Armas relacionadas:

88mm FlaK-36 L/56
Canhão anti-aéreo
88mm KwK Mod.36 L/56
Não aplicável
88mm KwK Mod.43 L/71
Canhão anti-tanque
88mm FlaK-41 L/74
Canhão anti-aéreo

Loading

88mm FlaK-36 L/56
Anti-tanque

Fabricante: Rheinmetal Defense
Função principal: Anti-tanqueCalibre: 88mm
Cadência de tiro: 15 disparos p/min.Alcance à superficie: 3Km
Alcance Anti aéreo: 8KmElevação máxima: 85º
Peso da munição: 19.6KgPeso do sistema: 0Kg
Nr. de canhões: 1Tripulação: 0

 

Países que utilizam este sistema: Espanha Nacionalista - III Reich / Alemanha -


O primeiro dos canhões anti-aéreos alemães de calibre 88 foi resultado de um pedido da Luftwaffe alemã para uma arma anti-aérea. A arma foi desenvolvida a partir de 1929 com base numa arma da Krupp+Erhardt também de calibre 88 desenhada durante a I guerra. O armamento era eficiente contra aeronaves e cedo se verificou que a potência da arma era ainda mais excepcional quanto utilizada em tiro directo contra alvos terrestres.

Aproveitando a possibilidade de desenvolver novos armamentos em colaboração com a Bofors sueca, os engenheiros alemães começaram a desenvolver a arma de 88mm e a efectuar testes na Alemanha em completo segredo.

O modelo original desenhado nos anos 20 e inicio dos anos 30, conhecido como FlaK-18 estava instalado numa plataforma com quatro braços em cruz, que por sua vez era transportada numa carreta de quatro rodas com dois dos braços recolhidos. O conjunto era puxado por um veículo tractor de artilharia do tipo meia-lagarta. O FlaK-18 era perfeitamente eficaz contra as aeronaves que estavam ao serviço durante os anos 30.

À primeira vista a arma alemã não era diferente dos seus equivalentes, como o canhão anti-aéreo de britânico de 94mm (3,7 polegadas), mas considerando as suas várias características a arma era revolucionária, porque fora concebida para poder ser construida numa linha de montagem. Qualquer fábrica de automoveis, poderia montar a arma com modificações relativamente reduzidas ao ferramental.

Entre as características inovadoras da arma estava o facto de o cano do «88» ser constituido por duas peças separadas. A «alma» central, podia ser substituida quando a arma atingia o número máximo de disparos. A culatra também utilizava um sistema inovador, que era operado de forma semi-automática, utilizando molas que accionavam o mecanismo de recarga e que eram por sua vez re-tensionadas com o disparo da arma. Isto permitia aumentar em muito a cadência de tiro.

O fabricante Krupp, desenvolveu uma intensa promoção da arma tanto junto da força aérea como do exército, para garantir que o modelo era aceite pelos dois ramos das forças armadas. Esta promoção ocorria já em 1932.
Quando em 1933 Hitler chegou ao poder na Alemanha, deixou de haver qualquer impedimento para que a arma fosse fabricada abertamente. Quando em 1934 Hitler declarou nulas as restrições impostas pelo Tratado de Versalhes e anunciou o rearmamento da Alemanha, o canhão de 88mm já se encontrava em produção.

A primeira grande prova da arma ocorreu durante a guerra civil de Espanha, para onde foi enviada uma força alemã conhecida como Legião Condor. Tratava-se essencialmente de uma força da Luftwaffe, pelo que a peça de 88mm também foi enviada para Espanha.

É em Espanha, que a arma se vai mostrar especialmente util, sendo aproveitadas as suas capacidades como arma anti-carro.
Ao contrário do que é genericamente afirmado pela comunicação social generalista, a República Espanhola, estava muito melhor armada que as forças dos rebeldes franquistas apoiados pelos nazistas alemães.
Recorrendo à União Soviética, a República Espanhola teve acesso a centenas de tanques e carros de combate blindados de origem soviética, que eram absolutamente superiores a tudo o que os alemães e os italianos dispunham.
As peças anti-tanque de infantaria de calibre 37mm era eficientes contra estes carros a certa distância, mas a arma definitiva quer contra veículos quer contra fortificações foi o canhão de 88mm.

