Armas relacionadas:

120mm M58 L/60
Canhão anti-tanque
120mm L-11
Não aplicável
120mm L/44 - M256
Não aplicável
120mm / Arjun
Não aplicável
120mm CN-120/52
Não aplicável
120mm L-30 «Charm»
Não aplicável
120mm L/55
Canhão anti-tanque

Loading

120mm L-30 «Charm»
Anti-tanque

Fabricante da arma: Royal Ordnance Factories
Função principal: Anti-tanque --- Calibre: 120mm
Cadência de tiro: 8 disparos p/min (max) Alcance eficaz: de 300 a 4500m
Comprimento da peça (cano): 0mm /
Peso da munição: 0grPeso da arma: 0Kg
Velocidade do projectil: 1534 metros/s (max) Carregamento: Manual
2500M
2900M
3300M
3800M

 

Utilizado pelos seguintes veículos:
Carro de combate pesado - Challenger 2


A nova versão de canhão de 120mm que veio substituir o já antiquado L-11 em 1995 no tanque Challenger-2.

Ele utiliza toda a gama de munição utilizada pelo anterior canhão L-11. Ele também utiliza munição de carregamento separado, embora seja possível a utilização de uma tela que permite tratar a munição como se se tratasse de uma peça única.

Em termos de alcance, as prestações deste canhão são idênticas ao mais antigo L-11.

Embora com um alcance considerável, o facto de ser um canhão estriado leva a que seja necessária a sua troca em intervalos menores.

Ao mesmo tempo o alcance da arma para munição perfurante de energia cinética é inferior a vários outros canhões ocidentais.

O facto de esta arma ter capacidade para disparar munição do tipo HESH a grande distância, perde importância à medida que a munição HESH se vai tornando obsoleta perante as novas blindagens reactivas e compostas, cada vez mais comuns nos tanques modernos.



Em 2006, o exército britânico começou a analisar a possibilidade de substituir este canhão pelo modelo alemão L-55 da Rheinmetal, que é utilizado pelo tanque Leopard-2A6 e pelas últimas versões do tanque Abrahams M1-A2-SEP.

Descrição genérica sobre este tipo de armamento:
O calibre 120mm começou a ser utilizado pelos britânicos e americanos no seguimento da II guerra mundial, quando foi estudada a utilização de carros de combate pesados.

Tanto britânicos como norte-americanos desenvolveram blindados deste tipo mas os norte-americanos abandonaram a ideia antes dos britânicos. As primeiras peças de 120mm utilizadas foram alias baseadas no mesmo projeto desenvolvido nos Estados Unidos.

Os britânicos também acabaram por abandonar o seu carro de combate pesado «Conqueror» mas mantiveram as peças de 120mm, com cano estriado que adaptaram nos seus carros Chieftain.

O desenvolvimento pela União Soviética dos carros de combate da família T-64/T-72 no final dos anos 60, levou a que tanto americanos quanto europeus voltassem a olhar para esse calibre, e para a utilização de um cano de alma lisa.

O carro de combate que foi desenvolvido em conjunto pela Alemanha e pelos Estados Unidos, utilizava armamento deste calibre.
O projecto conjunto foi cancelado, e alemães por um lado e americanos por outro prosseguiram com o desenvolvimento dos seur próprios carros de combate.
No entanto, o armamento que tinha sido desenvolvido pela alemã Rheinmetal foi adoptado quer pelo derivado americano, o M1A1-Abrams, quer pelo alemão, o Leopard-II.

A peça da Rheinmetal de 44 calibres, foi fabricada sob licença nos Estados Unidos e equipa os carros de combate M1A1, da mesma forma que um derivado do derivado, equipa os carros de combate Merkava-III e Merkava IV de Israel.

Os carros de combate Leopard-2 até à versão Leopard-2A5 também utilizam o mesmo armamento.

Os alemães lançaram no final dos anos 90 uma versão modificada da arma de 120mm, com um cano mais longo, de 55 calibres, que é bastante mais poderoso que o seu antecessor.

Esta arma, que é considerada como a mais poderosa arma principal alguma vez instalada num carro de combate de série, equipa os carros Leopard-2A6 nas suas várias séries e também equipa o novo carro de combate coreano Hyundai K-2 «Black Panther».

Outras armas deste calibre

Além dos alemães, também os franceses desenvolveram canhões para os seus carros de combate neste calibre, as quais equipam o carro de combate Leclerc.

Na Ucrânia, foi desenvolvida uma derivação do canhão soviético de 120mm standard dos carros de combate T-64 / T-72 para permitir o disparo da munição de 120mm NATO.

Na India, foi desencolvida uma peça de 120mm mas de cano estriado, para utilização pelo carro de combate Arjun.
Esta arma é no entanto aparentada com as peças de 120mm dos carros de combate britânicos.

A Grã Bretanha, por seu lado, estudava em 2010 a possibilidade de substituir as peças de 120mm dos seus carros de combate Challenger-2, pela L/55 do Leopard-2A6 e do «Black Panther».


 
   
---