Aeronaves do mesmo tipo ou relacionadas:

L-049 Constellation
Aeronave comercial Longo Alcance
L-1049G Super Constellation
Aeronave comercial Longo Alcance
L-1649A Starliner
Aeronave comercial Longo Alcance

L-1649A Starliner
Aeronave comercial Longo Alcance (Lockeed Martin)
L-1649A Starliner

Dimensões:Motores/ Potência
Comprimento: 35.4 M
Envergadura: 45.75 M
Altura: 7.13
4 x motores Wright R-3350 turbo compound
Potência total: 13600 HP/CV
Peso / Cap. carga Velocidade / Autonomia
Peso vazio: 38370 Kg
Peso máximo/descolagem: 70200 Kg
Numero de suportes p/ armas: 0
Capacidade de carga/armamento: 10950 Kg
Tripulação : 2+2
Passageiros: 99 a 99
Velocidade Maxima: 600 Km/h
Máxima(nível do mar): Não disponível
De cruzeiro: 550 Km/h
Autonomia standard /carregado : 8000 Km
Autonomia máxima / leve 11000 Km.
Altitude máxima: 7228 Metros


- - -

Forum de discussão

A última variação do Constellation, foi provavelmente um dos maiores erros da empresa Lockeed, que lhe custaria muito caro e eventualmente resultaria na saída da empresa do mercado da aviação civil.

O lançamento pela Douglas de uma versão alongada do DC-6 com motores mais poderosos, levou a Lockeed a ficar em desvantagem. O Douglas DC-7 era mais rápido, tinha maior capacidade e maior autonomia que o Constellation.

Isto forçou a empresa a desenvolver uma versão melhorada que pudesse reponder à aeronave da Douglas.

Foi considerada a instalação de turbo-propulsores, o que consistia num casamento entre os motores tradicionais e os motores da era do jato. Esse avião seria o Lockeed L-1449 que deveria atingir uma velocidade de cruzeiro de 700km/h tendo um alcance de 8500km.
Os militares demonstraram interesse numa aeronave com estas características.
Problemas com os motores e desentendimentos entre a Lockeed e a Pratt & Witheny sobre o projecto acabaram por levar ao cancelamento do L-1449.

Como opção, e como já tinha parte do desenvolvimento concluido, a Lockeed dedicou-se então ao desenvolvimento de um Super Constellation com uma nova asa.
Este modelo seria conhecido como Lockeed L-1649A Starliner e voou pela primeira vez em 10 de Outubro de 1956.

Com as novas asas o Starliner conseguir bater o Douglas DC-7, conforme previsto.

Quando a TWA começou a introduzir o avião nas suas rotas chamava o avião de «Jetsrream Stirliner». Era um truque comercial, numa altura em que os modelos a jato começavam a afirmar-se.

Embora tenha conseguido superiorizar-se ao seu principal rival, o Douglas DC-7C, apenas 44 exemplares do L-1649A foram entregues (27 à TWA), contra um total de 121 exemplares do avião da Douglas.

Mas o tempo do Constellation tinha na realidade chegado ao fim, como também tinha o DC-7 da Douglas. Os dois rivais tinham sido batidos pela Boeing na corrida para desenvolver um jato comercial.
O último avião da linha Constellation foi entregue em 12 de Fevereiro de 1958 à Lufthansa.

A maior parte dos Constellation mais recentes acabaria por ter uma curta vida útil como avião de passageiros.
Com a rápida chegada dos aviões a jato, os Constellation foram na sua maioria convertidos em cargueiros.

Informação genérica:
Podemos encontrar as origens do Constellation, num modelo concebido pela Lockeed e apresentado ainda em Abril de 1939, chamado Lockeed model 44 «Excalibur».
Tratava-se de um quadrimotor com capacidade para transportar 21 a 33 passageiros. O Excalibur, era aparentado com o modelo M14 Super Electra também da Lockeed, embora movido por quatro motores. A aeronave deveria ter capacidade para atingir uma velocidade máxima de 451km/h.

A compra da empresa TWA pelo bilionario Howar Hughes, levou a que este solicitasse a concepção de um Excalibur com mais capacidades. O modelo passou a ter capacidade para 36 passageiros e seis tripulantes, que poderiam voar durante 5800km (Nova Iorque a Los Angeles).
Este alcance, era superior ao da maioria das aeronaves norte-americanas e muito superior ao alcance dos avioes europeus.

As alterações nas características foram muitas e por isso foi decidido designar o projeto com um novo nome: Constellation.

A apresentação pública do novo avião não ocorreu sem problemas.
Os problemas não foram técnicos mas políticos. Howard Hughes viajou de costa a costa desde a California até Washington e apresentou a aeronave como aeronave comercial moderna destinada ao mercado civil.
Com esta demonstração Hughes atraiu a ira dos generais do exército e da aviação do exército, que sabiam da existência da aeronave e não queriam ouvir falar em aviões comerciais com o país em guerra.

No entanto, no ano seguinte, tornara-se óbvio que o destino da guerra estava traçado e o próprio governo cancelou parte das encomendas que tinha colocado.

Podemos dividir a família Constellation da seguinte forma:

Versão curta

C-69 - Versão militar, a primeira a ter sido entregue

L-049 - Reconversão do C-69 para utilização pelo mercado civil
L-049A - Idêntica à anterior mas com asa reforçada, permitindo peso máximo à descolagem de 40500kg.
L-049B - Como a versão anterior mas com peso máximo à descolagem aumentado para 41900kg.
L-049C - Idêntica à anterior com pequenas alterações na potência de arranque.
L-049D - Idêntica à anterior com peso máximo à descolagem aumentado para 43200kg.
L-149 - Idêntico à versão anterior mas com peso máximo à descolagem aumentado para 45000kg.


L-649 - Nova versão bastante modificada com novos motores com uma potência total de 10000cv
L-649A - Versão com fuselagem reforçada
L-749 - Idêntico ao L-649A, mas com peso máximo à descolagem aumentado para 46000kg.
L-749A - Modificações na asa, novo sistema de travagem e peso máximo à descolagem aumentado para 48200kg.


versão alongada

L-1049 - Nova versão, que ficou conhecida como Super Constellation, caracterizada pelo aumento no comprimento da fuselagem, um aumento de potência total para 10800cv e um peso máximo à descolagem de 54000kg.
L-1049A - Transformou-se na nova versão militar que substituiu o C-69. A maior parte destes modelos ficaram conhecidos como C-121.
L-1049B - Versão cargueiro, com motores mais potêntes e peso máximo à descolagem aumentado para 59000kg.
L-1049C - Primeira versão de passageiros a utilizar o sistema «Turbo Compound» uma forma de tentar ultrapassar os continuos problemas com os motores dos Constellation.
L-1049D - Versão de carga, com um peso máximo à descolagem aumentado 67500kg.
L-1049E - Idêntica à versão C mas com a mesma capacidade de descolagem da versão D.
L-1049F - Designação dada aos 33 cargueiros entregues à Força Aérea dos Estados Unidos, classificados como C-121C pelos militares.
L-1049G - Também conhecida como Super G, esta versão foi a mais produzida de todas as versões do Constellation. Peso máximo à descolagem de 63000kg.

L-1649A Starliner - Versão de muito longo alcance do Constellation, com um peso máximo à descolagem de 72000kg. A principal diferença relativamente ao 1049 reside numa asa completamente redesenhada, que lhe dá muito melhores performances.
Foi o último dos Constellation a ser produzido.

-

   
---