Dados sobre utilizadores deste modelo
Estados Unidos da América
Brasil



Aeronaves do mesmo tipo ou relacionadas:

P-80A «Shooting Star»
Avião de caça
F-80C «Shooting Star»
Avião de caça
T-33A «Shooting Star»
Aeronave de treino

F-80C «Shooting Star»
Avião de caça (Lockeed Martin)
F-80C «Shooting Star»

Dimensões:Motores/ Potência
Comprimento: 10.49 M
Envergadura: 11.81 M
Altura: 3.43
1 x motores Allison J33-A35
Potência total: 2448 Kgf
Peso / Cap. carga Velocidade / Autonomia
Peso vazio: 3819 Kg
Peso máximo/descolagem: 5738 Kg
Numero de suportes p/ armas: 2
Capacidade de carga/armamento: 900 Kg
Tripulação : 1
Passageiros: a
Velocidade Maxima: 965 Km/h
Máxima(nível do mar): Não disponível
De cruzeiro: 660 Km/h
Autonomia standard /carregado : 1000 Km
Autonomia máxima / leve 1930 Km.
Altitude máxima: 14000 Metros


- - -

Canhões / Metralhadoras
- 6 x 12.7mm Browning M2 (Calibre: 12.7 )

Forum de discussão

O caça F-80C foi o mais produzido de todos os «Shooting Star» com 798 exemplares saídos da fábrica. 50 exemplares foram entregues à marinha norte-americana para testes.
A somar ao total de caças produzidos, há um grande numero de P-80A e P-80B que foram convertidos para o padrão F-80C.
A segurança foi tida em consideração, com a inclusão de um assento ejectável e pela primeira vez um dispositivo que fazia explodir a carlinga, facilitando a ejecção do piloto.
As modificações e melhoramentos introduzidos no modelo F-80C, deram aos pilotos um considerável grau de confiança até ao final dos anos 40, sendo p F-80C um dos caças preferidos.

O F-80 era o principal caça americano durante a fase inicial da guerra da Coreia. Nas primeiras semanas do conflito, os F-80 estavam limitados pelo alcance operacional resultado de precisarem de uma pista com 2100m para descolar com carga máxima, mas ainda assim conseguiam manter a superioridade aérea. A construção apressada de pistas mais longas, permitiu a utilização do F-80 como caça-bombardeiro.

Durante os primeiros cinco meses da guerra, o dominio aéreo norte-americano permitiu deter a ofensiva norte-coreana, que tinha chegado a controlar praticamente toda a Coreia, com excepção de Pusan, onde estava a principal base norte-americana. Além disso, depois do ataque inicial, os norte-americanos efectuaram um contra-ataque devastador, com um desembarque aeronaval, que fez ruir a frente norte-coreana.

O F-80, foi um dos mais importantes meios utilizados pelos norte-americanos não só para deter o avanço da Coreia do Norte como também para apoiar a contra-ofensiva que permitiu avançar para norte, tomando mesmo a capital Pyongiang.

Caça-bombardeiro
O reduzido alcance operacional do F-80, impedia os caças de operar eficazmente na Coreia. Isso levou à construção de pistas em território coreano, para permitir a operação dos F-80.

Como os americanos estabeleceram o total dominio aéreo sobre os céus da Coreia, logo nas semanas seguintes ao inicio do conflito, varrendo dos ceus os caças Yak-7 / Yak-9 e os bombardeiros IL-10, o F-80C ficou então disponível e sem uma missão clara para efectuar.

Dessa disponíbilidade resultou a utilização do caça para operações de apoio aéreo como bombardeiro ligeiro. O F-80 tinha vantagem sobre os P-51/F-51 porque a rapidez da resposta ao pedidos de apoio aéreo era muito superior.
É por isso que entre Julho e Novembro de 1950 os F-80 passam a ser cada vez mais utilizados como aviões de apoio táctico. Esse tipo de missão era portanto já comum, mesmo antes da chegada dos MiG-15, que só ocorreu em Novembro desse ano.

É o perigo de colapso iminente da Coreia do Norte, que força os soviéticos a lançar no conflito o seu maior trunfo, o caça MiG-15, com o qual se devia quebrar o dominio aéreo absoluto dos norte-americanos.

Embora o primeiro recontro entre um MiG-15 e um F-80C tenha sido favorável aos americanos, logo que o recontro terminou e os pilotos fizeram o seu relatório, uma frase determinou o futuro do caça F-80C na Coreia: «The F-80 is no match for the MiG» ou seja, o F-80 não é páreo para o MiG.

