Armas relacionadas:

406mm L/45 Mk.1 / Mk.5
Canhão naval
406mm Mk-1 mod.1922 (UK)
Canhão naval
406mm L/45 Mk.6 M.1936 (US)
Canhão naval
406mm L/50 Mk VII (US)
Canhão naval

Loading

Torre 406mm Mk-1 mod.1922 (UK)

Fabricante da torre: Royal Ordnance Factories
Função principal: Anti-navio Calibre da arma: 406mm
Cadência de tiro: 2 disparos p/min.Alcance máximo: 38.1Km (23.7Milhas)
Peso da munição: 1155Kg Alcance Antiaéreo : 0Km
Peso da torre: 1503700KgTripulação: 99
Numero de canhões do sistema:3 Elevação: 40

 

Sistema utilizado pelos seguintes navios:
Couraçado «Super-Dreadnought» Classe Nelson (Reino Unido)


Desenhados nos anos 20, estes canhões foram os únicos canhões de 406mm (16 polegadas) a entrar ao serviço em couraçados britânicos.
Estava prevista a sua utilização para a nova classe de couraçados da Grã Bretanha a construir nos anos 30, mas a tentativa de garantir limites aos armamentos principais dos navios levou os britânicos a optar pelo calibre 343mm (13.5 polegadas).

A arma voltou a estar prevista para a classe de couraçados que foi posteriormente lançada e que não chegou a ser construida.

Embora copm um enorme poder destrutivo, os canhões de 406mm não mostraram em testes ser muito superiores aos canhões de 380mm que equiparam grande numero de navios britânicos ao serviço durante a II Guerra Mundial.

No entanto, foram estes canhões que desferiram os golpes mais definitivos que selaram definitivamente o destino do couraçado alemão Bismarck, em Maio de 1941.

Vida útil: máximo de 200 a 250 disparos.

Descrição genérica sobre este tipo de armamento:
A corrida aos armamentos navais que contribuiu para a I guerra mundial levou ao aumento quase exponencial do poder do armamento principal dos couraçados.

Os britânicos tinham normalmente canhões de calibre superior aos alemães, principalmente porque estes últimos consideravam, com alguma razão, que o seu armamento era superior ao armamento britânico.

Enquanto a Royal Navy utilizava essencialmente peças de 305mm os alemães ficavam-se pelos 280mm.
A progressão continuou e quando os alemães adoptaram o calibre 305, logo os britânicos passaram para o calibre 343 (13,5 polegadas). Mais tarde, já a guerra tinha começado, os alemães começaram a desenvolver peças de 380mm.
Isto levou os britânicos a projectar navios com peças de 406mm.
O calibre também começou a ser estudado pelos norte-americanos.

A guerra terminou, mas não o desenvolvimento dos armamentos deste calibre. Entretanto, os tratados internacionais assinados após o final da guerra condicionaram o desenvolvimento do armamento.
Os novos couraçados britânicos durante a II guerra ficaram por isso limitados a canhões de 356mm, enquando que alemães, franceses e italianos desenvolveram canhões de 380mm.

No entanto, e embora tivessem sido previstos, nenhum país europeu voltou a desenvolver armas deste calibre.

Nos Estados Unidos no entanto o calibre foi adoptado nos anos 30 pelos navios da classe North Carolina, South Dakote e Iowa.

Também os japoneses utilizaram peças de calibre equivalente (410mm) nos couraçados do tipo super-dreadnought classe Nagato.




O calibre 16 (16 polegadas ou 406,4mm ) é o maior calibre utilizado em navios de guerra ocidentais.
Apenas alguns navios receberam peças de calibre superior e apenas uma classe de navios os utilzou.

Os britânicos tentaram construir navios armados com dois canhões de 18 polegadas (457mm) mas apenas um navio foi testado, o HMS Furious, tendo o projeto sido cancelado.
Os japoneses desenvolveram uma classe de couraçados armados com canhões de 460mm, a classe Yamato da qual apenas dois foram construidos.


 
   
---