Dados sobre utilizadores deste modelo
União Soviética
República espanhola

SB-2 Katyusha
Bombardeiro (UAC-Tupolev)
SB-2 Katyusha

Dimensões:Motores/ Potência
Comprimento: 12.27 M
Envergadura: 20.33 M
Altura: 0
2 x motores Wright «Cyclone» / M-100A
Potência total: 1720 HP/CV
Peso / Cap. carga Velocidade / Autonomia
Peso vazio: 4138 Kg
Peso máximo/descolagem: 5748 Kg
Numero de suportes p/ armas: 2
Capacidade de carga/armamento: 600 Kg
Tripulação : 4
Passageiros: 0 a 0
Velocidade Maxima: 350 Km/h
Máxima(nível do mar): 300 Km/h
De cruzeiro: 290 Km/h
Autonomia standard /carregado : 600 Km
Autonomia máxima / leve 800 Km.
Altitude máxima: 9560 Metros


- - -

Canhões / Metralhadoras
- 4 x 7.62 DT Degtiarev (Calibre: 7.62 )

Forum de discussão

Desenvolvido a partir do inicio da década de 1930, o SB-2, que são as iniciais de «bombardeiro rápido» voou pela primeira vez em 7 de Outubro de 1933.

A aeronave foi desenhada com base no projeto de um caça pesado conhecido como Mi-3 e era na altura um dos bombardeiros mais bem desenhados do mundo.
Totalmente construido em metal e equipado com dois motores radiais «Cyclone», posteriormente substituidos por uma versão produzida na URSS com maior potência (M-100A) o SB-2 era no entanto relativamente espartano e a qualidade geral da construção era criticada pelo próprio pessoal russo.

Ainda assim, com uma velocidade máxima de 350km/h o SB-2 era o bombardeiro mais rápido do mundo em 1936, altura em que começou a ser entregue a unidades da força aérea soviética.

O baptismo de fogo do SB-2 deu-se na guerra civil de Espanha. Quando apareceu logo no inverno de 1936 ele não tinha rival à altura. A sua velocidade máxima de 350km/h tornava-o invulnerável aos caças Cr-32 «Chirri» italianos, que embora fossem caças, tinham uma velocidade máxima idêntica, podendo atacar o SB-2 apenas quando se encontravam a uma altitude muito superior.
Também os poucos caças alemães He-51 não poderiam acompanhar a velocidade do SB-2.

A chegada a Espanha do BF-109B resultou num aumento muito grande das perdas de aeronaves.

Até 1940 6,656 exemplares deste bombardeiro sairam das fábricas soviéticas. Estes, aparentam não ter entendido o que se passou em Espanha, onde as deficiências do SB-2 perante caças mais velozes e sem proteção adequada sofreram elevadas perdas.
Quando a guerra entre a URSS e a Alemanha nazi começou, a maioria dos bombardeiros soviéticos eram SB-2.

Muitos dos SB-2 sobreviventes foram convertidos em aeronaves de transporte e relegados para missões secundárias durante a guerra.

Ainda antes da invasão alemã, um substituto do SB-2 já tinha começado a ser estudado, o SB-3.

Informação genérica:
- - -

-

   
---