Armas relacionadas:

76mm L/17 «KT-28»
Canhão
76mm L-10 L/24 m.1938
Canhão anti-tanque
76mm L-11 L/30,5 m.1939
Canhão anti-tanque
76mm ZiS-3 L/51
Canhão
76mm/42 F-34 Mod.1940
Não aplicável
76mm D-56T
Canhão multiusos

Loading

76mm ZiS-3 L/51
Artilharia de curto/médio alcance

Fabricante: Soviet State Factories
Função principal: Artilharia de curto/médio alcance --- Calibre: 76.2mm
Cadência de tiro: 25 disparos p/min.Alcance máximo: 13.3Km
Comprimento: 3.87M / Largura: 0 - Altura: 0
Peso da munição: 6.2KgPeso do sistema: 1100Kg
Velocidade do projectil: 680 metros/s Tripulação da peça: 7

 

Países que utilizam este sistema: União Soviética - III Reich / Alemanha -

Utilizado pelos seguintes veículos:
Canhão de assalto - SU-76M


O canhão ZiS-3 de 76.2mm foi o mais fabricado de toda a II guerra mundial e uma das armas mais decisivas utilizadas na frente leste.

O seu desenvolvimento ocorreu a partir de 1940 e não teve inicialmente autorização das chefias militares, pelo que tendo ocorrido na altura das purgas de Estaline, os técnicos correram o risco de enfrentar o pelotão de fuzilamento.

Os engenheiros soviéticos aplicaram o sistema de transporte da peça de calibre mais pequeno ZiS-2 de 57mm e aplicaram-lhe o novo canho de 76.2mm e 51 calibres. A arma tinha grande potência, pelo que foi necessário recorrer a um freio de boca o que permitiu reduzir as avarias causadas pelo elevado desgaste de material e ao mesmo tempo permitiu que a arma fosse instalada a bordo de um tanque leve, permitindo a sua conversão em canhão de assalto.

T-34/100l
A versão rebocada do canhão de 76mm: ao mais numerosa peça de artilharia produzida durante a II guerra
A principal vantagem desta arma era a sua capacidade para disparar uma grande variedade de diferentes tipos de munição, podendo ser utilizada como arma anti-tanque ou como peça de artilharia tradicional, para apoio de forças de infantaria, com tiro directo ou tiro indirecto.
A simplicidade do seu mecanismo permitia uma alta cadência de tiro, que podia atingir 25 disparos por minuto, dependendo da qualidade da guarnição.

O seu sucesso mede-se também pelo facto de a arma ter sido adaptada para instalação no primeiro canhão de assalto da União Soviética, SU-76, construido com base no tanque leve T-70.

A produção desta arma. Nas suas várias versões e derivações ultrapassou as 103.000 unidades. Esta peça de artilharia continuou em produção mesmo após o fim da guerra, tendo sido substituida nas linhas de montagem pelo modelo D-44 de calibre 85mm.

O ZIS-3 tinha um comportamento balístico idêntico ao F-34 que equipava os carros de combate T-34

Descrição genérica sobre este tipo de armamento:
O calibre 76,2mm foi utilizado pelos soviéticos desde os anos 30, mas os soviéticos mantiveram ao serviço sistemas com o mesmo calibre herdados do imperio russo, que estvam ao serviço desde o inicio do século XX.

A mais conhecida peça de artilharia de divisão era o óbus de 76,2mm modelo 1902, que foi modernizado no inicio dos anos 30, pelo que passou a ser designado m.1902/30, que passou pela modificação no cano, que passou de 30 calibres (30x76,2mm = 2,29m) para 40 calibres (3,05m).

O sistema estava no entanto irremediavalmente ultrapassado, pois quer a sua velocidade de disparo (662m/s) quer o sistema de carga ou a reduzida flexibilidade no campo de batalha tornavam a arma pouco eficaz.
Isto levou as autoridades a solicitar aos gabinetes de desenvolvimento uma nova arma com o mesmo calibre.



Armamento de 76mm nos carros de combate soviéticos

Quando os soviéticos desenvolveram os seus carros de combate nos anos 30, optaram por equipa-los com dois calibres básicos:
Os carros de combate mais ligeiros estariam equipados com peças de 45mm enquanto que os pesados estariam equipados com peças de 76,2mm.
Este foi portaanto o armamento escolhido para os carros de combate pesados da URSS durante os anos 30, mas à medida que novos testes iam sendo realizados, chegou-se à conclusão de que a sua colocação em carros de combate médios seria mais adequada.
É por isso que já nos anos 40 e antes de a URSS entrar em guerra com a Alemanha, o carro de combate médio T-34 também recebeu um armamento principal de 76mm.

Durante algum tempo, tanto os carros de combate pesados KV-1 como os carros de combate médios T-34 estavam equipados com o mesmo armamento.

A URSS no entanto começou a perceber logo em 1942, que os Panzer-IV alemães começavam a aparecer com placas adicionais de blindagem que tornavam os carros alemães mais dificeis de abater.

Os estudos para desenvolver uma arma mais poderosa já estavam a ser realizados, mas a invasão alemã e a situação caótica em que se encontrava a industria soviética atrasaram o inicio da produção de viaturas com o novo armamento.

O carro de combate T-34 começou a receber a nova arma de 85mm a partir de 1944, tendo participado na grande operação Bagration em Junho de 1944.


 
   
---