Mísseis do mesmo tipo:
SS-27 / Topol-M
Míssil balistico intercontinental
SS-29 / RS-24 «Yars-M»
Míssil balistico intercontinental
SS-N-30 «Mace» / 3M14 «Bulava»
Míssil balistico intercontinental

Dados sobre países utilizadores:

SS-N-30 «Mace» / 3M14 «Bulava»
Míssil balistico intercontinental


Fabricante: Russian Federation Enterprises
Função principal: Arma estratégica
Alcance: 8000km
Precisão: 200m
Velocidade: Variável / discutido
Tipo de ogiva : Nuclear com multiplas ogivas
Potência = 900kt
Peso da ogiva : 1150Kg.
Peso total: 36800KgComprimento: 12 M.
Diâmetro: 1900mmSistema orientação: Inercial + satélites GLONASS

 

Unidades navais que utilizam este sistema


O míssil Bulava, é a versão do míssil Topol desenvolvida especificamente para ser disparada a partir de submarinos. O primeiro teste do sistema foi efectuado em 27 de Setembro de 2005, a partir de um submarino russo do tipo Typhoon da frota do Mar do Norte.

Os mísseis deste tipo, deverão ser disparados a partir dos futuros submarinos nucleares do tipo 955 «Borey» e embora inicialmente se esperasse que também os submarinos do tipo Akula (Typhoon), fossem modernizados para esta função, em 2007 várias notícias vindas a público na Rússia desmentiram essa modernização.

O Bulava, é mais pequeno que o «Topol-M» e por isso o seu alcance é menor. No entanto, embora com um alcance menor, ele pode ser lançado de submarinos russos que podem estar algures nos mares do mundo.

As informações sobre as características do sistema são difusas. A mais provavel no entanto é a de que a carga do Bulava, é idêntica à do Topol-M que é estimada em 550kt. Também poderão ser utilizados até seis veículos de reentrada (MIRV), mas a dimensão menor do Bulava, não parece permitir de forma realista a inclusão de seis ogivas de maior dimensão. Por isso, o Bulava pode ser equipado com 6 ogivas com uma potência de 150kt, embora haja fontes que apontam para a possibilidade de serem transportadas 10 ogivas. Estas ogivas de menores dimensões são alegadamente as mais sofisticadas já produzidas, tendo uma alta manobrabilidade.

Em teoria, o alcance com uma única ogiva será de 8,000km
Com seis ogivas o alcance estima-se em 6,000km
Se o sistema puder transportar 10 ogivas o seu alcance não poderá ultrapassar 4,000km.

Como os acordos entre os Estados Unidos e a Rússia limitaram o numero de ogivas por míssil a apenas 4, a carga efectiva do SS-N-30 deverá ficar em 550kt correspondentes a uma ogiva.

Ainda que a sua capacidade de destruição seja inferior, há alegações relativamente às capacidades dos veículos múltiplos de reentrada (ogivas) que podem tornar o Bulava num sistema dificil de detectar pelos sistemas anti-míssil.
O Bulava, é no entanto passivel de intercepção pelos veículos interceptores exoatmosféricos em desenvolvimento nos Estados Unidos.

A entrada em serviço dos mísseis «Bulava» implicou a retirada de serviço dos mísseis SS-N-20 (RSM-52) a bordo dos subarinos Typhoon, que foram desactivados.
No entanto têm ocorrido problemas com o desenvolvimento do sistema. Vários lançamentos falhados parecem ter atrasado a data de entrada em funcionamento do sistema Até ao final de 2009, o sistema ainda não tinha sido declarado operacional, nem havia prespectiva de quando isso poderia acontecer.

Velocidade do sistema
Existem algumas dúvidas sobre a velocidade efectiva do sistema, mas a dimensão mais pequena do Bulava, relativamente ao Topol de que é um derivado, torna a possibilidade de o míssil atingir as mesmas velocidades experimentais referidas para o Topol-M pouco provável. O Bulava, baseia a sua capacidade de atingir os alvos, num novo tipo de veículo de reentrada alegadamente capaz de iludir contra-medidas.


Vários lançamentos do Bulava têm enfrentado problemas. No final de 2008 um lançamento experimental não teve sucesso e outro lançamento em Julho de 2009 também acabou em fracasso, com o míssil a explodir a meio do percurso. No final de 2009, os problemas continuavam, com mais falhanços registados. Em Outubro de 2010, foi finalmente anunciado o primeiro lançamento com sucesso.

Em Setembro de 2013 foi no entanto anunciado que mais uma falha catastrófica num teste para aceitação do sistema Bulava levou ao adiamento do inicio do programa.
Todos os testes foram suspensos e os testes para a integração do sistema nos novos submarinos russos foram igualmente cancelados.
As autoridades russas afirmaram na altura que não têm um plano B e que não há alternativa a este míssil.

Informação genérica:
O míssil Topol, também conhecido como RS-12 começou a ser desenvolvido nos anos 80, embora não haja consenso sobre ecactamente quando isso ocorreu.
Existem fontes que colocam o desenvolvimento do Topol no inicio dos anos 80, nomeadamente em 1983, como resposta ao programa «Guerra das Estrelas» de Ronald Reagan, enquanto que outras fontes apontam o final dos anos 80, como data mais provável.

A primeira versão do sistema, conhecida apenas como Topol, entrou ao serviço em 1988. Recebeu a designação NATO SS-25 «Sickle» e era um sistema movel, com 20,5m de comprimento e um diametro de 1,8m, pesando 45100kg. Tansportava uma ogiva nuclear de 550kt.

Silo de um míssil Topol.

Inicialmente, os mísseis Topol-M, deveriam ser uma modernização e aprimoramento dos mísseis balísticos SS-25, mas o fim da União Soviética, não só atrasou o processo, como o transformou num projecto 100% russo.

Embora o programa tenha evoluido desde os anos 80 pensando na sua instalação em silos, desde 2002 que a Rússia iniciou um programa de adaptação do Topol a sistemas móveis de lançamento, que resultou no Topol-M.

Estão operacionais cerca de 50 unidades em silos e está previsto que os futuros mísseis construidos sejam na versão Topol-M, ou seja, utilizem apenas sistemas móveis de lançamento, abandonando os silos de lançamento que são considerados vulneráveis por parte das autoridades russas.

Além da versão lançada a partir de Silos «Topol» e da versão móvel «Topol-M», lançada a partir de um veículo terrestre, existe ainda uma versão lançada a partir de submarinos, que é conhecida como «Bulava»..


Existem informações multiplas sobre a capacidade dos mísseis Topol e Bulava. Qualquer dos dois poderá transportar até 6 ogivas, mas o Bulava é mais pequeno que o Topol. Os russos afirmam ter desenvolvido uma ogiva altamente manobravel de 150kt, que em principio tanto poderá ser instalada num sistema quanto noutro. Esse tipo de MIRV, terá capacidade para resistir aos raios laser, a uma explosão nuclear a mais de 500m, podendo tabém iludir os mísseis anti-missil americanos do tipo THAAD.
O primeiro teste deste veículo de reentrada foi feito em 2005.

Os mísseis Topol equipados com este tipo de MIRV serão aparentemente chamados de RS24, o que poderia implicar uma terceira versão do Topol, provisoriamente chamada SS-X-29.

   
---