Dados sobre utilizadores deste modelo
Finlândia



Aeronaves do mesmo tipo ou relacionadas:

F2A-2 «Buffalo»
Avião de caça

F2A-2 «Buffalo»
Avião de caça (Brewster)
F2A-2 «Buffalo»

Dimensões:Motores/ Potência
Comprimento: 7.8 M
Envergadura: 10.67 M
Altura: 3.56
1 x motores Wright R-1820-40
Potência total: 1200 HP/CV
Peso / Cap. carga Velocidade / Autonomia
Peso vazio: 2076 Kg
Peso máximo/descolagem: 2695 Kg
Numero de suportes p/ armas: 0
Capacidade de carga/armamento: 300 Kg
Tripulação : 1
Passageiros: 0 a 0
Velocidade Maxima: 520 Km/h
Máxima(nível do mar): 459 Km/h
De cruzeiro: 253 Km/h
Autonomia standard /carregado : 1400 Km
Autonomia máxima / leve 1633 Km.
Altitude máxima: Não disponível


- - -

Forum de discussão

O caça F2A «Buffalo» [1] foi um dos primeiros caças monoplano da marinha dos Estados Unidos. Ele foi a proposta da Brewster para a substituição do caça biplano Grumman F3F.

O primeiro voo do avião ocorreu em Dezembro de 1937, com um protótipo equipado com o motor Wright R-1820-22 de 950cv de potência e armado com uma metralhadora 7.62mm e mais três metralhadoras 12.7mm (as duas metralhadoras das asas não estavam instaladas nos protótipos).

O «Buffalo» estava equipado com trem de aterragem retractil, o que era uma novidade para os aviões da aviação naval na década de 1930, já que se temia que um sistema retractil não fosse capaz de absorver o impacto da aterragem.

As prestações do Brewster «Buffalo» mostraram ser algo inferiores ao que estava especificado, com o avião a ficar limitado a uma velocidade máxima de 447km/h a uma altitude de 4300m.

O desenvolvimento foi atrasado pela tentativa de resolver os problemas que foram aparecendo e o avião só foi aceite pela marinha, porque o seu principal concorrente, o Grumman F4F «Wildcat» ainda teve mais problemas de projeto e concepção.

Dado ser a unica opção disponível, a marinha dos Estados Unidos aceitou o avião em 11 de Junho de 1938 e colocou uma encomenda para 55 exemplares, o primeiro dos quais seria entregue em Julho de 1939.

Moderno caça naval mas ineficiente

Quando entrou em combate, no final de 1941 e inicio de 1942, tinham decorrido dois anos desde a sua introdução ao serviço e os resultados foram muito negativos.

O Brewster Buffalo, foi desenhado desde raiz para operação a partir de porta-aviões, e para se debater com aeronaves baseadas em porta-aviões. A sua versão terrestre (inicialmente encomendada pela Bélgica) não era por isso especialmente preparada para combater contra aeronaves baseadas em terra.

Por isso as más prestações do Buffalo podem ser enganadoras, já que quando foi lançado ele era o mais moderno e eficiente caça naval do mundo. Os seus dois únicos concorrentes eram o Gloster Sea-Gladiator britânico e o Mitsubishi A5M4 «Claude» da marinha japonesa.

Combate em Singapura
Dois anos depois do inicio da guerra, os Buffalo tiveram que enfrentar os ágeis «Zero» japoneses quando estes invadiram a peninsula da Malásia e se lançaram contra Singapura. As perdas foram extremamente elevadas.Tanto os pilotos da força aérea da Austrália como os holandeses (que também utilizaram o modelo) tiveram problemas idênticos, resultado da inferioridade do Buffalo quando enfrentava o «Zero» japonês, nomeadamente em velocidade máxima e velocidade de ascenção.

Tentativas desesperadas foram desencadeadas para aumentar as prestações do Buffalo, como por exemplo reduzir o número de metralhadoras, mas sem resultados.
Os Brewster Buffalo foram complementados com quase uma centena de caças Hurricane, que no entanto também não tiveram qualquer influência significativa no resultado da campanha.

Sucesso na Finlândia
Há porém excepções no que respeita à análise das qualidades do Brewster Buffalo. Destaca-se o caso da força aérea da Finlandia, que adquiriu várias unidades para responder às necessidades da guerra de inverno (invasão da Finlândia pela URSS) e que depois utilizou o Buffalo contra os soviéticos.

Nas mãos dos pilotos finlandeses os Buffalo conseguiram derrotar aeronaves inimigas na proporção de 10 abatidos para cada avião perdido. Embora a maioria dos abates fosse de bombardeiros leves, entre os caças abatidos encontram-se os muito mais modernos Lavochkin LaG-5 e mesmo alguns Spitfire Mk.V da força aérea soviética.

