Dados sobre utilizadores deste modelo
Japão



Aeronaves do mesmo tipo ou relacionadas:

M-14 «Super Electra»
Aeronave comercial Medio Alcance
A-29 «Hudson»
Bombardeiro leve / táctico
M-18 / C-60 «Lodestar»
Aeronave comercial Medio Alcance
PV-2 «Harpoon»
Aeronave ligeira de vigilância marítima

M-14 «Super Electra»
Aeronave comercial Medio Alcance (Lockeed Martin)
M-14 «Super Electra»

Dimensões:Motores/ Potência
Comprimento: 13.52 M
Envergadura: 19.97 M
Altura: 3.48
2 x motores Wright SGR-1820-F62 (radial)
Potência total: 1520 HP/CV
Peso / Cap. carga Velocidade / Autonomia
Peso vazio: 4886 Kg
Peso máximo/descolagem: 7955 Kg
Numero de suportes p/ armas: 0
Capacidade de carga/armamento: 0 Kg
Tripulação : 2+1
Passageiros: 12 a 14
Velocidade Maxima: 398 Km/h
Máxima(nível do mar): 350 Km/h
De cruzeiro: 280 Km/h
Autonomia standard /carregado : 3100 Km
Autonomia máxima / leve 3420 Km.
Altitude máxima: 7649 Metros


- - -

Forum de discussão

Desenvovido com base no anterior modelo M-10 /M-12 Electra, o M-14 é mais uma das aeronaves resultado da enorme concorrência entre fabricantes, despoletada pela concorrência entre companhias aéreas que começavam a explorar rotas comerciais entre as várias cidades da América do Norte.

A aeronave tinha capacidade para até 14 passageiros (dai a designação do modelo) e o seu principal concorrente era o Douglas DC-2.

O M-14 voou pela primeira vez em 29 de Julho de 1937, tendo entrado ao serviço da empresa Northwest Airlines em Outubro desse mesmo ano. No entanto ele levava um atraso de três anos quando comparado com o principal concorrente o Douglas DC-2 operado pela TWA.

A Lockeed considerava que o M-14 tinha vantagens sobre o DC-2, porque embora transportasse menos passageiros ele era mais rápido.
No entanto, a realidade do mercado acabou falando mais alto e a Lockeed viu-se forçada a desenvolver um modelo alternativo

Informação genérica:
Esta família de aeronaves, teve a sua origem no desenho pela Lockeed de uma aeronave comercial para transporte de passageiros, na segunda metada da década de 1930.


O Lockeed 14 deparou-se com vários problemas técnicos e além disso também demonstrou ser insuficiente para bater o Douglas DC-2, que trasportava 18 passageiros. A Northwest chegou mesmo a devolver vários exemplares, pelo que a Lockeed desenvolveu uma variante do modelo 14, conhecida como modelo 18 «Lodestar».
Com um comprimento superior em 1.5m, ele tinha capacidade para transportar até 18 passageiros, a mesma quantidade do DC-2 «Dakota».

Os problemas políticos na Europa e a possibilidade de inicio de uma guerra foram vistos pela Lockeed como uma oportunidade de negócio. A empresa propôs aos britânicos, uma aeronave baseada no M-14, dedicada a utilização militar.

-

   
---