Mísseis do mesmo tipo:
SS-27 / Topol-M
Míssil balistico intercontinental
SS-29 / RS-24 «Yars-M»
Míssil balistico intercontinental
SS-N-30 «Mace» / 3M14 «Bulava»
Míssil balistico intercontinental

Dados sobre países utilizadores:

SS-27 / Topol-M
Míssil balistico intercontinental


Fabricante: Soviet State Factories
Função principal: Arma estratégica
Alcance: 10500km
Precisão: 200m
Velocidade: 8000km/h
Tipo de ogiva : Nuclear
Potência = 3300kt
Peso da ogiva : 1200Kg.
Peso total: 47200KgComprimento: 22.7 M.
Diâmetro: 1900mmSistema orientação: Inercial + satélites GLONASS

 


O Topol-M, lançado a partir de silos ou a partir de um veículo de transporte do tipo MZKT, foi pela primeira vez testado em 1994, foi pensado para ultrapassar os problemas levantados pelos sistemas anti-míssil dos Estados Unidos.

Entre as suas características distintivas, está um primeiro estágio muito maior, e mais potente, que dá um impulso inicial ao míssil, muito maior que o do seu antecessor SS-25.

O Topol-M também tem uma nova ogiva e veículo de reentrada na atmosfera.
É neste último dispositivo que reside a grande novidade do míssil Topol-M.

Os mísseis soviéticos anteriores, descreviam uma trajectória balística, que permitia aos sistemas norte-americanos de detecção determinar a posição dos mísseis e prever com alguma precisão a sua trajectória final.
Já o Topol-M, dispõe de um veículo de reentrada na atmosfera, que é pré-programado e que no fim do seu trajecto balístico, pode dirigir-se para outro ponto, a centenas de quilometros de distância.

Relatórios internacionais afirmam que o Topol-M poderá transportar até seis veículos de reentrada, ou seja, seis ogivas nucleares.
Os mísseis também são mais resistentes e protegidos contra uma explosão nuclear de baixa potência, embora no caso de utilizarem esse tipo de protecção o numero de ogivas transportáveis seja de apenas uma.


O Topol-M é um míssil de tres estágios e propelente sólido. O seu alcance míimo é de 2.000km e ele tem uma precisão de aproximadamente 300m, que é permitida pela ligação de dados que o míssil estabelece com a estação de controlo, utilizando o sistema GLONASS para actualizar a sua posição.

A União Soviética tinha planos para produzir cerca de 350 Topol-M, mas o numero de unidades foi sendo reduzido. Presentemente os planos apontam para 69 unidades móveis.

Velocidade do sistema
Existem algumas dúvidas sobre a velocidade efectiva do sistema. O primeiro estágio aparentemente tem sido modificado, no sentido de aumentar a velocidade inicial do míssil. Embora não haja qualquer confirmação, os rumores apontam para velocidades entre 10.000 e em alguns casos 16.000 km/h. Este tipo de velocidades são possíveis, apenas fora da atmosfera.

O valor máximo da carga atribuido a este sistema parte do principio de que poderá existir uma versão do Topol armada com quatro MIRV de 550kt cada um. Tal possibilidade foi aventada no ocidente mas não confirmada por fontes russas.

O sucessor do SS-27, o SS-29 terá capacidade para três MITRV.

Informação genérica:
O míssil Topol, também conhecido como RS-12 começou a ser desenvolvido nos anos 80, embora não haja consenso sobre ecactamente quando isso ocorreu.
Existem fontes que colocam o desenvolvimento do Topol no inicio dos anos 80, nomeadamente em 1983, como resposta ao programa «Guerra das Estrelas» de Ronald Reagan, enquanto que outras fontes apontam o final dos anos 80, como data mais provável.

A primeira versão do sistema, conhecida apenas como Topol, entrou ao serviço em 1988. Recebeu a designação NATO SS-25 «Sickle» e era um sistema movel, com 20,5m de comprimento e um diametro de 1,8m, pesando 45100kg. Tansportava uma ogiva nuclear de 550kt.

Silo de um míssil Topol.

Inicialmente, os mísseis Topol-M, deveriam ser uma modernização e aprimoramento dos mísseis balísticos SS-25, mas o fim da União Soviética, não só atrasou o processo, como o transformou num projecto 100% russo.

Embora o programa tenha evoluido desde os anos 80 pensando na sua instalação em silos, desde 2002 que a Rússia iniciou um programa de adaptação do Topol a sistemas móveis de lançamento, que resultou no Topol-M.

Estão operacionais cerca de 50 unidades em silos e está previsto que os futuros mísseis construidos sejam na versão Topol-M, ou seja, utilizem apenas sistemas móveis de lançamento, abandonando os silos de lançamento que são considerados vulneráveis por parte das autoridades russas.

Além da versão lançada a partir de Silos «Topol» e da versão móvel «Topol-M», lançada a partir de um veículo terrestre, existe ainda uma versão lançada a partir de submarinos, que é conhecida como «Bulava»..


Existem informações multiplas sobre a capacidade dos mísseis Topol e Bulava. Qualquer dos dois poderá transportar até 6 ogivas, mas o Bulava é mais pequeno que o Topol. Os russos afirmam ter desenvolvido uma ogiva altamente manobravel de 150kt, que em principio tanto poderá ser instalada num sistema quanto noutro. Esse tipo de MIRV, terá capacidade para resistir aos raios laser, a uma explosão nuclear a mais de 500m, podendo tabém iludir os mísseis anti-missil americanos do tipo THAAD.
O primeiro teste deste veículo de reentrada foi feito em 2005.

Os mísseis Topol equipados com este tipo de MIRV serão aparentemente chamados de RS24, o que poderia implicar uma terceira versão do Topol, provisoriamente chamada SS-X-29.

   
---