Houve também excepções entre os pilotos australianos, com um caso registado de nove aviões japoneses abatidos em dois recontros.

Mas de qualquer das formas, nos dois anos que decorreram entre 1939 e 1941 novos e muito melhores aviões tinham aparecido. O principal problema do F2A Buffalo, foi o atraso em colocar ao serviço aeronaves com melhores características.

Versão para operação de bases em terra
Uma versão adaptada para operação em bases en terra foi encomendada pela força aérea da Bélgica e modificados entre Abril e Julho de 1940. Quando a Bélgica foi invadida pela Alemanha em 1940, apenas um dos aviões tinha sido entregue, tendo sido capturado pelos alemães. Seis outros foram enviados para ilhas francesas onde nunca foram utilizados e o restante da encomenda foi absorvido pela RAF britânica, que também tinha adquirido este modelo, o que também aconteceu com a Holanda. Embora fosse um avião para a marinha a versão convencional para pistas em terra representou quase 80% do total de caças «Buffalo» produzidos.

Aviões deste modelo serão enviados para Creta e também para Singapura, o que explica que o Buffalo fosse o avião mais numeroso quando os japoneses atacaram a Malásia em Dezembro de 1941.
A Finlandia adquiriu todos os 44 exemplares que já tinham sido produzidos[2] em 1939 que só começaram a chegar já a paz tinha sido assinada com a Russia. A Holanda


Versão finlandesa

Os finlandeses ficaram tão satisfeitos com o avião, que pensaram em construir mais 90 exemplares. Os modelos no entanto seriam construidos em madeira, e utilizariam motores radiais M-62 russos capturados. O caça foi chamado de «Humu» mas a perda de potência do motor russo M-62 a grande altitude era muito maior que a do motor Wright original. Além disso, as asas de madeira eram mais pesadas que as asas de aluminio, o que influia decididamente nas prestações do avião. Um protótipo chegou a voar, mas caiu devido a problemas técnicos. A encomenda prevista de 90 foi reduzida para 55 e posteriormente foi cancelada, embora um protótipo tenha continuado a ser desenvolvido. Voou em 8 de Agosto de 1944 e foi retirado de serviço em 1 de Janeiro do ano seguinte.


[1] - A designação «Buffalo» foi dadas pelos britânicos. A designação de fábrica era Brewster B-239.
[2] - A marinha dos Estados Unidos não estava interessada na versão inicial que considerou desadequada.

Informação genérica:
Durante a década de 1930 a marinha dos Estados Unidos colocou ao serviço várias aeronaves na configuração biplano e monoplano que abriram caminho que levaria à consolidação do dominio do porta-aviões como principal arma de guerra no mar.

De entre os modelos desenvolvidos, destacam-se:


Brewster B-239 / F2A-1
A Brewster recebeu uma encomenda para um trem de aterragem retractil para aplicar no Boeing 278A que estava ao serviço.
A Brewster aproveitou a oportunidade para apresentar um novo modelo de caça, com trem retractil e configuração em monoplano, que voou pela primeira vez em Dezembro de 1939 com um motor XR-1820-22 de 950cv. (54 encomendados, 44 deles vendidos à Finlândia como excedentes de guerra).

Brewster B-239 F2A-2
Resultado de a marinha americana ter considerado que o modelo anterior não tinha potência suficiente. O modelo «2» tinha um motor R-1820-40 de 1200cv e que mantinha uma potência de 900cv a grande altitude. Ele foi encomendado em 22 de Março de 1939. (43 encomendados pela marinha dos Estados Unidos).

Brewster B-339 / B-439 Buffalo
Em 1939 a Brewster começou a estudar uma versão so seu caça naval para utilização a partir de terra, para conseguir contratos de exportação.

A Bélgica encomendou 40 exemplares em 1940. A Grã Bretanha encomendou 170 e a Holanda outros 72 a que se somaram mais 20. A versão britânica tinha uma maior proteção para o piloto, o que resultou em maior peso e piores performances, o que era também influenciado pelo facto de a versão B-339 estar equipada com um motor ligeiramente menos potente (1100cv).
20 exemplares foram encomendados pelo governo das India Oriental Holandesa (Indonesia) mas a encomenda não foi entregue por causa da ocupação japonesa. Esta versão foi designada B-439 e estava equipada com o motor de 1200cv.

Brewster F2A-3
Esta versão era virtualmente igual à versão B-439 de exportação e foi encomendada em Janeiro de 1941, perante a urgência em obter qualquer tipo de avião de combate e aproveitando a inexistência de encomendas para o modelo. (108 exemplares encomendados).
O avião reteve o motor mais potente de 1200cv mas também manteve a blindagem padrão que tinha sido desenvolvida para os britânicos. O resultado foi o mesmo, com performances diminuidas por causa do excesso de peso.

A produção foi encerrada em Março de 1942


-

   
---