A asa em ângulo recto já tinha demonstrado não ser a melhor solução para um avião a jacto e os MiG-15 soviéticos mostraram essas vantagens de forma clara. Além disso, o MiG-15 mostrava ter uma velocidade de ascenção absolutamente superior ao F-80C. Essa superioridade era tão evidente, que logo que ocorressem novos recontros o piloto do MiG apenas tinha que subir rapidamente e afastar-se do caça americano.

Apesar de ainda não terem sido perdidos aviões, em 11 de Novembro de 1950, apenas três dias depois do primeiro recontro entre os F-80 e os caças MiG-15, os comandos norte-americanos ordenam o envio para a Coreia do primeiro esquadrão de caças F-86A «Sabre», que substituirá o F-80C como caça de superioridade aérea.

No entanto, o F-80C, que já tinha vindo a ser utilizado como caça bombardeiro táctico, continuou a ser empregue nessa função ao longo do conflito, com bastante sucesso.
Após a guerra na Coreia os F-80 ainda ficaram ao serviço nas forças da Guarda Nacional e foram vendidos a vários países aliados, nomeadamente na América Latina.

Informação genérica:
O desenvolvimento do XP-80 começou em 23 de Junho de 1943, quando foi assinado o contrato de autorização para que Lockeed desenvolvesse e construisse um protótipo de aeronave de caça a jacto. A urgência deveu-se ao conhecimento através da espionagem, do avançado estagio de desenvolvimento de um novo caça a jacto alemão.



À Lockeed foi dado um prazo de seis meses para apresentar um protótipo capaz de voar, pelo que foi feito um esforço extremo, por uma equipe de 128 homens que trabalhou de Segunda a Sábado, durante 10 a 12 horas por dia, numa instalação adquirida propositadamente para o projecto do XP-80.

Apenas 143 dias depois da assinatura, no dia 9 de Novembro de 1943 o XP-80 saiu do hangar. No entanto houve problemas pois no dia anterior o motor britânico «Goblin» quase tinha explodido e teve que ser desmontado e remontado em menos de 24 horas, não podendo voar. Isto levou a que dois dias depois a 11 de Novembro, a força aérea do exército solicitasse à empresa concorrente Republic uma encomenda de avaliação para três caças XP-84 (mais tarde conhecido como F-84 «Thunderjet»).

O primeiro voo do P-80 só teve lugar no dia 8 de Janeiro de 1944. No primeiro voo, o avião ultrapassou os 800km/h de velocidade máxima.



Tratava-se de uma aeronave completamente nova, e foi o representante americano na corrida para construir um caça a jacto que pudesse ser utilizado durante a II guerra mundial. O P-80 (mais tarde F-80) começou a ser desenvolvido mais tarde, e também seria o último a ser declarado operacional, não tendo chegado a operar durante o conflito.

Os militares americanos ficaram impressionados com as prestações do avião e de imediato mostraram interesse na produção em série do XP-40A.
Para facilitar a produção a General Electric propôs o fornecimento do seu motor Whittle i-40, mas a dimensão daquele motor não permitia coloca-lo no P-80 e isso levou a que fosse desenvolvido outro protótipo, o YP-80A. Com o motor da General Electric a nova versão do P-80 atingiu os 900km/h.

De imediato foram feitas 13 encomendas de pré série, da nova versão mas no inicio de 1944, aparece nos céus da Europa o novíssimo caça alemão Me-262 e isso leva os norte-americanos a dar ao P-80 uma prioridade absoluta.

O P-80A, com o motor inglês recebeu ordem imediata de produção e ao mesmo tempo foi decidido enviar quatro YP-40A (com motor americano, mais potente) para a Europa, para aumentar a moral dos pilotos de bombardeiros americanos, que ficaram atemorizados com o aparecimento do novo caça alemão.

Dois aviões foram para a Grã Bretanha onde um se perdeu e o outro teve problemas mecânicos. Outros dois foram para Itália onde participaram em várias missões de combate, embora nunca tenham encontrado o Me-262.

O P-80A, acabou sendo igual ao YP-80A, com motor norte-americano, embora o motor tenha sido substituido pelo motor J-33/9 fabricado pela Allison.

O P-80B, inaugurou na força aérea norte-americana o assento ejectável, uma novidade que havia sido introduzida pelos alemães no Dornier Do-335. As asas do modelo B eram ligeiramente mais finas e o habitáculo foi modificado. Isto implicou um aumento de cerca de 450kg no avião.Foram encomendados e construidos 240 exemplares.

O P-80C, foi de longe o mais produzido de todos os P-80 e foi o primeiro a ser oficialmente designado F-80.

-

   
---