Dados sobre utilizadores deste modelo
Russia



Aeronaves do mesmo tipo ou relacionadas:

Ka-50 «Black Shark»
Helicóptero de ataque
Ka-52 «Alligator»
Helicóptero de ataque

Ka-50 «Black Shark»
Helicóptero de ataque (Kamov)
Ka-50 «Black Shark»

Dimensões:Motores/ Potência
Comprimento: 16 M
Envergadura: 14.5 M
Altura: 4.9
2 x motores Klimov TV3-117VK
Potência total: 4380 HP/CV
Peso / Cap. carga Velocidade / Autonomia
Peso vazio: 7700 Kg
Peso máximo/descolagem: 10800 Kg
Numero de suportes p/ armas: 0
Capacidade de carga/armamento: 2300 Kg
Tripulação : 1
Passageiros: 0 a 0
Velocidade Maxima: 310 Km/h
Máxima(nível do mar): Não disponível
De cruzeiro: 0 Km/h
Autonomia standard /carregado : 450 Km
Autonomia máxima / leve 800 Km.
Altitude máxima: Não disponível


- - -

Canhões / Metralhadoras
- 1 x 30mm 2A42 (Calibre: 30 )

Forum de discussão

O modelo KA-50 é um derivado muito modificado da linha de helicópteros de helices contra-rotativas da Kamov.
Ele foi concebido como helicóptero de ataque monolugar, porque na altura os militares soviéticos pretendiam um helicóptero muito mais leve que o Mi-24, que tinha sido utilizado no Afeganistão para ataque ao solo.

O projecto previa um grande grau de automatização, que permitisse ao piloto concentrar-se no disparo, enquadrando o alvo e fazendo cálculos de tiro ao mesmo tempo que controlava a velocidade, altitude e posição do helicóptero.

O desenvolvimento do Ka-50 foi muito rápido mas a fase final do desenvolvimento coincidiu com o colapso da União Soviética.

O resultado foi um numero muito reduzido de aeronaves Ka-50 produzidas, dado que o helicóptero nunca chegou a entrar numa fase de produção em série.

Conceito falhado

Pode-se igualmente afirmar com grande grau de certeza, que se o Ka-50 conseguiu ser o primeiro helicóptero de ataque monolugar, ele não conseguiu provar a viabilidade do conceito.

A complexidade dos sistemas que o piloto tem que operar é tal, que a eficácia do Ka-50 como arma de ataque é tremendamente afectada.
A integração que se julgava possível, dependia da capacidade da industria russa e soviética de desenvolver sistemas de tecnologia de ponta que nem os Estados Unidos possuiam.
Sem essa capacidade, o Ka-50 passou a ser um helicóptero sofisticado, mas tão complexo que se tornava impraticavel a sua utilização com apenas um piloto.

A possibilidade tinha de facto sido prevista pelos técnicos do gabinete Kamov, que além do mais tinham a concorrência da equipe da MiL, que também concorria com o seu Mi-28, mas que tinha mantido dois tripulantes.
Por isso, os planos para o desenvolvimento de um Ka-50 com dois lugares (lado a lado) foi sempre considerado e teve inicio em meados dos anos 90, resultando no Ka-52.

Informação genérica:
As aeronaves do tipo KA-50 e KA-52 são derivados directos da familia de helicopteros de helices contra-rotativas da familia Ka-27 a Ka-32.
Os modelos deste tipo têm inspiração inicial no projecto V-80 de 1978 e resultaram do projecto de meados dos anos 80, quando a União Soviética estava envolvida no conflito do Afeganistão.

Um dos problemas que os soviéticos enfrentavam era a inadequação das aeronaves Mi-24 para ataque ao solo, demasiado volumosas e dificeis de manobrar, já que tinham sido concebidas também como aeronaves de transporte.

O Ka-50 deveria ser uma aeronave dedicada ao ataque, copiando assim o raciocinio norte-americano que tinha levado ao helicóptero de ataque «Apache».
Ao contrário do Mi-24, o Kamov deveria ser pequeno e ágil, com uma velocidade elevada.

Esta familia de aeronaves nunca conseguiu um sucesso claro mas ainda que com um numero de unidades muito reduzido em operação, tem sido possível prosseguir o desenvolvimento e aprimoramento do projecto.

As principais variações de modelos do tipo é a seguinte:

Ka-50 - Versão base

Ka-50N / Ka-50Sh - Versão desenvolvida a partir de 1993 e destinada a combate nocturno, capacidade que não tinha sido inicialmente incluida.

Ka-50-2 - Designação comum a três diferentes tipos de projecto de aeronave, todos rejeitados pelos potenciais clientes (versão monolugar, versão com dois lugares em tandem) e versão desenvolvida em colaboração com Israel.

-

   
---