Dados sobre utilizadores deste modelo
India

Tejas LCA
Avião de caça (HAL Hindustan Aeronautics)
Tejas LCA

Dimensões:Motores/ Potência
Comprimento: 13.2 M
Envergadura: 8.2 M
Altura: 4.4
1 x motores General Electric F414
Potência total: 9993 Kgf
Peso / Cap. carga Velocidade / Autonomia
Peso vazio: 5680 Kg
Peso máximo/descolagem: 13500 Kg
Numero de suportes p/ armas: 8
Capacidade de carga/armamento: 4000 Kg
Tripulação : 1
Passageiros: a
Velocidade Maxima: 1900 Km/h
Máxima(nível do mar): 1150 Km/h
De cruzeiro: 1100 Km/h
Autonomia standard /carregado : 1020 Km
Autonomia máxima / leve 1900 Km.
Altitude máxima: 16500 Metros


- - -

Canhões / Metralhadoras
- 1 x 23mm GSh-23 (Calibre: 23 )
Radares
- IAI / ELTA Systems EL/M-2032 - Multi-modo/Pulso Dopler (Alcance médio: 51Km)

Forum de discussão

Iniciado em 1983, o projecto LCA (aeronave ligeira de combate) tem-se vindo a desenvolver lentamente na India.

Ele é provavelmente um dos mais leves caças do mundo, muito por causa da utilização de materiais plásticos compostos, que têm vindo a ser desenvolvidos recentemente.

O Tejas, é uma tentativa de produzir uma aeronave de combate dentro da realidade do mercado indiano, tentando nacionalizar a maioria dos componentes.

Os sistemas de comunicaçãos, bem assim como o sistema de gestão de missão, ou computador de combate são baseados em design indiano, desenvolvido ao longo dos anos. Segundo os planos indianos, esta aeronave terá um papel secundário e a Força Aérea da India parece estar ao corrente de que a aeronave, embora tendo conseguido um grau de nacionalização bastante elevado, não está em condições de disputar o dominio dos ceus com as mais recentes (e mesmo outras não tão recentes) aeronaves do mundo.

Além disso, o motor Kaveri, da fabricação indiana parece ter apresentado problemas, pelo que a aeronave poderá ser declarada operacional sem que os problemas de fiabilidade dos motores tenham sido resolvidos.

Parte dos sistemas integrados de combate, baseiam-se na utilização de um processador Intel 386, o que demonstra os problemas de um sistema que demorou muito tempo a desenvolver e que por isso foi ficando obsoleto com o tempo.
Também não foram incorporadas nenhumas características «Stealth» à aeronave, pelo que esta baseia a sua fuga aos radares, no seu pequeno tamanho.

A Índia não desenvolveu mísseis e sistemas de armas aéreos para a aeronave, pelo que esta deverá ser armada com um canhão russo e com mísseis de curto alcance da mesma proveniência.

Embora do ponto de vista técnico o Tejas, não seja de facto um grande sucesso, ele é visto como um importante marco na criação da industria aeronautica da Índia, permitindo ao país futuramente o desenvolvimento de outras aeronaves, eventualmente mais capazes.

Os custos de desenvolvimento do projecto até 2007, deverão estar entre 400 e 500 milhões de Euros.



Em Junho de 2012, foi anunciado que a India abandonou o projecto de construção de um motor concebido localmente. Em vez de um motor de concepção local (Kaveri GTX 35VS, com potência de 5200kgf) as autoridades indianas optaram pelo motor F414 da General Electric norte-americana, que já tinha sido escolhido para os lotes iniciais de pré produção e produção da versão Mk.I da aeronave.
Entre as razões para o abandono, está o longo periodo de desenvolvimento (mais de 15 anos) e o facto de o motor nunca ter conseguido atingir as prestações que os militares esperavam dele.

Informação genérica:
- - -

-

   
---