Dados sobre utilizadores deste modelo
França
Israel
Estados Unidos da América

Aeronaves do mesmo tipo ou relacionadas:

E-2C «Hawkeye»
Aeronave de Vigilância Aérea Antecipada

E-2C «Hawkeye»
Aeronave de Vigilância Aérea Antecipada (Northrop-Grumman/Westinghouse)
E-2C «Hawkeye»

Dimensões:Motores/ Potência
Comprimento: 17.6 M
Envergadura: 24.6 M
Altura: 5.6
2 x motores Allison T-56-A427
Potência total: 10200 c
Peso / Cap. carga Velocidade / Autonomia
Peso vazio: 17859 Kg
Peso máximo/descolagem: 24161 Kg
Numero de suportes p/ armas: 0
Capacidade de carga/armamento: Kg
Tripulação : 2+3
Passageiros: a
Velocidade Maxima: 626 Km/h
Máxima(nível do mar): 550 Km/h
De cruzeiro: 400 Km/h
Autonomia standard /carregado : 2500 Km
Autonomia máxima / leve 3500 Km.
Altitude máxima: Não disponível


- - -

Radares
- Lockeed Martin AN/APS-145 - Pesquisa aérea (Alcance médio: 312Km)

Forum de discussão

O E-2C é uma versão do avião de aviso aéreo antecipado «Hawkeye» lançada nos anos 70, e que tem vindo a ser modernizada ao logo dos últimos anos, de forma a manter a sua operacionalidade.

O próprio E-2C foi sendo submetido a diversas modificações que o mantiveram como uma das mais eficientes aeronaves de aviso aéreo antecipado. Os radares foram sendo modificados, passando-se do AN/APS-138 para o AN/APS-139, até ao actual AN/APS-145 que equipa os E-2C mais recentes.

Esta versão tem capacidades e alcance idênticos aos do radar AN/APY-2 que equipa os sistemas AWAC, baseados em aeronaves Boeing B-707 ou B-767. O E-2C consegue aliás ser mais eficiente que aquele na detecção de alvos terrestres. No entanto, a sua autononomia não se pode comparar com a da aeronave baseada em terra.

O Hawkeye é o mais importante avião a bordo de um porta-aviões. Ele é normalmente o que mais voa e o que se encontra a maior distância do navio. Vários E-2C são transportados a bordo de um porta-aviões do tipo Nimitz. Em caso de guerra deve ser possível manter permanentemente um E-2 Hawkeye no ar.

O Hawkeye estabelece contacto com os sistemas de defesa Aegis dos cruzadores e contratorpedeiros norte-americanos.

Mas o Hawkeye não utiliza apenas os dados dos seus radares. Ele pode ter acesso aos dados de outros sensores, como o dos aviões de caça F/A-18E embarcados.

Apenas os Estados Unidos e a França utilizam este tipo de aeronave a partir de porta-aviões, sendo os únicos países do mundo que de facto possuem navios com capacidde para os operar.

Informação genérica:
As aeronaves do tipo E-2 Hawkeye são muitas vezes esquecidas e ficam para segundo plano nas análises sobre as capacidades das aeronaves ou nas análises sobre navios de guerra. No entanto poucos aviões, podem fazer pender a «sorte» de um combate naval para o seu lado de forma tão determinante quanto o «Hawkeye».

Concebido para substituir vários tipos de aeronave de vigilância marítima, o Hawkeye voou pela primeira vez em 21 de Outubro de 1960, equipado com dois motores Allison T56-A-8 (3021kW). Ele substituiu o E-1B «Tracer», que era uma derivação da aeronave embarcada de luta anti-submarina «Tracker».

A sua introdução ao serviço da marinha norte-americana representou um grande passo em frente, nomeadamente por causa do seu raio de acção operacional e da velocidade mais elevada.

Equipado com o radar AN/APS-96, cuja antena roda seis vezes por minuto, a aeronave era um radar de grande potência colocado a grande altitude e concedendo ao comando de uma esquadra uma visão de 360º
As necessidades decorrentes da operação no reduzido espaço de um porta-aviões implicaram a necessidade de utilizar asas dobráveis por causa do espaço no hangar e um leme traseiro com quatro elementos verticais em vez de um único, por causa da altura disponível.

Os E-2A «Hawkeye», a prmeira versão, foram utilizados pela primeira vez operacionalmente no final de 1965 no golfo de Tonquim na costa do Vietname. As aeronaves voavam em coordenação com os caças A4 «Phantom» e F8 «Crusader».

Os E-2B «Hawkeye», são o resultado dos ensinamentos da guerra no Vietname e receberam pela primeira vez computador de gestão de dados de combate. Eles começaram a voar pela primeira vez, ainda em 1969.

A terceira versão da aeronave, o E-2C «Hawkeye» começou a ser desenvolvida muito pouco tempo depois, pelo que o primeiro voo do E-2C ocorreu logo em Janeiro de 1971, com as primeiras unidades a serem entregues em Setembro de 1974.

As qualidades da aeronave permitiam a sua utilização não apenas pela marinha dos Estados Unidos, mas também por países estrangeiros, como foi o caso de Israel que adquiriu seis unidades durante os anos 70. Em colaboração com os caças F-15 «Eagle» Kfir-C2, eles conseguiram por exemplo localizar e abater oito caças MiG-21 sírios, pouco depois de as aeronaves russas terem descolado.

O E-2C Hawkeye continua ao serviço, mas tem sido completamente modificado e modernizado, com a inclusão de novos sistemas e de novos radares principais.

E-2 «Greyhound»
Uma versão desta aeronave foi concebida para permitir o transporte entre um porta-aviões e uma pista em terra.

-

   
---