Dados sobre utilizadores deste modelo
Ucrania
Angola
Siria
Libia
Irão
Argelia
Russia
Russia

Aeronaves do mesmo tipo ou relacionadas:

Sukhoi Su-24 «Fencer-A»
Caça bombardeiro
Sukhoi Su-24M «Fencer D»
Caça bombardeiro

Sukhoi Su-24M «Fencer D»
Caça bombardeiro (UAC-KnAAPO)
Sukhoi Su-24M «Fencer D»

Dimensões:Motores/ Potência
Comprimento: 22.67 M
Envergadura: 17.63 M
Altura: 6.19
2 x motores Saturn/Lyulka AL-21F-3A
Potência total: 22200 Kgf
Peso / Cap. carga Velocidade / Autonomia
Peso vazio: 22300 Kg
Peso máximo/descolagem: 39700 Kg
Numero de suportes p/ armas: 9
Capacidade de carga/armamento: 8000 Kg
Tripulação : 2
Passageiros: a
Velocidade Maxima: 1550 Km/h
Máxima(nível do mar): 1340 Km/h
De cruzeiro: 950 Km/h
Autonomia standard /carregado : 615 Km
Autonomia máxima / leve 2000 Km.
Altitude máxima: 11000 Metros


- - -

Canhões / Metralhadoras
- 1 x 23mm GSh-23 (Calibre: 23 )

Forum de discussão

A segunda versão do Su-24, começou a ser estudada quando os primeiros modelos começaram a ser entregues à aviação soviética. O seu desenvolvimento decorreu ao longo de cerca de dez anos. Os primeiros protótipos do Su-24M voaram em 1977 e entrou ao serviço em 1983.

Entre os objectivos do novo modelo estava o aumento da autonomia do Su-24 inicial, pois o consumo dos motores AL-21F dava ao Su-24 um alcance muito pequeno mesmo para o teatro de operações europeu.
O Su-24M (Fencer-D) mantinha uma autonomia relativamente reduzida quando completamente carregado, mas passava a ter capacidade de reabastecimento em voo. Aliás a sonda de reabastecimento em voo, é a característica mais distintiva do Fencer-D relativamente à versão original.

Ao nível dos sistemas electrónicos integrados, o Su-24 continuou a ser uma aeronave bastante sofisticada para a realidade soviética. Ele foi o primeiro avião de ataque soviético a possuir um sistema de navegação automático capaz de seguir o terreno, com base num radar e incorporou um novo sistema de ataque com capacidade para utilizar mísseis guiados por laser ou por TV.

Su-24MK O Fencer-D foi produzido numa versão de exportação mais económica e adequada para vários clientes da então União Soviética, como a Argélia.

Informação genérica:
A URSS tinha percebido depois da guerra da Coreia nos anos 50, que os bombardeiros leves e médios, especializados como os IL-28 eram demasiado lentos e pouco manobráveis para a função. Desde os anos 50 que aeronaves desenhadas para a função de caça-interceptor tinham sido adaptadas para operar como bombardeiros leves, mas com resultados pouco animadores.
Se a capacidade do caça Su-7 «Fitter» (que entrou ao serviço nos anos 60) para operar como aeronave de bombardeamento, foi apreciada pelos militares soviéticos, foi evidente logo na altura da aceitação do modelo, que o avião era apenas uma solução intermédia até que a forças aéreas soviéticas pudessem contar com uma aeronave desenhada para a função de ataque.

Os técnicos do gabinete Sukhoi começaram a desenvolver o projecto T-6 (designação do Su-24) ainda no inicio dos anos 60 e ele foi na verdade o primeiro caça-bombardeiro puro fabricado pela União Soviética e responde finalmente ao requisito da aviação frontal soviética. A sua concepção teve inicio no inicio dos anos 60 com o objectivo de substituir e complementar as aeronaves desenhadas como caças que tinham sido adaptadas para a função de bombardeiro ligeiro.

Quando entrou ao serviço, o Su-24 era o mais sofisticado avião da aviação frontal soviética, principalmente por causa dos sistemas de sensores que incorporava, os quais eram mais sofisticados que os instalados em qualquer outro caça ou bombardeiro daquele país.

Ele foi o primeiro avião da União Soviética com capacidade de ataque em qualquer tipo de condição atmosférica e de visibilidade, podendo ser utilizado de dia ou de noite.

Distinguem-se várias versões do Su-24.

As primeiras três:
Su-24 «Fencer A»
Su-24 «Fencer B»
Su-24 «Fencer C»

Depois, durante os anos 80 foi lançada uma versão modernizada conhecida como Su-24M ou «Fencer-D» na designação NATO.

Su-24M «Fencer D»
Su-24MK «Fencer D» Versão com equipamentos menos sofisticados e mais económica, destinada à exportação. Esta versão foi igualmente utilizada pela aviação frontal soviética e também pela russa.
O Fencer-D em termos de capacidade ofensiva foi considerado no ocidente como pelo menos duas vezes e meia mais eficiente que o «Fencer» nas versões A, B e C.

Foi tambem concebida uma versão de reconhecimento com armamento mínimo e equipada com cameras:

Su-24MR

-

   
---