Armas relacionadas:

100mm Creusot-Loire m.53
Canhão naval
Creusot-Loire Mod. 1968
Canhão naval
Creusot-Loire Mod 1968 CADAM
Canhão naval
100mm Creusot-Loire Compact
Canhão naval

Loading

Torre Creusot-Loire Mod 1968 CADAM

Fabricante da torre: DCN - Naval
Função principal: Anti-navio Calibre da arma: 100mm
Cadência de tiro: 80 disparos p/min.Alcance máximo: 17Km (10.6Milhas)
Peso da munição: 14Kg Alcance Antiaéreo : 12.5Km
Peso da torre: 22000KgTripulação: 1
Numero de canhões do sistema:1 Elevação: 80

 

Sistema utilizado pelos seguintes navios:
Fragata Classe Floreal (França)
Fragata Classe Jiangkai-II (054A) (China popular)
Contra torpedeiro de defesa aérea Classe Luyang II (Type 052C) (China popular)
Fragata Classe Vasco da Gama (Portugal)


A principal característica do modelo 1968-CADAM é que deixou de necessitar de municiador. Além disso a cadência de tiro original foi igualmente aumentada para 80 disparos por minuto. Este modelo equipa as fragatas Vasco da Gama.

A peça pode ser controlada pelo director de tiro principal, director de tiro secundário, ou então localmente, através de um "joystick" colocado do lado esquerdo do canhão.

É completamente automatizada, embora tenha a possibilidade de operação local, por um tripulante.



Existe uma versão chinesa desta arma, fabricada sob licença na China e instalada a bordo de vários navios chineses.

Descrição genérica sobre este tipo de armamento:
Família de canhões navais franceses conhecidos também como Creussot-Loire. Existe em várias versões e está instalada em vários navios de guerra de várias marinhas. A torre dispõe de dois motores eléctricos, em corrente continua, um para rodar a torre e o outro para elevar o canhão. Porque se encontra normalmente colocada á proa, esta peça tem um sistema que a torna estanque, adicionando juntas e injectando ar comprimido na torre, de forma a impedir a entrada de água.

A peça pode ser controlada pelo director de tiro principal, director de tiro secundário, ou então localmente, através de um "joystick" colocado do lado esquerdo do canhão.

O futuro desta peça de artilharia, pode entretanto ter os seus dias contados nas marinhas dos países ocidentais.

O calibre de 100mm parece não ter grande futuro nas marinhas internacionais, aparentando vir a ser substituido por calibres menores, como o 76mm de tiro rápido em navios mais pequenos, ou então por peças mais potentes, como as de 122mm, e mesmo no futuro possíveis peças de 155mm de longo alcance, com munições especiais (de entre as quais se destacam as munições guiadas) que, pela sua precisão tornarão os actuais canhões obsoletos.

No entanto, a marinha da China mostrou interesse neste tipo de calibre, tendo produzido alguns navios equipados com este tipo de armamento.

Mais recentemente a marinha da Russia demonstrou algum interesse em produzir localmente o modelo de 100mm Compact para instalação a bordo de navios russos de menores dimensões.


 
   
---