Armas relacionadas:

57mm Mk.2 L/40 (QF-6 pdr)
Canhão
57mm Type-90/97 L/18.4
Canhão anti-tanque
57mm QF L/43 Mk 2 / Mk 3
Canhão anti-tanque

Loading

57mm Mk.2 L/40 (QF-6 pdr)
Apoio de fogo

Fabricante da arma: Hotchkiss & Comp.
Função principal: Apoio de fogo --- Calibre: 57mm
Cadência de tiro: 6 disparos p/min (max) Alcance eficaz: de 500 a 6750m
Comprimento da peça (cano): 2280mm /
Peso da munição: 555grPeso da arma: 382Kg
Velocidade do projectil: 554 metros/s (max) Carregamento: Manual
Ineficaz a qualquer distância
50M
150M
500M

 

Utilizado pelos seguintes veículos:
Carro de combate médio - Tank Mk V «Male»
Carro de combate médio - Tank Mk I «male»
Carro de combate médio - Mark II Medium Tank


Baseado num canhão naval de origem francesa, esta arma foi posteriormente utilizada para aplicação em veículos blindados como arma para tiro direto.
A arma foi aplicada aos carros de combate pesados do tipo romboide Mk.I a Mk.V

Foi também utilizada nos carros de combate médios britânicos da década de 1920 como o tamque médio Mk.II

Esta canhão foi utilizado pelos franceses, pelos britânicos, pelos norte-americanos, pelos japoneses e pelos soviéticos. Todos estes países produziram versões próprias com derivações e características especificas.

Descrição genérica sobre este tipo de armamento:
Armas deste calibre foram as primeiras armas de calibres maiores a serem instalads em carros de combate britânicos durante a I guerra mundial.

No periodo posterior ao grande conflito de 1914-1918 os britânicos desenvolveram carros de combate com este armamento e no final da década de 1930, também desenvolveram uma versão melhorada utilizando o mesmo calibre.

O rápido desenvolvimento da artilharia e dos blindados no entanto, acabou por tornar o calibre 57mm obsoleto, embora armas deste calibre tivessem equipado viaturas blindadas britânicas durante a II guerra.

O Japão, que também adquiriu carros de combate aos britânicos no final da década de 1920 também possuia peças de artilharia equivalentes, normalmente utilizadas para aplicação contra infantaria.
Tal como os britânicos, os japoneses também desenvolveram uma versão modernizada no final da década de 1930 (que equipou o caro Type-97), mas como os britânicos também os japoneses concluiram que se tratava de um tipo de arma desadequado para combates entre tanques.


 
   
---