Aeronaves do mesmo tipo ou relacionadas:

DH-106 Comet-1
Aeronave comercial Medio Alcance
DH-106 Comet-4
Aeronave comercial Medio Alcance
Hs-801 «Nimrod»
Avião de patrulha marítima e luta anti-submarina

DH-106 Comet-4
Aeronave comercial Medio Alcance (de Havilland)
DH-106 Comet-4

Dimensões:Motores/ Potência
Comprimento: 33.99 M
Envergadura: 35 M
Altura: 8.99
4 x motores Rolls Royce Avon Mk.524
Potência total: 18900 Kgf
Peso / Cap. carga Velocidade / Autonomia
Peso vazio: 36430 Kg
Peso máximo/descolagem: 71000 Kg
Numero de suportes p/ armas: 0
Capacidade de carga/armamento: 0 Kg
Tripulação : 2+2
Passageiros: 56 a 81
Velocidade Maxima: 805 Km/h
Máxima(nível do mar): Não disponível
De cruzeiro: 0 Km/h
Autonomia standard /carregado : 5190 Km
Autonomia máxima / leve 6900 Km.
Altitude máxima: 13000 Metros


- - -

Forum de discussão

O Comet-4 foi o último desenvolvimento do Comet e o mais produzido de todos os modelos do tipo.

Ele era bastante moderno para a altura, mas o seu lançamento acabou sendo atrasado pelos problemas com o Comet-1, que levaram a que todos os aviões do tipo fossem proibidos de voar até que estudos demonstraram que havia um problema com a fadiga do metal utilizado na sua construção.

O Comet-4 era um avião bastante diferente do Comet-1 de que originou. Ele era mais longo e tinha uma capacidade de transporte muito superior.
As entregas do Comet-4 começaram em 30 de Setembro de 1958

Bater a Boeing
Na corrida para a realização do primeiro voo transatlântico de passageiros, a de Havilland conseguiu bater a Boeing, já que o seu primeiro voo ligando a Grã Bretanha aos Estados Unidos, ocorreu três semanas antes de o Boeing B707-120 ter também feito essa ligação.

Além da versão base Comet-4, que fora encomendada pela BOAC, outras duas derivações foram desenvolvidas, recebendo a designação de Comet-4B e Comet-4C. Tinham uma fuselagem ainda mais longa (35.97m) e capacidade para 79 a 119 passageiros na versão de alta-densidade.

O Comet 4 esteve ao serviço de 15 companhias aéreas. O último voo comercial foi efectuado já na década de 1980 pela companhia Dan Air. O último Comet-4 esteve ao serviço do governo da Grã Bretanha até à década de 1990.

Informação genérica:
Comet 1
Equipado com quatro motores Ghost Mk.1, o primeiro dos Comet, caracteriza-se pelas janelas quadradas, qute também estiveram na origem dos problemas que levaram à perda de alguns exemplares.
Aos primeiros 12 exemplares, sucederam-se mais dez numa versão conhecida como Comet-1A. Destes 10, dois seriam convertidos para o padrão Comet-1X e 4 para o padrão Comet-1XB, o total produzido foi de 22.

Comet 2
De dimensões ligeiramente mais generosas (mais 94cm) e maior autonomia, o Comet-2 foi pensado para as rotas transatlânticas, com 44 assentos. O primeiro avião voou a 27 de Agosto de 1953.
Após os acidentes os Comet-2 foram reconstruidos com a aplicação de metal mais espesso e janelas redondas.
Foram produzidas 24 aeronaves, mas as modificações foram consideradas insuficientes para a função de transporte transatlântico, pelo que a maioria dos exemplares foi para RAF.

Comet 3
Esta versão do Comet era muito mais longa, resultando numa fuselagem 4.7m mais longa relativamente ao Comet-2 (5.64m relativamente ao Comet 1). A potência também era maior com quatro motores desenvolvendo um total de 18.000kg/f.
Tratou-se no entanto de uma versão de teste, já que tinha sido planeada antecipadamente e não tinha os reforços que foram aplicados aos outros modelos. O Comet-3 não podia ser pressurizado. Apenas dois aviões foram completados e apenas um chegou a voar.

Comet 4
Resultado dos estudos no Comet-3, o Comet-4 foi a versão definitiva do Comet.
Ele tinha uma fuselagem longa e uma capacidade para sentar de 74 a 81 passageiros. No total foram produzidos 76 exemplares.

Comet 5
Uma quinta versão do Comet chegou a ser considerada e proposta. Tratava-se de um Comet com uma fuselagem mais larga e maior comprimento. No entanto o avião não conseguiu reunir o interesse dos potênciais clientes, ao que não foi alheio o facto de ele continuar a ser visto como o desenvolvimento de um avião que tinha dado problemas.

A falta de apoio estatal por parte do ministério dos transportes da Grã Bretanha acabou por deixar o Comet-5 no estadio de desenvolvimento, nunca tendo sequer chegado à fase de protótipo.

Nimrod
Em 2 de Fevereiro de 1965 foi anunciado no parlamento britânico o desenvolvimento do primeiro avião a jato de reconhecimento marítimo. A aeronave que seria conhecida como Nimrod teria como base o Comet-4. Este tipo de aeronave continuou ao serviço até Março de 2010, altura em que foi retirado, essencialmente por causa dos altíssimos custos operacionais.


Fadiga do metal

O problema da fadiga do metal, foi pela primeira vez referido num trabalho de 1837, em plena revolução industrial, indicando que os metais, quando submetidos a tensões cíclicas e essas tensões ocorrem acima de determinados limites, começam a notar-se micro-fissuras, as quais podem agravar-se com a continuação dos ciclos.

O problema da fadiga do metal, não era novidade quando o Comet foi concebido, mas não estava suficientemente estudado o ponto a partir do qual a fadiga do material inevitavelmente acontece.
As aeronaves Comet foram reforçadas de forma a que não se passasse do ponto em que as tensões cíclicas começam a ser um problema. No entanto, quando o problema foi identificado e resolvido era já demasiado tarde.

-

   
---