Na imagem um dos 25 veículos produzidos com base no tractor de artilharia SdKfz-9 que foi utilizado para apoio das forças de infantaria. Pode-se afirmar que foi o primeiro caça-tanques alemão, embora se tratasse de uma arma tipicamente de artilharia, que não era do agrado dos especialistas de blindados como Guderian.
Na verdade o canhão de 88mm era eficiente contra praticamente qualquer veículo até 3000m de distância e podia disparar fogo de cobertura para proteger o avanço da infantaria (com munição explosiva) a distâncias de até 14800m.

Sistema auto-propulsado

A doutrina foi criada e imediatamente antes do inicio da II guerra mundial, a direcção de armamentos da Alemanha, fez um pedido para a construção de um pequeno numero (uma dezena) de viaturas de meia lagarta do tipo SdKfz-9, que receberam a arma FlaK-18. No inicio de 1940 foram encomendadas mais 15 unidades da arma nesta configuração (foto à esquerda).

Estes armamentos foram utilizados juntamente com os sistemas rebocados, tanto na Polónia em 1939 como na França em 1940. Eles foram especialmente importantes durante a operação contra a França, pois a blindagem de muitos dos carros de combate franceses e britânicos era imune aos pequenos canhões de 37mm que equipavam os carros de combate alemães.

Descrição genérica sobre este tipo de armamento:
A expressão «German 88» designou nos países de lingua inglesa, durante a II guerra mundial, aquele que foi provavelmente o mais famoso e mais eficiente dos canhões alemães em utilização durante aquele conflito.
Estas armas são conhecidas como FlaK, do alemão Flugabwherkanone.

Desenvolvimento secreto
Por causa das restrições que se seguiram à derrota alemã, muitas industrias resolveram mudar os seus centros de investigação para fora da Alemanha, onde podiam continuar o desenvolvimento de armas. Os alemães desenvolveram soluções de viaturas blindadas na Rússia e a Krup decidiu transferir os seus engenheiros para a Suécia, em colaboração com a industria de armamentos sueca Bofors, da qual a empresa alemã detinha cerca de 32% do capital.

Quando em meados nos anos 30 as autoridades militares alemãs solicitaram projectos para um canhão anti-aéreo móvel, o fabricante Krupp apresentou um modelo de 75mm que não foi considerado adequado.
A recusa, levará o fabricante a considerar o calibre 88mm, no que viria a ser o inicio de uma das armas de maior sucesso na Alemanha.

FlaK-18 / FlaK-36 / FlaK-37 - 88mm L/56
A primeira dessas armas foi o FlaK-18. Tratava-se de uma peça de artilharia anti-aérea transportada numa plataforma rebocada com quatro rodas, que eram removidas quando a arma era preparada para disparar.
A FlaK-18 foi pela primeira vez experimentada operacionalmente durante a guerra civil de Espanha.

Como modernização do FlaK-18 foi concebido o modelo FlaK-36, que dispunha de um suporte para transporte mais eficiente, com pneus duplos e que incluia um sistema desenhado pela Rheinmetal que possibilitava a substituição rápida do cano, no campo de batalha.
Uma derivação deste surgiu como FlaK-37, que foi concebido para tiro anti-aéreo mais preciso e não podia ser utilizado para tiro anti-carro. Estas armas tinham o mesmo cano, o mesmo sistema de disparo, elevação e munição.

O inicio da guerra


FlaK-41 - 88mm L/74
Quando começou a II guerra mundial, a altitude a que as aeronaves voavam, especialmente os bombardeiros, reduziu a eficácia dos modelos anteriores, com especial destaque para a capacidade de atacar os bombardeiros.
Tornou-se assim necessário desenvolver uma nova arma que conseguisse atingir alvos que voassem a altitudes superiores.

Essa arma, produzida pela Rheinmetall, apareceu em 1941 como FlaK-41. A arma mantinha o mesmo calibre, mas tinha um cano mais longo com um comprimento igual a 74 calibres

Armamento de tanques

Quando o primeiro modelo de 88mm foi concebido, os militares alemães já consideravam a possibilidade de ele ser utilizado para a função anti-carro e de facto a arma prestava-se a essa função.

O modelo de 88mm L/56 foi adaptado para aplicação no carro de combate pesado Tiger-I e foi também adaptado ao caça-tanques Ferdinand.

Já o modelo de 88mm L/74 também foi objecto de interesse especialmente para a sua instalação no carro de combate pesado Tiger-II e também no caça-tanques Jagdpanther e Hornise. No entanto a versão utilizada nos carros de combate tinha um cano ligeiramente mais curto com 71 calibres e ao invés de ter sido desenvolvida pela Rheinmetall, foi desenvolvida pela Krupp.


 
   
---