RQ-170 «Sentinel»
Aeronave não tripulada UAV (Lockeed Martin)
RQ-170 «Sentinel»

Dimensões:Motores/ Potência
Comprimento: 25 M
Envergadura: 70 M
Altura: 0
1 x motores General Electric TF-34 turbofan
Potência total: 4000 Kgf
Peso / Cap. carga Velocidade / Autonomia
Peso vazio: 0 Kg
Peso máximo/descolagem: 4000 Kg
Numero de suportes p/ armas: 0
Capacidade de carga/armamento: 0 Kg
Tripulação : 0
Passageiros: 0 a 0
Velocidade Maxima: 0 Km/h
Máxima(nível do mar): Não disponível
De cruzeiro: 0 Km/h
Autonomia standard /carregado : 0 Km
Autonomia máxima / leve 0 Km.
Altitude máxima: 18000 Metros


- - -

Forum de discussão

Desenvolvido pela divisão «Skunk Works» da Lockeed Martin, o RQ-170 é uma asa voadora não tripulada, destinada a permitir a observação secreta de instalações ou concentralões de forças inimigas.

Alegadamente, a asa voadora apresenta um dos menores coeficientes de detecção por radar que é possivel conceber presentemente, tornando a aeronave quase invisível à maioria dos radares [1].
O desenvolvimento do RQ-170 foi mantido secreto, pelo que os dados conhecidos sobre a aeronave são reduzidos.

A sua aparência geral faz lembrar protótipos anteriormente conhecidos, como o RQ-3 «Dark Star». Vários especialistas na matéria indicam que o RQ-170 se pode destinar a ser utilizado como sistema táctico de apoio, o que implica que ele se destina a recolher informações específicas sobre a posição das forças inimigos durante os combates, produzindo informação para tratamento imediato, em oposição a um sistema que se limita à recolha de informação estratégica.
O RQ-170 terá sido utilizado na operação que levou ao abate do terrorista Osama Bin Laden em 2011, em território paquistanês.

Controlos
A aeronave pode ser controlada remotamente, via ligação por satélite encriptada desde o seu posto de comando, mas pode operar em modo autónomo, com um programa de gestão de voo, que pode tomar decisões sobre a rota e escolher áreas alternativas onde operar.

As capacidades da aeronave não são conhecidas e não foi divulgada nenhuma informação sobre o sistema. A maioria dos dados apontados são resultado de especulação com base em análises de especialistas exteriores.

A potência do suposto motor do RQ-170, por exemplo, poderia permitir o transporte de uma considerável quantidade de sistemas de vigilância.
A inclusão de um radar AESA, com capacidade para guiar mísseis e bombas guiadas é uma das possibilidades apontadas.

O RQ-170 pode pairar sobre território inimigo, ao mesmo tempo que aeronaves se aproximam dos alvos e lançam os seus mísseis e bombas motorizadas e guiadas.
Outras aeronaves podem largar as bombas a distâncias superiores a 100km do alvo (caso das bombas GBU-39) ou mesmo distâncias superiores a 500km como as bombas planadoras JSOW mais recentes, que foram testadas já em 2009.

Ao recolher dados em tempo real, o RQ-170 permite por exemplo, guiar as bombas guiadas até alvos alternativos, desarticulando completamente qualquer defesa anti-aérea.

Os sistemas de radar que alegadamente podem ser transportados a bordo do RQ-170, podem também permitir a vigilância do campo de batalha, detetar a movimentação de tropas de noite e terá a precisão suficiente para conseguir dar informação extremamente detalhada sobre alvos muito específicos, como terá sido o caso da operação contra a instalação de Abotabad onde foi abatido o líder terrorista Bin Laden.

O RQ-170 terá entrado ao serviço das forças armadas norte-americanas depois de 2005. Considerando os periodos normais de desenvolvimento a aeronave deverá ter voado pela primeira vez em 2003.
Sabe-se que foi visto pela primeira vez em 2007 no sul do Afeganistão em Kandaar. Desde essa altura que se considera que a aeronave poderá ter sido utilizada para sobrevoar o Paquistão, mas a posição de Kandaar relativamente à fronteira paquistanesa, permite colocar a possibilidade de a aeronave ter de facto sido utilizada para espiar território iraniano. Os Estados Unidos só reconheceram a existência da aeronave em 2009.


[1] – É possivel detectar qualquer tipo de aeronave «Stealth» utilizando radares de baixa frequência. O problema é que este tipo de radar muito sensível é extremamente susceptivel a contramedidas electrónicas.

Informação genérica:
- - -

-

   
---