foram produzidos 6.678 modelos da série B-24J:
- 1.587 pela Ford
- 536 pela North American
- 205 pela Douglas Aircraft
- 1.558 pela Consolidated (Fort Worth, Texas)
- 2.792 pela Consolidated (San Diego, California)

Informação genérica:
O bombardeiro pesado B-24 Liberator surgiu de um pedido da aviação militar dos Estados Unidos para uma aeronave mais moderna que o Boeing B-17 que tinha começado a ser desenvolvido a partir de 1934.

O pedido foi uma consequência do piorar da situação na Europa. O B-24 era resultado de um design mais sofisticado e mais poderoso que o B-17 «Flying fortress», e teria maior velocidade, mais autonomia e maior capacidade de transporte de bombas.
O B-24 foi produzido em várias versões e foi o bombardeiro pesado mais fabricado de toda a II Guerra Mundial, quase 20.000 unidades fabricadas.

O desenvolvimento data de Janeiro de 1939 e a aeronave tinha efectivamente maior autonomia e maior capacidade de carga, mas os seus motores Pratt & Whitney, embora com a mesma potência, foram considerados inferiores aos motores Wright dos B-17. O B-24 não atingia a mesma altitude e acima de tudo o avião era mais difícil de pilotar. Esta dificuldade foi provavelmente a principal razão que levou o B-24 a ser sempre preterido face ao mais antigo B-17.

No entanto, por ser mais recente o B-24 foi produzido em maior quantidade que qualquer outro bombardeiro pesado da II Guerra Mundial. Ainda em 1939 quando o projecto foi conhecido, tanto a França quanto a Grã Bretanha colocaram encomendas para um total de 284 aviões. Com a queda da França, a encomenda francesa foi transferida para a Grã Bretanha, com os primeiros modelos YB-24 a serem entregues. Os britânicos foram os primeiros a utilizar a aeronave, utilizando-a em voos de ligação de longo alcance entre a Escócia e o Canadá. Foram construídas várias séries conforme especificações dos britânicos.
Alguns B-24 chegaram a ser utilizados para patrulha e luta anti-submarina, tendo sido úteis na desesperada campanha contra os submarinos alemães.

A Força Aérea do exército norte-americano recebeu os seus primeiros B-24A (apenas 9 produzidos) em Junho de 1941, ainda antes de os Estados Unidos terem entrado na guerra.



O B-24 na fase inicial da guerra
Os primeiros B-24 a serem utilizados foram-no pelos britânicos. A Grã Bretanha e a França tinham encomendado quase 300 unidades, tendo as encomendas francesas sido transferidas para a Grã Bretanha com a queda da França no inicio de 1940.

Produção
São várias as versões do B-24, mas de entre essas destacam-se:

B-24D
Primeira versão de produção em massa com mais de 2700 unidades produzidas
B-24E
Virtualmente idêntico ao B-24D, produzidos pela Ford Motor Co no Michigam.
B-24G
Os primeiros aviões desta série eram idênticos aos anteriores, mas fabricado pela North American Aviation em Dallas (Texas). Notar que após os primeiros 20 produzidos, os restantes B-24G eram na realidade equivalentes ao B-24H, mas não receberam uma designação nova.
B-24H
Como ocorreu com o B-17, também o B-24 foi considerado deficiente no que respeitava a enfrentar os caças inimigos de frente. Por isso o nariz do avião foi completamente redesenhado, com a instalação de uma torreta hidraulica no nariz do avião (produzidos 3100 exemplares em três diferentes localizações).
B-24J
O mais fabricado de todos os modelos B-24, é um derivado do B-24H e foi fabricado em todas as cinco fábricas envolvidas na produção deste modelo. A Grã Bretanha recebeu mais de 1.000 unidades. A marinha dos Estados Unidos também recebeu o avião mas continuou a dar-lhe a mesma referência (PB4Y-1).
B-24L
Idêntico ao B-24J mas com uma torreta de cauda mais leve que permitia uma visão superior (1.667 produzidos, dos quais 417 pela Consolidated (San Diego) e os restantes 1.250 pela Ford).
B-24M
De todos os B-24 produzidos em quantidade significativa, o último foi o B-24M, que tinha uma torreta traseira com controlo remoto controlada electricamente. Foram produzidos 2.593 deles pela Consolidated (San Diego) e pela Ford (Willow Run).

No total, foram fabricados 18.482 bombardeiros B-24 de todas as séries.
Embora produzido em grandes números, o B-24 estava obsoleto no final da guerra, principalmente com a introdução do bombardeiro B-29, que também tornou obsoleto o B-17.
A obsolescência foi de tal forma significativa que em 1951, apenas um único B-24 estava ao serviço nos Estados Unidos.

-

   
---