Dados sobre utilizadores deste modelo
Estados Unidos da América

Aeronaves do mesmo tipo ou relacionadas:

B-47 «Stratojet»
Bombardeiro pesado / estratégico
B-52B «Stratofortress»
Bombardeiro pesado / estratégico
B-52G/H «Stratofortress»
Bombardeiro pesado / estratégico
B-1B «Lancer»
Bombardeiro pesado / estratégico
B-2 «Spirit»
Bombardeiro pesado / estratégico

Notícias relacionadas
NEW START ratificado pelo senado americano


B-52G/H «Stratofortress»
Bombardeiro pesado / estratégico (Boeing)
B-52G/H «Stratofortress»

Dimensões:Motores/ Potência
Comprimento: 48.5 M
Envergadura: 56.4 M
Altura: 12.4
8 x motores Pratt & Whitney TF33-P-3/103
Potência total: 61200 Kgf
Peso / Cap. carga Velocidade / Autonomia
Peso vazio: 83250 Kg
Peso máximo/descolagem: 219600 Kg
Numero de suportes p/ armas: 4
Capacidade de carga/armamento: 31500 Kg
Tripulação : 5
Passageiros: a
Velocidade Maxima: 1040 Km/h
Máxima(nível do mar): Não disponível
De cruzeiro: 0 Km/h
Autonomia standard /carregado : 10000 Km
Autonomia máxima / leve 14000 Km.
Altitude máxima: 15150 Metros


- - -

Forum de discussão

A última versão do B-52 foi a versão B-52H, muitos dos quais chegaram ao Século XXI.
Tanto o B-52G como o B-52H ficaram conhecidos na força aérea norte americana como «Short Tail» ou cauda curta, por causa de possuirem um leme mais pequeno relativamente aos modelos anteriores.

Tanto os B-52H como os B-52G foram sendo modificados ao longo dos anos, garantindo uma capacidade de ataque à Força Aérea dos Estados Unidos, que nenhuma outra Força Aérea possui.

O B-52H caracteriza-se pela inclusão de um canhão tipo «Gatling» na traseira da aeronave, enquanto que as versões anteriores estavam equipadas com quatro canhões

Informação genérica:
Durante a II guerra mundial, o principal meio de bombardeamento estratégico disponível era o bombardeiro pesado. A Alemanha iniciou com as suas bombas voadoras V2, o primeiro bombardeamento estratégico da História, mas a carga transportada pelas ogivas não era suficiente e o número de mísseis demasiado reduzido para ter efeito.

Depois da II guerra mundial, tanto os Estados Unidos quanto a União Soviética desenvolveram várias séries de bombardeiros estratégicos, destinados a atacar os inimigos utilizando cargas nucleares.

O fim do bombardeiro pesado estratégico no entanto, chegou com o advento dos mísseis balísticos de longo alcance, capazes de transportar várias ogivas e de ter uma capacidad destrutiva superior à de qualquer bombardeiro.

Os norte-americanos desenvolveram e construiram vários bombardeiros pesados depois de terem produzido o B-17 Flying fortress, o B-24 Liberator e do B-29 Super Flying fortress.

Foram vários os bombardeiros norte-americanos do pós guerra, de entre os quais se destacam:

B-47 Stratojet
O primeiro bombardeiro estratégico a jato


B-52 Stratofortress
Projectados no inicio dos anos 50, os primeiros bombardeiros estratégicos B-52 do SAC (Strategic Air Command) entraram ao serviço em 1956.

A aeronave é essencialmente um bombardeiro de longo alcance e grande altitude projectado para transportar bombas atómicas.

Os B-52, inicialmente concebidos para lançar bombas atómicas e posteriormente mísseis de médio alcance, foram sendo modificados ao longo dos anos e aprimorados com novos sistemas, electrónica, armas e novas capacidades que permitiram que a aeronave continuasse actualizada.

As versões e séries produzidas são as seguintes:
B-52A - Apenas 3 fabricados, utilizados como plataforma de teste experimental.
B-52B - 23 unidades fabricadas, mais 27 com capacidade para reconhecimento a grande altitude (RB-52B).
B-52C - 35 unidades produzidas.
B-52D - 170 unidades produzidas.
B-52E - 100 unidades produzidas
B-52F - 89 unidades produzidas
B-52G - 193 unidades produzidas
B-52H - 102 unidades produzidas
A última versão produzida do B-52, foi a B-52H que começou a ser entregue em Outubro de 1962.
A maioria dos B-52 que chegaram ao século XXI são aeronaves desta versão.


B-58 Hustler

B-1B Lancer

B-2 «Spirit»

-

   
---