Aeronaves do mesmo tipo ou relacionadas:

L-188 «Electra»
Aeronave comercial Longo Alcance
P-3A/B
Avião de patrulha marítima e luta anti-submarina
P-3C CUP/AIP
Avião de patrulha marítima e luta anti-submarina

L-188 «Electra»
Aeronave comercial Longo Alcance (Lockeed Martin)
L-188 «Electra»

Dimensões:Motores/ Potência
Comprimento: 31.85 M
Envergadura: 30.18 M
Altura: 10
4 x motores Allison 501-D13A
Potência total: 15000 HP/CV
Peso / Cap. carga Velocidade / Autonomia
Peso vazio: 26036 Kg
Peso máximo/descolagem: 51256 Kg
Numero de suportes p/ armas: 0
Capacidade de carga/armamento: 12000 Kg
Tripulação : 2+1
Passageiros: 66 a 80
Velocidade Maxima: 721 Km/h
Máxima(nível do mar): Não disponível
De cruzeiro: 650 Km/h
Autonomia standard /carregado : 4000 Km
Autonomia máxima / leve 4500 Km.
Altitude máxima: 8655 Metros


- - -

Forum de discussão

Ainda a Lockeed detinha uma parcela consideravel do mercado de aeronaves comerciais de longo alcance, com o seu Super Constellation, quando surgiram vários projectos para aeronaves comerciais de transporte de passageiros, em rotas médias (até 3,000km) transportando de 60 a 70 passageiros.

Não houve no entanto um interesse claro pelos projectos, até que a American Airlines solicitou uma aeronave para 75 passageiros a que a Lockeed respondeu, propondo um quadrimotor, que utilizaria a mesma motorização do cargueiro militar Hercules C-130.

O novo modelo foi designado Lockeed L-188 e receberia o nome de Electra. O desenvolvimento do Electra foi bastante rápido, com o primeiro protótipo a voar em 6 de Dezembro de 1957, entrando ao serviço pouco mais de um ano depois, em Janeiro de 1959.

O rápido desenvolvimento, pode ter estado na origem de problemas que levaram a acidentes. Dois ocorreram no mesmo ano em que o avião foi lançado e outro no ano seguinte. Todas as aeronaves Electra viram a sua velocidade máxima limitada e após uma investigação concluiu-se que dois dos acidentes tinham resultado de deficiências nos apoios dos motores, que levavam a uma vibração que podia arrancar as asas.
Todas as aeronaves construidas vira as suas asas reforçadas.

O Electra não foi um sucesso comercial, dado cinco anos após ter sido lançado, ter voado pela primeira vez o Douglas DC-9, um jacto comercial com dois motores, que tinha menos autonomia, mas era muito mais rápido.

A maior parte das empresas que operaram o Electra foram norte-americanas. Alguns clientes operaram a aeronave na Ásia. Na América do Sul, os Electra ficaram conhecidos por serem durante muitos anos o principal avião da ponte-aérea entre os aeroportos de Congonhas em São Paulo e o Santos Dummond no Rio de Janeiro.

Foram produzidas 170 aeronaves Electra.

Informação genérica:
Os P-3 são baseados na aeronave de transporte civil Lockeed L-188 Electra, cujo projecto começou em 1954 tendo voado pela primeira vez em 1957. Foi lançado como aeronave comercial no final dos anos 50 em versões para 66 a 80 passageiros.

Foi especialmente utilizado por companhias comerciais norte-americanas, embora também tenha sido operado por empresas sul americanas e asiáticas.

A sua versão militar, resultou de um pedido da marinha dos Estados Unidos para a concepção de uma aeronave de patrulha, de que resultou o P-3.

Os P-3 iniciais na versão P-3A começaram a operar em 1961, até ao surgimento da nova versão P-3B.

A última versão do P-3, é conhecida como P-3C.

Todas as versões desta aeronave contam por sua vez com modernizações efectuadas que multiplicam as versões, todas elas com características distintas.

Pelo menos nos Estados Unidos, espera-se que esta aeronave venha a ser substituida pelo P-8 Poseidon, baseado no modelo B737 da Boeing.

-

   
---