Dados sobre utilizadores deste modelo
Portugal
Brasil
Estados Unidos da América



Aeronaves do mesmo tipo ou relacionadas:

P-80A «Shooting Star»
Avião de caça
F-80C «Shooting Star»
Avião de caça
T-33A «Shooting Star»
Aeronave de treino

T-33A «Shooting Star»
Aeronave de treino (Lockeed Martin)
T-33A «Shooting Star»

Dimensões:Motores/ Potência
Comprimento: 11.48 M
Envergadura: 11.43 M
Altura: 3.53
1 x motores Allison J-33A
Potência total: 2448 Kgf
Peso / Cap. carga Velocidade / Autonomia
Peso vazio: 3637 Kg
Peso máximo/descolagem: 6500 Kg
Numero de suportes p/ armas: 2
Capacidade de carga/armamento: 900 Kg
Tripulação : 2
Passageiros: a
Velocidade Maxima: 845 Km/h
Máxima(nível do mar): Não disponível
De cruzeiro: 732 Km/h
Autonomia standard /carregado : 1400 Km
Autonomia máxima / leve 1610 Km.
Altitude máxima: 13715 Metros


- - -

Canhões / Metralhadoras
- 2 x 12.7mm Browning M2 (Calibre: 12.7 )

Forum de discussão

Dado o P-80 / F-80 ter sido o primeiro caça a jacto norte-americano, a Lockeed alertou as autoridades militares para a necessidade de dedicar especial cuidado com o treino de pilotos, que passavam a necessitar de transitar não apenas dos treinadores básicos para os caças de motor a pistão, como passava a ser necessário efectuar a transição para um novo tipo de aeronave a jacto. Prevendo a necessidade de uma aeronave de treino, a Lockeed desenvolveu a versão de dois lugares desde 1944, praticamente em paralelo com os outros modelos.

No entanto os militares norte-americanos resistiram à pressão para introduzir o treinador avançado T-33, que achavam um desperdicio de dinheiro e um desperdicio em aviões caros e sofisticados que não seriam utilizados para combate.
Para poderem voar um caça a jacto, os pilotos americanos tinham que voar 180 horas no Texan, 50 horas no P-51 Mustang e mais 25 horas no F-80 (que não eram horas de voo, pois os caças F-80 eram amarrados ao chão e os pilotos apenas testavam os sistemas de bordo).

Como os cancelamentos de milhares de encomendas estavam a provocar problemas à Lockeed, o governo americano decidiu então compensar a empresa do grande numero de cancelamentos de encomendas, colocando um pedido para o T-33 de treino.
Aliás, os britânicos tinham já introduzido o conceito ao lançar a versão de dois lugares do Meteor Mk.7.

Em Janeiro 1948 foi colocada uma encomenda para 20 exemplares do T-33A (designados inicialmente TF-80C). A versão original era na realidade um F-80B com uma secção adicional de 66cm à frente do cockpit e outra de 33cm atrás.

A aeronave de treino estava equipada com apenas duas metralhadoras 12,7mm em vez das seis dos modelos de combate.
Para responder aos desejos dos militares, que não queriam desperdiçar dinheiro a Lockeed desenhou o T-33 de forma a que ele pudesse receber a secção frontal do nariz do F-80C, equipada com as seis metralhadoras, podendo dessa forma ser utilizado como um caça normal.
Foi também mantida em vários T-33 a capacidade para transportar duas bombas de 450kg.

O T-33A acabou sendo um enorme sucesso e a utilidade da aeronave de treino avançado foi tão óbvia, que as versões de treino passaram a ser comuns. Cerca de 6,000 exemplares do T-33 foram produzidas tanto para a Força Aérea como para a marinha e 1058 exemplares foram exportados.

Informação genérica:
O desenvolvimento do XP-80 começou em 23 de Junho de 1943, quando foi assinado o contrato de autorização para que Lockeed desenvolvesse e construisse um protótipo de aeronave de caça a jacto. A urgência deveu-se ao conhecimento através da espionagem, do avançado estagio de desenvolvimento de um novo caça a jacto alemão.



À Lockeed foi dado um prazo de seis meses para apresentar um protótipo capaz de voar, pelo que foi feito um esforço extremo, por uma equipe de 128 homens que trabalhou de Segunda a Sábado, durante 10 a 12 horas por dia, numa instalação adquirida propositadamente para o projecto do XP-80.

Apenas 143 dias depois da assinatura, no dia 9 de Novembro de 1943 o XP-80 saiu do hangar. No entanto houve problemas pois no dia anterior o motor britânico «Goblin» quase tinha explodido e teve que ser desmontado e remontado em menos de 24 horas, não podendo voar. Isto levou a que dois dias depois a 11 de Novembro, a força aérea do exército solicitasse à empresa concorrente Republic uma encomenda de avaliação para três caças XP-84 (mais tarde conhecido como F-84 «Thunderjet»).

O primeiro voo do P-80 só teve lugar no dia 8 de Janeiro de 1944. No primeiro voo, o avião ultrapassou os 800km/h de velocidade máxima.



Tratava-se de uma aeronave completamente nova, e foi o representante americano na corrida para construir um caça a jacto que pudesse ser utilizado durante a II guerra mundial. O P-80 (mais tarde F-80) começou a ser desenvolvido mais tarde, e também seria o último a ser declarado operacional, não tendo chegado a operar durante o conflito.

Os militares americanos ficaram impressionados com as prestações do avião e de imediato mostraram interesse na produção em série do XP-40A.
Para facilitar a produção a General Electric propôs o fornecimento do seu motor Whittle i-40, mas a dimensão daquele motor não permitia coloca-lo no P-80 e isso levou a que fosse desenvolvido outro protótipo, o YP-80A. Com o motor da General Electric a nova versão do P-80 atingiu os 900km/h.

De imediato foram feitas 13 encomendas de pré série, da nova versão mas no inicio de 1944, aparece nos céus da Europa o novíssimo caça alemão Me-262 e isso leva os norte-americanos a dar ao P-80 uma prioridade absoluta.

O P-80A, com o motor inglês recebeu ordem imediata de produção e ao mesmo tempo foi decidido enviar quatro YP-40A (com motor americano, mais potente) para a Europa, para aumentar a moral dos pilotos de bombardeiros americanos, que ficaram atemorizados com o aparecimento do novo caça alemão.

Dois aviões foram para a Grã Bretanha onde um se perdeu e o outro teve problemas mecânicos. Outros dois foram para Itália onde participaram em várias missões de combate, embora nunca tenham encontrado o Me-262.

O P-80A, acabou sendo igual ao YP-80A, com motor norte-americano, embora o motor tenha sido substituido pelo motor J-33/9 fabricado pela Allison.

O P-80B, inaugurou na força aérea norte-americana o assento ejectável, uma novidade que havia sido introduzida pelos alemães no Dornier Do-335. As asas do modelo B eram ligeiramente mais finas e o habitáculo foi modificado. Isto implicou um aumento de cerca de 450kg no avião.Foram encomendados e construidos 240 exemplares.

O P-80C, foi de longe o mais produzido de todos os P-80 e foi o primeiro a ser oficialmente designado F-80.

-

   
---