Aeronaves do mesmo tipo ou relacionadas:

Dash-8 100/200
Aeronave comercial regional
Dash-8 Q300
Aeronave comercial regional
Dash-8 Q400
Aeronave comercial regional

Dash-8 Q300
Aeronave comercial regional (Bombardier / Shorts)
Dash-8 Q300

Dimensões:Motores/ Potência
Comprimento: 25.68 M
Envergadura: 27.43 M
Altura: 7.49
2 x motores Pratt & Whittney 123B
Potência total: 5000 HP/CV
Peso / Cap. carga Velocidade / Autonomia
Peso vazio: 11719 Kg
Peso máximo/descolagem: 19505 Kg
Numero de suportes p/ armas: 0
Capacidade de carga/armamento: 0 Kg
Tripulação : 2
Passageiros: 50 a 56
Velocidade Maxima: 0 Km/h
Máxima(nível do mar): Não disponível
De cruzeiro: 528 Km/h
Autonomia standard /carregado : 0 Km
Autonomia máxima / leve 0 Km.
Altitude máxima: 7620 Metros


- - -

Forum de discussão

Desenvolvido a partir de 1986, o modelo 300 é uma versão estendida do modelo 100/200 e destinou-se a competir com aeronaves como o ATR-42. O seu desenvolvimento foi também resultado do sucesso do modelo 100.

O primeiro voo ocorreu no dia 15 de Maio de 1987 e a primeira certificação foi obtida em 1989. Nesse mesmo ano a operação comercial do modelo começou no Canadá.

O Q300 tem capacidade para transportar de 50 a 56 passageiros e voou pela primeira vez em 1987.

O prefixo «Q» passou a ser incluido a partir de 1996, altura em que as aeronaves do tipo passaram a contar com um sistema de supressão de vibração e ruido controlado por computador. Este sistema passou a ser instalado em todos os aviões do tipo Dash-8, do Q200 ao Q400.

Este tipo de sistema permitiu ao Q400 ter níveis de ruido idênticos aos jatos regionais como o Canadair CRJ-700.

Informação genérica:
Inicialmente desenvolvido pela De Havilland, o DASH-8 (modelo 100) era suposto ser uma versão reduzida do De Havilland Dash-7 quadrimotor.

Com apenas 2 motores e capacidade para transportar entre 30 a 40 passageiros o Dash-8 era adequado para ligações regionais nos mercados da américa do norte.

Em 1984, altura em que a aeronave foi lançada, com uma capacidade para 39 passageiros, concorria diretamente com os jatos regionais.

A empresa De Havilland enfrentou problemas que levaram à sua compra pela Boeing e pouco tempo depois pela Bombardier Aerospace.

Serie 100

A partir de 1992 a De Havilland passou para as mãos da Bombardier. O modelo Dash-8 competia diretamente com o Embraer-120 Brasilia.
Este tipo de aeronave era mais barato de operar que os jatos regionais para até 50 lugares que viram um boom nos anos da década de 90, mas não podiam ser utilizados nas mesmas rotas.

A vida desta família de aeronaves parecia condenada, mas acabou por receber um novo sopro, quando o aumento do preço dos combustíveis a partir da guerra no Iraque em 2003, levou a que muitas companhias aéreas voltassem a olhar para as aeronaves com motor a helice como potênciais substitutos dos jatos regionais.

Série 200

Lançadas a partir de 1995, as aeronaves da série 200 são basicamente idênticas às da série 100, mas possuem motorização mais potente

Série 300

Esta séria foi lançada em 1989 e destinou-se a aumentar a capacidade do Dash-8 (50 a 56 passageiros), permitindo-lhe concorrer diretamente com aeronaves como o ATR-42 e também com os jatos regionais.

Esta série tem uma versão de patrulha marítima conhecida como DHC-8-300 MSA.

Série 400

Lançada em 1999 e conhecida também coo série «Q» ou Q400, é uma versão alongada do modelo 300, com capacidade para transportar entre 70 e 79 passageiros.
Além da sua superior capacidade de transporte o Q400 possui motores muito mais potentes e uma velocidade máxima de aproximadamente 670km/h. Esta velocidade permite ao Q400 competir directamente com os jatos regionais, mantendo a vantagem competitiva do menor custo operacional.

Está previsto o lançamento de uma versão ainda mais alongada o Q400.

-

   
---