Aeronaves do mesmo tipo ou relacionadas:

B777-200
Aeronave comercial Longo Alcance
B777-300
Aeronave comercial Longo Alcance

B777-300
Aeronave comercial Longo Alcance (Boeing)
B777-300

Dimensões:Motores/ Potência
Comprimento: 73.9 M
Envergadura: 64.8 M
Altura: 18.5
2 x motores General Electric GE90-110B1
Potência total: 99090 Kgf
Peso / Cap. carga Velocidade / Autonomia
Peso vazio: 160800 Kg
Peso máximo/descolagem: 237680 Kg
Numero de suportes p/ armas: 0
Capacidade de carga/armamento: 0 Kg
Tripulação : 2
Passageiros: 365 a 550
Velocidade Maxima: 950 Km/h
Máxima(nível do mar): Não disponível
De cruzeiro: 905 Km/h
Autonomia standard /carregado : 0 Km
Autonomia máxima / leve 11120 Km.
Altitude máxima: 13140 Metros


- - -

Forum de discussão

Depois de ter lançado duas versões do Boeing 777-200, a Boeing virou a sua atenção para uma versão alongada, destinada a disponibilizar uma aeronave de maior capacidade, para mercados onde o B777-200 não fosse suficiente.

A aeronave foi mostrada internacionalmente no Paris Air Show em 14 de Junho de 1995. Nessa altura foi divulgado que havia já 36 encomendas firmes para o modelo.

A configuração final só ficou concluida em Outubro desse ano e amontagem do primeiro «300» teve inicio em 7 de Abril de 1997. A certificação ETOPS (para 3 horas de distância do aeroporto mais próximo) foi atribuida em 4 de Maio de 1998 e a primeira entrega à empresa Cathay Pacific ocorreu a 22 de Maio desse ano.

Concorrencia com o B-747
O B777-300, transporta a mesma quantidade de passageiros das primeiras versões do Boeing 747, mas consome apenas 66% do combustível do «Jumbo». Além disso, os custos comparativos de manutenção ficam em 60% dos custos do avião mais antigo.

A capacidade máxima de transporte em alta densidade atingiu 550 passageiros (classe única).

Em 29 de Fevereiro do ano 2000, a Boeing anunciou uma versão de longo curso (777-300ER) cujo primeiro cliente foi a Japan Airlines, embora o primeiro operador do modelo tenha sido a Air France.

O 777-300ER pode cobrir distâncias de 13334km com 359 passageiros.

777-400
Por volta de 1999 uma versão ainda mais alargada do 777 foi estudada, e teria capacidade para 610 passageiros em muito alta densidade. No entanto, era quase certo que essa versão poderia concorrer com o Boeing 747-400 da própria Boeing. Principalmente por essa razão o modelo «400» não foi desenvolvido.

No entanto, a concorrência cada vez mais acirrada da europeia Airbus, levou a Boeing a reconsiderar uma nova versão do Boeing 777, com duas variantes conhecidas agora como 777-8X e 777-9X.

A primeira é uma versão modernizada do B777-300, mas ligeiramente mais curta e a segunda é uma versão ainda mais alongada, destinada a concorrer diretamente com o Airbus A350.

Visão artística do Boeing 777-9X


O numero cada vez menor de encomendas para o Boeing 747, também tem contribuido para que a aposta nas versões modernizadas do 777 tenha um futuro garantido.



Em 2014 foi anunciado que o Japão deixaria de utilizar o Boeing 747 para transportar altas individualidades do estado, que em vez disso passarão a utilizar o Boeing 777-300 para a mesma função.

Informação genérica:
O projeto que viria a resultar no Boeing 777 começou a ser desenvolvido em 1986, numa altura em que a Boeing vendia o super Jumbo 747, mas debatia-se com os aviões do tipo Widebody como o Tristar da Lockeed e o DC-10/MD-11 da McDonnell Douglas, que eram menores mas tinham a preferência de várias companhias aéreas, que achavam o Boeing 767 demasiado pequeno.
Aliás, inicialmente o projeto foi conhecido como B-767X, numa indicação de que o novo Boeing seria uma versão aumentada do 767.

O acabaria por ser bastante diferente e com o projeto terminado a Boeing começou a promove-lo junto das companhias aéreas a partir de 8 de Dezembro de 1989.

Para combater os rivais com três motores a Boeing optou por construir um avião com apenas dois motores, o que inicialmente levantou problemas por causa das regras sobre sobrevoo de oceanos com aviões de dois motores a mais 60 minutos de voo de distância do aeroporto mais próximo «ETOPS».

A Boeing pretendia começar a voar sobre os oceanos imediatamente, quando as regras de segurança implicavam que essa certificação só era concedida após provas reais de uma aeronave em centenas de voos mais curtos. O Boeing 777 foi por isso o primeiro avião a conseguir uma certificação ETOPS para 3 horas de distância do aeroporto mais próximo.

O desenvolvimento foi completamente feito por computador, utilizando um sistema chamado CATIA, em que as peças são desenhadas individualmente e depois montadas num ambiente virtual.

O primeiro Boeing 777 ficou pronto em Dezembro de 1993 e o primeiro voo ocorreu em 12 de Junho de 1994.

As várias versões do 777 são as seguintes:

777-100 - Versão curta cancelada

777-200 - Versão inicial de produção (até 440 pax)

777-200ER - Versão de longo curso, mas combustível e autonomia

777-200LR - Versão de ultra longo curso 16853km.

777-250ER - Versão estudada em 2002, posteriormente cancelada

777-300 - Versão alongada do 777-200 (até 550 pax)

777-300ER - Versão de longo curso lançada no ano 2000

777-400 - Versão extendida, cancelada no ano 2000.

777-8X - Modernização do 777-300ER

777-9X - Versão alongada, em desemvolvimento em 2014.

-

   
---