Aeronaves do mesmo tipo ou relacionadas:

B757-200
Aeronave comercial Medio Alcance
B757-300
Aeronave comercial Medio Alcance

B757-200
Aeronave comercial Medio Alcance (Boeing)
B757-200

Dimensões:Motores/ Potência
Comprimento: 47.32 M
Envergadura: 38.05 M
Altura: 13.56
2 x motores Rolls Royce RB211-535C
Potência total: 33700 Kgf
Peso / Cap. carga Velocidade / Autonomia
Peso vazio: 57840 Kg
Peso máximo/descolagem: 99790 Kg
Numero de suportes p/ armas: 0
Capacidade de carga/armamento: 0 Kg
Tripulação : 2
Passageiros: 190 a 239
Velocidade Maxima: 914 Km/h
Máxima(nível do mar): Não disponível
De cruzeiro: 850 Km/h
Autonomia standard /carregado : 4758 Km
Autonomia máxima / leve 7900 Km.
Altitude máxima: Não disponível


- - -

Forum de discussão

O primeiro modelo do Boeing 757, pretendia substituir o Boeing 727-200 de três motores, que nos anos 70 já apresentava problemas de alto consumo que se tornaram especialmente evidentes após a crise petrolífera do inicio da década de 1970.

As várias configurações de motores do 757-200 permitem prestações diferentes dentro do mesmo modelo. Os B757-200 com motores mais potentes e equipados com extremidades alares «winglets» destinadas a reduzir o consumo, possuem um alcance operacional superior aos restantes.
Alguns destes modelos são referidos como Boeing 757-200ER por terem um alcance operacional superior.
No entanto a designação não é correcta. A versão de maior alcance do 757, embora planeada nunca chegou a ser lançada. Foi designada B757-250, mas entrava em conflito com aeronaves de alcance similar como o B767-300, pelo que o projecto acabou não tendo interesse, sendo cancelado.

A versão modernizada do B757-200 com capacidade transatlântica não tem um concorrente directo nas rotas de longo curso e baixa ou média densidade [1]. A Boeing tem uma aeronave com alcance de 7,000km mas que transporta apenas 130 passageiros (B737-700ER). Também a Airbus possui a versão A319LR com capacidade idêntica.

A maioria dos operadores são empresas norte-americanas que deverão continuar a utilizar o modelo durante bastantes anos.

O B757-200 deixou de ser fabricado em 2004.

[1] - Rotas entre pontos distantes

Informação genérica:
O modelo 757 da Boeing, foi concebido nos anos 70, com o objectivo de substituir o trijacto Boeing 727, extremamente afectado durante os anos 70 com o galopante aumento dos preços do combustível.
A Boeing considerava na altura a possibilidade de lançar uma versão alongada do B727-200 (que seria chamada de B727-300) mas essa versão nunca interessou realmente nenhuma companhia aérea.

Na realidade, o B757 partilha a mesma fuselagem do B727, sendo mais comprido e possuindo dois motores instalados nas asas.
As primeiras séries do 757 foram equipadas com motores mais económicos e todos os testes efectuados demonstraram que o 757 era para a altura (final dos anos 70) a aeronave mais económica de entre todos os aviões da classe.

Chegou a ser desenhada uma versão encurtada do 757 (que seria o B757-100), mas essa aeronave entraria em conflito com a linha B737, pelo que o desenvolvimento não prosseguiu.

O 757 também partilhou com o 767 muitos dos sub sistemas e avionicos, pelo que um piloto certificado para voar o 757 poderia facilmente pilotar o 767 e vice-versa.

O B757 foi o primeiro avião da Boeing lançado com motores de origem europeia
Durante os anos 80, muitas empresas europeias e norte-americanas substituiram os B727-200 pelo B757-200, mas a principal vantagem do modelo decorreu da certificação ETOPS[1] que foi dada à aeronave.
O B757-200 foi o primeiro avião com apenas dois motores a receber certificação para atravessar o Atlântico

B757-300
Em 1996 a Boeing anunciou o lançamento de uma versão extendida do 757, que seria designada B757-300.
Trata-se do mesmo avião com uma fuselagem 7,15m mais longa e capacidade para até 289 passageiros.

A aeronave teve algum sucesso entre empresas de voos charter que apreciaram a sua capacidade de transporte, mas a Boeing optou por apostar no desenvolvimento de versões mais modernas e alongadas do B737, tendo descontinuado a produção do 757. Apenas 55 modelos 757-300 foram produzidos, dos 926 B757 fabricados pela Boeing.

Durante os anos 90 foram desenvolvidos kits especiais para o 757-200 que incluiram a instalação de aletas adicionais «winglets» que permitiram aumentar a autonomia da aeronave e melhorar o consumo.

Sem rival

Não deixa de ser curioso que na prática o modelo modernizado B757-200W tenha um alcance operacional que se aproxima dos 8,000km, transportando 200 passageiros.
O avião tem capacidade para atravessar o Atlântico e fazer voos entre as cidades da costa leste americana e várias cidades da Europa.

A Boeing afirma que em substituição do B757-200 dispõe do B737-900ER, mas esta aeronave apenas pode transportar 177 passageiros a uma distância de 6,000km.

O nicho de mercado do B757-200 não deverá ser preenchido. A Airbus possui uma aeronave de dimensões equivalentes, o A321, mas o alcance operacional do avião europeu está limitado a 5,600km.



[1] - Twin-engine Operational Performance Standards.

-

   
---