Aeronaves do mesmo tipo ou relacionadas:

Ar-234B Blitz
Bombardeiro leve / táctico
Me 163B
Caça interceptor
He 162A Salamander
Avião de caça

Ar-234B Blitz
Bombardeiro leve / táctico (Arado)
Ar-234B Blitz

Dimensões:Motores/ Potência
Comprimento: 12.64 M
Envergadura: 14.1 M
Altura: 4.3
2 x motores BMW 003A-1
Potência total: 1600 Kgf
Peso / Cap. carga Velocidade / Autonomia
Peso vazio: 5200 Kg
Peso máximo/descolagem: 9850 Kg
Numero de suportes p/ armas: 3
Capacidade de carga/armamento: 1350 Kg
Tripulação : 1
Passageiros: 0 a 0
Velocidade Maxima: 742 Km/h
Máxima(nível do mar): Não disponível
De cruzeiro: 700 Km/h
Autonomia standard /carregado : 1556 Km
Autonomia máxima / leve 1630 Km.
Altitude máxima: 10000 Metros


- - -

Canhões / Metralhadoras
- 2 x 20mm MG-151/20 (Calibre: 20 )

Forum de discussão

O projeto do Arado Ar-234 começou quando em 1940 os engenheiros da fábrica começaram a planear um avião de reconhecimento a grande altitude, que pudesse utilizar os novos motores a jato que tanto a BMW quanto a Junkers estavam a desenvolver. O desenvolvimento veio na sequência de um pedido do ministério do ar, ao qual apenas a Arado respondeu.

Na primavera de 1941, pouco antes da invasão da União Soviética, o desenho básico já estava terminado e consistia num monoplano convencional de asa alta, uma fuselagem estreita que incluia um compartimento pressurizado em plexiglass que acomodava o piloto.
As rodas estavam montadas num triciclo, que era largado após a descolagem. A operação foi considerada complicada desde o inicio.

Sem motores disponíveis, os técnicos estimaram que a aeronave não conseguisse atingir alguns dos valores pedidos na especificação, mas como não havia alternativas, o ministério do ar autorizou a construção de dois protótipos que ficaram prontos antes do fim de 1941, mas o projeto ficou congelado por um ano, porque o primeiro motor a jato Junkers 00B-0 só ficou disponível em Fevereiro de 1943.

Os primeiros testes no chão só ocorreram em Março de 1943. Em 15 de Junho de 1943 o primeiro Arado Ar-234 voou pela primeira vez.

A potência do motor não era suficiente e o Ar-234 precisava de um pista longa para descolar. Isto levou a que se instalassem foguetes propulsores adicionais nas asas que facilitavam a operação.

O projeto enfrentou vários problemas, nomeadamente em Outubro de 1943 quando ocorreu um acidente de que resultou a perda da aeronave e a morte de um piloto de testes. Além disso, por não ter trem de aterragem, o Ar-234 tinha que ser rebocado por uma viatura especializada e colocado em cima do triciclo, o que demorava muito tempo e deixava a área de aterragem obstruida por aviões espalhados, que além do mais ofereciam um ótimo alvo para aeronaves inimigas.

Os problemas com as rodas alijáveis foram resolvido com a inclusão de um trem de aterragem retratil que voou em 10 de Março de 1944.

Com estes problemas resolvidos o fabricante recebeu autorização para a produção em série. Foi desenvolvida uma versão de reconhecimento fotográfico que transportava duas cameras montadas na parte posterior da fuselagem.

Foi igualmente desenvolvido o Ar-234B-2, a versão de bombardeamento que tinha capacidade para carregar 1350kg de bombas, uma transportada numa posição central e uma em cada asa.

A aeronave foi então colocada em unidades de teste, que testaram o modelo em condições reais de combate, algo que era comum na Alemanha durante a II guerra mundial (e aconteceu com vários outros modelos). A primeira missão de reconhecimento decorreu a 2 de Agosto de 1944, tendo o avião voado a uma altitude de 30.000 pés (cerca de 10km).

As imagens tiradas pelos Arado Ar-234 foram as primeiras que permitira aos alemães saber o que se passava nas praias da Normandia, e a dimensão da estrutura logística montada.

Em Setembro de 1944 as unidades de reconhecimento começaram a receber o Ar-234B (bombardeiro)

Apenas 196 Arado Ar-234A e B foram produzidos. No final de 1944 foi iniciada a produção do Ar-234C, que estava equipado com quatro motores (dois em cada asa) mas apenas 14 exemplares foram construidos e desses cerca de seis receberam motores, mas nunca chegaram a voar. A produção total atingiu 210 exemplares.

Informação genérica:
Desde meados da década de 1930 que a Alemanha demonstrou interesse pelo desenvolvimento de aeronaves movidas por foguetes ou mais tarde por motores a jato.

A necessidade de manter a liderança tecnológica foi sempre entendida como de importância primordial, se a Alemanha queria ter alguma possibilidade de enfrentar potências com vastíssimos recursos e territórios.

Logo, as aeronaves a jato alemãs e os projetos mais ou menos estranhos para a altura, não eram resultado de nenhum gosto especial dos dirigentes nazistas pelas novidades e pelas novas tecnologias, mas sim da aceitação do principio de que, sem uma qualquer vantagem competitiva, a vitória alemã na guerra seria absolutamente impossível.

Heinkel He-176
O primeiro avião a voar propulsionado por um foguete.

Heinkel He-178
O primeiro avião experimental a voar com um motor a reação (27 de Outubro de 1939)

Heinkel He-280
O primeiro avião a reação concebido como caça puro, não provou durante os testes. Ele perdeu para o projeto da Messerschmitt, que resultou no Me-262.

Messerschmitt Me 163
Esta aeronave foi vista como revolucionária e não era exactamente um caça, mas um interceptor de curto raio de ação, cujo comportamento em combate mostrou ser muito deficiente.

Heinkel He-162
O Volksjager, ou caça do povo deveria ser facil de pilotar e o treino seria feito pelos jovens da juventude hitleriana já em combate contra o inimigo. Mais de 800 foram produzidos, embora apenas um pequeno número tenha sido entregue a uma unidade de testes.

Arado Ar-234B
Aeronave de reconhecimento que também foi construida como bombardeiro leve. Apenas 210 foram produzidos e desses pouco mais de metade chegaram a voar.

-

   
---