Dados sobre utilizadores deste modelo
Estados Unidos da América

Aeronaves do mesmo tipo ou relacionadas:

AH-64 «Apache»
Helicóptero de ataque
AH-64D «Apache Longbow»
Helicóptero de ataque

Notícias relacionadas
Helicópteros franco-britânicos em acção na Libia


AH-64D «Apache Longbow»
Helicóptero de ataque (Boeing)
AH-64D «Apache Longbow»

Dimensões:Motores/ Potência
Comprimento: 15.5 M
Envergadura: 14.6 M
Altura: 3.8
2 x motores T700 GE-701C
Potência total: 3600 HP/CV
Peso / Cap. carga Velocidade / Autonomia
Peso vazio: 5352 Kg
Peso máximo/descolagem: 9525 Kg
Numero de suportes p/ armas: 4
Capacidade de carga/armamento: 1500 Kg
Tripulação : 2
Passageiros: a
Velocidade Maxima: 309 Km/h
Máxima(nível do mar): 265 Km/h
De cruzeiro: 293 Km/h
Autonomia standard /carregado : 407 Km
Autonomia máxima / leve 482 Km.
Altitude máxima: 6400 Metros


- - -

Canhões / Metralhadoras
- 1 x 30mm M230 (Calibre: 30 )

Forum de discussão

O «Longbow» é a versão mais recente do «Apache» e é presentemente o mais sofisticado helicóptero de ataque do mundo. Ele começou a ser desenvolvido após a primeira guerra do golfo e pretendeu ser uma modernização do anterior.

Exteriormente o modelo AH-64D caracteriza-se pelo radar director de tiro «Longbow» instalado no topo do rotor principal e que deu o novo nome ao helicóptero.

Os novos sistemas destinam-se a permitir a utilização mais eficiente das versões mais recentes dos mísseis Hellfire, uma delas propositadamente desenhada para este modelo. A aeronave pode operar em condições de mau tempo e mesmo de noite, no limite do alcance do míssil.
O «Apache Longbow» pode disparar os seus mísseis anti-tanque contra alvos inimigos, mesmo pairando por detrás de uma linha de árvores ou de uma colina.

No seu conjunto, o radar «AN/APG-78 Longbow» juntamente com o novo sistema de controlo de tiro e gestão de dados de combate, com novos displays com monitores «touch screen», permitem ao Apache AH-64D monitorizar 256 alvos, determinar as dez principais ameaças e disparar simultaneamente os seus mísseis contra essas ameaças.

O Apache Longbow, também recebeu novos motores (motores que também foram instalados em modelos «A» reconvertidos)

Estima-se que a letalidade do Apache «Longbow» seja vinte e oito vezes superior à da versão anterior.
Os primeiros AH-64D «Apache Longbow» foram entregues em Março de 1997.

Críticas
O programa não deixou de ter os seus críticos e entre as principais críticas dirigidas ao sistema está a sua inerente complexidade, que torna a formação de pilotos extremamente cara e aumenta o custo de operação das aeronaves.

Comportamento operacional
O AH-64D «Longbow» foi utilizado em vários teatros de operações, e os resultados foram normalmente considerados superiores aos obtidos com o modelo AH-64A originais.

Foi confirmada a destruição e mais de 300 carros de combate durante a invasão do Iraque em 2002, embora muitos mais tenham sido reclamados.



Está prevista a continuação da modernização dos Apache ao serviço. Entre as modernizações está a substituição dos motores por novas unidades com uma potência total de 6,000hp.

As prestações indicadas sobre o Apache Longbow, dizem sempre que possivel, respeito à aeronave com o radar instalado. Por esta razão, valores como velocidade máxima são inferiores no «Longbow» quando comparados com a versão anterior.
Sem o radar «Longbow» o modelo AH-64D tem prestações ligeiramente superiores ao AH-64A, por causa dos seus motores mais potentes.

Informação genérica:
O AH-64 começou a ser estudado no final dos anos 60 como substituto para o AH-1 «Cobra». A experiência da guerra do Vietname parecia apontar para a necessidade de possuir helicópteros de ataque especialmente protegidos, pelo que o AH-64 foi pensado para garantir a protecção dos seus dois operadores (piloto e operador de armamentos).

O AH-64 «Apache» foi selecionado pelo exército dos Estados Unidos em 1976, tendo sido produzidos os dois primeiros modelos de pré produção até que em 1982 a aeronave enrou finalmente em produção

O Apache foi pensado como helicóptero de ataque destinado a flagelar as forças de blindados inimigas, carros de combate e viaturas de apoio,
Ele era a arma anti-tanque que os países da NATO deveriam utilizar para deter um possível ataque macisso por parte dos países do Pacto e Varsóvia. Os sensores do helicóptero podiam detectar tanques inimigos a grandes distâncias e atingi-los com os seus mísseis «Hellfire».

Foram inicialmente colocadas encomendas para 536 unidades, tendo posteriormente esse número sido reduzido para 446, ao custo de 13 milhões de dolares por unidade a preços de 1981, tendo o preço atingido 16 milhões no ano seguinte (incluindo os custos de desenvolvimento).
O custo da aeronave foi um problema desde o inicio, e ele foi logo quando lançado, o mais caro helicóptero de combate da História.

Desde que foi introduzido, que o Apache apresenta um grande número de vantagens face aos seus potenciais concorrentes. Ele estava armado com um canhão M230 de 30mm de tiro rápido, que não era maior que o instalado em helicópteros soviéticos contemporâneos, mas pela primeira vez, o canhão do helicóptero estava ligado ao sistema de visão do capacete do operador de armamento, o que somado a uma parafernália de sensores, tornava a aeronave numa arma letal.

Ele esteve presente na primeira guerra do golfo, e como resultado dessa guerra foram adicionados novos sistemas durante o programa que se seguiu e que resultou no AH-64D «Apache Longbow».

O «Longbow» incluiu várias modificações que já tinham sido propostas para a versão AH-64B.

-

   
---