Dados sobre utilizadores deste modelo
União Soviética



Aeronaves do mesmo tipo ou relacionadas:

P-39D Aircobra
Avião de caça
P-39Q Aircobra
Avião de caça

P-39Q Aircobra
Avião de caça (Bell)
P-39Q Aircobra

Dimensões:Motores/ Potência
Comprimento: 9.19 M
Envergadura: 10.36 M
Altura: 3.78
1 x motores Allison V-1710-85 (12cyl)
Potência total: 1200 HP/CV
Peso / Cap. carga Velocidade / Autonomia
Peso vazio: 2575 Kg
Peso máximo/descolagem: 3765 Kg
Numero de suportes p/ armas: 0
Capacidade de carga/armamento: 226 Kg
Tripulação : 1
Passageiros: a
Velocidade Maxima: 620 Km/h
Máxima(nível do mar): Não disponível
De cruzeiro: 0 Km/h
Autonomia standard /carregado : 1046 Km
Autonomia máxima / leve 1250 Km.
Altitude máxima: 10670 Metros


- - -

Canhões / Metralhadoras
- 1 x 37mm M4 (Calibre: 37 )

Forum de discussão

O P-39Q foi o mais fabricado de todos os P-39 produzidos e a esmagadora maioria das aeronaves produzidas foram fornecidas à União Soviética.
Embora genericamente designado P-39Q, é preciso dizer que dentro da versão P-39Q, existiu um grande numero de variantes.

O P-39Q representou a última tentativa de transformar o P-39 numa aeronave capaz de competir com os melhores aviões da Alemanha e do Japão. O primeiro P-39Q saiu da linha de montagem em Março de 1943 e até Junho de 1944, altura em que a produção do P-39 Aircobra terminou, 4,905 exemplares tinham sido produzidos.

Como acontecera com versões anteriores, embora a maioria das aeronaves tivesse um armamento standar de um canhão de 37mm e quatro metralhadoras 7.62mm, várias sub séries foram produzidas com configurações de armamento ligeiramente diferentes, como foi o caso do P-39Q-1 de onde foram retiradas as quatro metralhadoras 7.62, substituidas por duas metralhadoras 0.50 colocadas sob as asas.
Também foram produzidos aviões jogando com a relação entre blindagem e depósito de combustível, com aeronaves mais blindadas, equipadas com maior blindagem. Estas versões eram especialmente adequadas para as operações da força aérea do exército vermelho, na frente leste.

O P-39 soviético
O principal utilizador do P-39 foi a União soviética, que recebeu cerca de 5,000 aeronaves de várias séries. Por causa da sua utilização na União Soviética, os técnicos americanos desenvolveram séries especificamente adaptadas às condições de clima na URSS, como foi o caso do P-39Q-10, do qual foram fabricados 705 exemplares e do P-39Q-15 basicamente idêntico, mas com duas botijas de oxigénio em vez de uma, do qual foram fabricados 1,000.

Curiosamente, os pilotos soviéticos estiveram entre os que mais elogiaram as qualidades do P-39, considerando-o normalmente superior aos caças Lavochkin La-5 e La-7.

Os soviéticos aproveitaram as potencialidades do P-39 mais que nenhum outro operador. Eles deram ao avião o nome de «Cobrastochka» que quer dizer pequena cobrinha e conseguiram muito melhores resultados com ele que os pilotos americanos.
O avião nunca foi adequado para combate em altitude, mas na frente leste a maioria dos combates ocorriam a altitudes mais baixas, o que dava ao Aircobra uma vantagem competitiva, porque ele era muito mais manobrável que o Me-109 alemão.

Demonstração disso foi o facto de os soviéticos terem pilotos especializados no P-39, como foi o caso de Alexandr Pokryshin, que destruiu cinquenta e nove aeronaves inimigas.
A característica mais apreciada pelos soviéticos era o canhão de 37mm, que eles consideravam como uma arma a sério para destruir aeronaves inimigas.

Informação genérica:
O caça P-39 da Bell Aircraft, foi em muitos aspectos uma absoluta novidade, que rompia completamente com a tradição estabelecida.

Criado por uma empresa que acabava de ser criada e onde a aceitação de novas ideias era normal, o P-39 aparece com uma configuração completamente diferente do normal, com o motor colocado numa posição central.

Ao possuir um motor central, o centro de gravidade foi muito recuado e isso levou a que fosse introduzido um novo sistema de triciclo com uma roda frontal.
Isto tinha como objectivo retirar o motor da frente do avião para permitir a colocação de armamento mais poderoso.

No entanto, não se pode dizer que a configuração fosse realmente eficiente. O armamento colocado na frente da aeronave nunca beneficiou do facto de não haver um motor à frente.

Desde o inicio, que a Bell considerou como armamento principal, a versão automática do canhão de 37mm que estava a ser instalado em tanques leves e que também era utilizado como arma anti-tanque da infantaria norte-americana.
Pode-se mesmo dizer que o Aircobra foi construido para o canhão T-9 de 37mm de calibre.
Porém, apesar disto o P-39 nunca foi um grande sucesso como aeronave de ataque ao solo ou como caça-tanques como é sugerido em algumas publicações.

Ainda hoje se discutem as razões que levaram a que o P-39 tivesse sido preterido pelas forças aéreas dos países aliados, pois há registos que afirmam que as prestações do P-39 Aircobra não eram de facto tão inferiores aos seus congéneres europeus como é geralmente aceite.

Por exemplo, a Grã Bretanha demonstrou algum interesse no Aircobra em 1941, testou o avião, mas considerou-o inadequado para serviço de primeira linha e nunca colocou encomendas. Mas embora os britânicos tenham recusado o avião, também elogiaram a sua excelente manobrabilidade, pois ele podia fazer uma curva num angulo mais apertado que o Me-109 alemão.

As principais críticas dirigidas ao P-39 foram na área da manutenção, especialmente por causa do seu complexo sistema electrico. A refrigeração do motor central também era alegadamente deficiente e a pequena tomada de ar (outra característica do P-39) não era suficiente para refrigerar o motor.

No total foram construidos 9,558 caças Aircobra.

-

   
---