Aeronaves do mesmo tipo ou relacionadas:

Spitfire Mk.I
Avião de caça
Spitfire Mk.V
Avião de caça
Spitfire Mk IX
Caça interceptor
Spitfire Mk.XIV
Avião de caça
Sptfire Mk XXII
Avião de caça

Sptfire Mk XXII
Avião de caça (Supermarine)
Sptfire Mk XXII

Dimensões:Motores/ Potência
Comprimento: 9.96 M
Envergadura: 11.25 M
Altura: 4.11
1 x motores Griffon-64
Potência total: 2375 HP/CV
Peso / Cap. carga Velocidade / Autonomia
Peso vazio: 3130 Kg
Peso máximo/descolagem: 4173 Kg
Numero de suportes p/ armas: 2
Capacidade de carga/armamento: 900 Kg
Tripulação : 1
Passageiros: a
Velocidade Maxima: 731 Km/h
Máxima(nível do mar): Não disponível
De cruzeiro: 0 Km/h
Autonomia standard /carregado : 0 Km
Autonomia máxima / leve 0 Km.
Altitude máxima: 12260 Metros


- - -

Canhões / Metralhadoras
- 4 x 20mm Hs.404 (Calibre: 20 )

Forum de discussão

O Spitfire Mk.XXII, bem como o modelos anterior Mk.XXI e o modelo seguinte Mk.XXIV representam o último desenvolvimento da família de caças Spitfire.

O desenvolvimento desta aeronave foi feito a partir do Spitfire Mk.IV com o objectivo de permitir construir uma aeronave à volta do motor Griffon (inicialmente Griffon-61 e posteriormente o Griffon-64). O desenvolvimento do modelo foi lento e prevendo isso, para evitar atrasos, a Royal Air Force optou por introduzir uma aeronave interina, que também utilizava o motor Griffon, mas que não fora aprimorada. Essa aeronave foi o Spitfire Mk.XIV.

Além de uma hélice com 5 pás, o modelo estava armado com quatro canhões de 20mm e tinha capacidade para transportar bombas. Embora inicialmente este modelo tenha utilizado as asas dos restantes Spitfire, também foi desenvolvida uma nova asa para os modelos de série.

Por se tratar de uma nova configuração e praticamente de um «novo» avião, ocorreram vários atrasos. O primeiro voo teve lugar a 4 de Outubro de 1942 e o segundo voo mais de nove meses depois em 24 de Julho de 1943. A continuação dos problemas com o desenvolvimento levaram a mais atrasos de que resultou uma entrada ao serviço apenas em Abril de 1945, alguns dias antes da rendição da Alemanha.
Apenas 120 exemplares do Mk.XXI foram produzidos, tendo sido substituido nas linhas de montagem pelo modelo Mk.XXII
Esse modelo incorporou uma fuselagem remodelada, com uma carlinga em bolha, que permite aliás distinguir os modelos deste tipo dos anteriores [1]. Foram produzidos 287 exemplares desta série.

O Mk.XXIV foi o último dos Spitfire. Distinguia-se do Mk.XXII por possuir dois tanques auxiliares de combustível na parte traseira da fuselagem e um leme traseiro de maiores dimensões.

Apenas 54 exemplares deste modelo foram produzidos

[1] - Embora se possa estabelecer alguma confusão com os Spitfire Mk.XIV-E que também receberam o mesmo tipo de carlinga.

Informação genérica:
O Spitfire foi o sucessor do projecto «Type 224» desenvolvido por Reginald Mitchell como resposta a uma especificação emitida em 1930 para um caça monoplano, monolugar.
O Spitfire foi inicialmente conhecido como «Type 300» e era equipado com um motor Rolls Royce PV12, mais tarde conhecido como motor «Merlin».

A produção do Spitfire Mk.1 começou em Junho de 1936 mas as primeiras unidades só foram entregues em 1938.

É o Spitfire Mk.I que a Grã Bretanha utilizará durante a batalha de Inglaterra, já que as entregas do Spitfire Mk.2 começaram apenas em Junho de 1940, com a utilização de um motor mais potente, o Merlin XII de 1175cv.

Ainda antes de o Spitfire Mk.2 começar a ser entregue já tinham começado em Março de 1940 os testes do Spitfire Mk.3 com uma asa menor, um motor Merlin XX e a roda traseira retractil.
Os planos para produzir o Spitfire Mk.3 foram cancelados com o desenvolvimento do Spitfire Mk.5.
Este modelo, era basicamente um Mk.1, equipado com um motor com uma potência de 1470cv (a 2820m de altitude) e voou pela primeira vez em Dezembro de 1940. Foram produzidos 6487 Spitfire Mk.5, 150 dos quais foram Mk.1 convertidos.

O Spitfire Mk 6 foi o modelo seguinte e começou a ser entregue no inicio de 1942. Ele era um Mk. 5 com um novo motor, mas o numero produzido foi relativamente pequeno.

Surgiram entretando modelos intermédios, conhecidos como Spitfire Mk. 9 e Spitfire Mk. 14.
Estes aviões (embora a sua nomenclatura possa induzir em erro) são menos sofisticados que os Spitfire Mk 7 e Mk. 8 que vão surgir depois.

Estes dois modelos, correspondem a Spitfire Mk.5, novos ou modificados com o motor Merlin-61 (produzidos 5,656 novos e 282 convertidos). As entregas destes modelos «provisórios» ocorreram a partir de Julho de 1942

O mesmo avião Mk5, utilizando o motor Packard-Merlin-266 fabricado nos Estados Unidos foi conhecido como Spitfire Mk.14 e 1.054 deles foram produzidos e entregues a partir de Outubro de 1944.

Entretanto, a Supermarine estudava alterações mais profundas no desenho básico do Spitfire e dessas alterações resultou o Spitfire Mk. 7, um avião feito propositadamente para alojar o motor Merlin-60.

O Spitfire Mk, 7 era já considerado um caça especializado para combate a grande altitude, com cabine pressurizada, enquanto o Mk. 8 era considerado caça para combate aéreo a baixa altitude.

Foram também desenvolvidos outros modelos como provisórios. Foi o caso do Mk.12, equipado com um motor de 1735cv Rolls Royce Griffon, tendo sido produzidas 100 unidades que entraram ao serviço em 1943.

Os Spitfire Mk 14 e Mk 18 foram outros modelos que serviram como estudo da utilização do motor Griffon, cuja versão definitiva só seria vista nos modelos Mk. 21, Mk.22 e Mk.24 que seriam os últimos Spitfire produzidos.

-

   
---