Dados sobre utilizadores deste modelo
Espanha
Portugal



Aeronaves do mesmo tipo ou relacionadas:

C-130H-30
Aeronave de transporte médio
C-130H
Aeronave de transporte médio
C-130J «Super Hercules»
Aeronave de transporte médio

C-130H-30
Aeronave de transporte médio (Lockeed Martin)
C-130H-30

Dimensões:Motores/ Potência
Comprimento: 34.36 M
Envergadura: 40.41 M
Altura: 11.65
4 x motores Rolls Royce/Allison T-56A
Potência total: 19800 Kgf
Peso / Cap. carga Velocidade / Autonomia
Peso vazio: 36000 Kg
Peso máximo/descolagem: 70000 Kg
Numero de suportes p/ armas: 0
Capacidade de carga/armamento: 16000 Kg
Tripulação : 2+4
Passageiros: 92 a 128
Velocidade Maxima: 589 Km/h
Máxima(nível do mar): Não disponível
De cruzeiro: 547 Km/h
Autonomia standard /carregado : 3800 Km
Autonomia máxima / leve 6480 Km.
Altitude máxima: Não disponível


- - -

Radares
- Northrop-Grumman/Westinghouse AN/APN-241 - Multi-modo/Pulso Dopler (Alcance médio: 22Km)

Forum de discussão

Versão do C-130H, à qual foi acrescentada uma secção de cerca de 4,5 metros. A aeronave mantem as mesmas caracteristicas da versão curta, mas embora tenha mais espaço interior tem menor capacidade de carga máxima.

Esta versão foi utilizada por vários países, entre os quais Portugal. Aeronaves C-130H podem ser sujeitas à modificação, a qual é feita na Europa pela empresa OGMA e nos Estados Unidos pelo próprio fabricante.

Informação genérica:
O Hercules C-130 é o resultado da análise que os norte-americanos fizeram da utilização dos seus transportes do tipo C-119 e C-47 (designação militar do DC-3), os quais não eram considerados suficientes para as necessidades de transporte aéreo da guerra moderna, especialmente durante e após o conflito na Coreia.

A força aérea dos E.U.A. emitiu uma especificação para uma nova aeronave, que deveria ter capacidade para o transporte de 92 passageiros, transportando 72 militares completamente armados ou 64 paraquedistas a uma distância de até 2.000km. O avião teria que ter capacidade para operar a partir de pistas rudimentares e de reduzidas dimensões.

Após estudos e avaliações entre os vários projectos concorrentes, a opção foi pelo modelo inicialmente conhecido como L-206, que mais tarde viria a ser conhecido como C-130 «Hercules» cuja primeira versão será conhecida como C-130A.

O primeiro voo foi efectuado em 23 de Agosto de 1954. Desde o inicio as aeronaves receberam quatro motores Allison T-56 (versão T-56-A-9) com três pás. Os primeiros C-130ª foram entregues em 1956.

C-130B
A segunda versão do C-130, foi introduzida em 1959. As inovações não foram muito significativas, apenas com alterações nos ailerons, e uma alteração nos motores que tiveram a sua potência aumentada e receberam quatro pás em vez de três.

C-130E
O modelo «E» foi apenas um modelo «B» adaptado com combustível adicional, na tentativa de aumentar o alcance máximo da aeronave, que recebeu uma versão ligeiramente melhorada do motor Allison T-56 (série A-7A).

Uma derivação desta série resultou no KC-130 (que chegou a ser designado C-130F) e que serve para reabastecimento de aeronaves em voo.

C-130H
Introduzido em 1974, este modelo do C-130 incluiu alterações principalmente ao nível dos sistemas de voo e auxiliares à navegação. O modelo «H» continua a ser um dos modelos mais utilizados e várias forças aéreas que possuíam versões mais antigas, converteram muitas das suas aeronaves para o padrão C-130H. A aeronave também foi vendida para o Reino Unido, conde é conhecida como C-130K.

Existe um tipo de C-130H que recebeu duas secções adicionais, uma de 254cm à frente, e outra de 203cm atrás das asas, aumentando a dimensão do avião e 457cm. Essa versão é conhecida como C-130H-30.

C-130J
A mais recente derivação desta família de aeronaves de transporte é o C-130J. Trata-se basicamente do mesmo avião, com a electrónica completamente modernizada, e com novos motores Rolls Royce AE-2100D3, que elevam a potência da aeronave para 18.500cv e a velocidade máxima para mais de 650 km/h.

O Hércules C-130J, também pode ser fornecido na versão C-130J-J30, com uma secção adicional de 4.5 metros, como ocorre no C-130H-H30.

No entanto, o desenvolvimento desta versão da aeronave parece ter sido custoso e a idade do projecto começa a pesar. Vários fabricantes, entre os quais a brasileira Embraer, apresentaram já projectos de aeronaves com motor a jacto, que se destinam a substituir os modelos da família C-130J.

-

   
---