Dados sobre utilizadores deste modelo
Angola
Chile
Equador
Indonesia
Colombia
Brasil



Aeronaves do mesmo tipo ou relacionadas:

EMB-312 / Tucano
Aeronave de treino
EMB-314 Super Tucano
Bombardeiro leve / táctico

Notícias relacionadas
Embraer vende 25 Super Tucano à Colômbia
Colômbia vai às compras
Força Aérea privada compra aeronaves da Embraer
Colômbia: FARC decapitada
Completada a encomenda de Super Tucano da Colômbia
Embraer fecha a venda de mais 12 Super Tucano


EMB-314 Super Tucano
Bombardeiro leve / táctico (Embraer)
EMB-314 Super Tucano

Dimensões:Motores/ Potência
Comprimento: 11.33 M
Envergadura: 11.14 M
Altura: 3.97
1 x motores Prat & Witney PT6A-68C
Potência total: 1600 HP/CV
Peso / Cap. carga Velocidade / Autonomia
Peso vazio: 3020 Kg
Peso máximo/descolagem: 5200 Kg
Numero de suportes p/ armas: 4
Capacidade de carga/armamento: 1500 Kg
Tripulação : 1/2
Passageiros: 0 a 0
Velocidade Maxima: 580 Km/h
Máxima(nível do mar): Não disponível
De cruzeiro: 422 Km/h
Autonomia standard /carregado : 1200 Km
Autonomia máxima / leve 3500 Km.
Altitude máxima: Não disponível


- - -

Canhões / Metralhadoras
- 2 x 12.7mm Browning M3 (A) (Calibre: 12.7 )
Outros sistemas electrónicos
- FLIR Systems BRITE Star (Sistema de vigilância electrónica)

Forum de discussão

O Embraer 314, apareceu pela primeira vez à luz, como Emb-312H, no inicio dos anos 90, como uma versão maior do treinador Embraer 312 (Tucano). Embora seja parecido com o avião de treino que o antecedeu, o 314, é de facto um avião bastante diferente, o que salta à vista pelas suas dimensões. O Super Tucano, é mais comprido e mais alto que o seu antecessor, por necessidade de acomodar um motor mais potente, que permite ao um comportamento muito mais vivo, e apropriado para as missões para as quais foi desenhado.

O ALX, é a versão militarizada do EMB-314 que corresponde a uma especificação da Força Aérea Brasileira para um avião leve de ataque, que pudesse ser integrado e utilizado conjuntamente com os radares do SIVAM (Sistema de Vigilância da Amazónia).
A opção lógica era o avião de treino Tucano, que foi aumentado em cerca de 37 cm na frente e aproximadamente um metro atrás da cabine. A sua estrutura foi muito reforçada e o lugar do piloto foi protegido com fibra de Kevlar.

O ALX foi proposto para o programa JPATS da Força Aérea dos Estados Unidos, mas perdeu para o T-6 TEXAN-2 (baseado no PILATUS PC-9), e que tem o mesmo motor mas é no entanto, menos possante que o ALX. O facto de o programa ALX estar relativamente atrasado e o preço final da aeronave, terão estado entre as razões da opção pelo PILATUS. Finalmente, primeiro ALX de série viu a luz do dia em 28 de Maio de 1999.

O Emb-314 , deverá operar por muitos anos na Amazónia, e as suas caracteristicas tornam-no numa possibilidade interessante para as forças aéreas da América do Sul, onde houver problemas de narco-trafico e terrorismo, como na Colômbia com as FARC. Como treinador avançado, pelas suas características, capacidades e electrónica, o EMB-314/ALX é uma das melhores aeronaves presentemente no mercado.

================
Com tanques exteriores de combustível, e sem armamento esta aeronave poderá atingir até 4800Km.

Informação genérica:
Familia / tipo de aeronaves, englobando o EMB-312 Tucano e EMB-314 Super Tucano.

Este tipo de avião aparece como substituto dos mais pequenos e mais antigos aviões de treino montados pela Embraer e por outras industrias aeronauticas durante os anos 70. O EMB-312 foi projectado para permitir a utilização de tecnologias mais recentes, deixando de ser um treinador básico, para passar a ser um treinador avançado.

O EMB-312 constituiu um sucesso de exportação, tendo sido vendido e fabricado sob licença em vários países como a Grã Bretanha o Egipto e a França.

O EMB-314 maior e mais sofisticado, foi comprado entre outros pela Força Aérea Brasileira.

-

   
---