Mísseis do mesmo tipo:
GBU-32 «JDAM»
Bomba guiada
GBU-39 «SDB»
Bomba guiada
GBU-53 (SDB-2)
Bomba especial

Dados sobre países utilizadores:

GBU-39 «SDB»
Bomba guiada


Fabricante: Boeing
Função principal: Ataque ao solo
Alcance: 100km Velocidade: Não disponível
Tipo de ogiva : AP (perfurante anti-bunker)Peso da ogiva : 23Kg.
Peso total: 113KgComprimento: 1.8 M.
Diâmetro: 195mmSistema orientação: GPS

 

Aeronaves que utilizam este sistema


Embora os técnicos militares norte-americanos tenham considerado a bomba Mk.83 de 250 libras (aprox. 113kg) insuficientemente poderosa para a aplicação dos kits JDAM, nunca deixaram de apreciar a vantagem que constitui a possibilidade de utilizar aquele tipo de bomba (relativamente leve, permitindo o seu transporte por aeronaves ligeiras). A Boeing iniciou um programa, destinado a produzir uma bomba guiada, com o mesmo peso, mas com características diferentes.
Ao contrário das JDAM, que são bombas comuns às quais é adaptado um kit que permite guiar a bomba, a GBU-39 é uma derivação, onde a bomba já inclui o sistema de navegação.

A GBU-39 é algumas vezes referida como míssil, mas na realidade não tem sistema de propulsão. Ela é lançada por aeronaves e abre as asas após o lançamento. Dependendo da altura de lançamento a bomba pode dirigir-se para alvos que estejam a até 100km de distância.

A GBU-39, foi designada como SDB (Small Diameter Bomb) ou bomba de pequeno diâmetro. As bombas GBU-39 / SDB têm o mesmo peso das Mk.83 mas um diâmetro menor. Elas são também mais compridas e esta característica permitiu adapta-las para utilização contra alvos fortificados «Bunkers»

Com este novo formato, uma aeronave ligeira pode transportar um projéctil com grande potência de destruição contra fortificações e aeronaves empenhadas na função de apoio aéreo aproximado, podem transportar um maior numero destes dispositivos.

As GBU-39 foram integradas inicialmente nos caças F-15E na sua função de caça-bombardeiro, estando prevista a utilização da arma nos F-22, F-35 e F-16 (a partir do block 30). Está também em estudo a futura integração destas bombas em aeronaves não tripuladas e nos bombardeiros B-52 e B-2. Este último, por exemplo, poderá transportar quase duzentas destas bombas de cada vez.

A cada bomba pode ser atribuído um alvo específico. Cada uma dirige-se para o objectivo utilizando para o efeito a ligação com o sistema GPS.
A utilização conjunta deste tipo de equipamento pode permitir a destruição de grandes áreas fortificadas, bases aéreas, centros fortificados de comando e controlo.

Grande capacidade num pequeno envelope
Com um peso pouco superior a 100kg, a bomba GBU-39, pelas suas características, perfil, sistema navegação e precisão tem tanto poder destrutivo contra alvos protegidos, quanto uma bomba de aproximadamente 900kg.

Comunicação após o lançamento
Está em estudo uma versão desta arma, que pode receber ordens alternativas para atingir um alvo, mesmo após o lançamento.

O objectivo é manter a bomba a voar durante tanto tempo quanto possível, até encontrar um alvo vantajoso. Esta capacidade é especialemente importante quando se espera que seja utilizada contra sistemas de defesa aérea com componentes móveis e dissimulados.

A arma pode perfurar 1.83m de cimento/concreto reforçado e pode perfurar 1 metro de cimento/concreto reforçado com aço.

O custo de cada unidade deverá ficar entre 53000 e 58000 Euros.

Informação genérica:
JDAM
Diagrama mostrando as partes constituintes do sistemat
Os sistemas JDAM, são kits de acessórios para aplicar na cauda de bombas de uso geral do tipo Mk.82 / Mk.84.

O objectivo do sistema, é permitir guiar uma «bomba burra» com uma grande precisão até um alvo que pode estar a uma distância de até 27Km.

As JDAM são uma solução muito mais economica que os sistemas Paveway e permitira à Boeing fazer concorrência à Raytheon.

Os sistemas JDAM ficaram mesmo por um preço inferior ao preço inicialmente previsto, e o conjunto da bomba e do sistema de orientação tem um custo na ordem dos €20,000.

A família JDAM é constituida pelos seguintes modelos, cada um com diferentes cargas bélicas:

GBU-29
GBU-30
GBU-31
GBU-32



GBU-39 (SDB) e GBU-53 (SDB-2)

Embora não relacionada com o projecto JDAM, a bomba GBU-39 utiliza uma tecnologia derivada e mais recente. A GBU-39 já não é apenas uma bomba comum com um kit de adaptação, mas sim um equipamento desenhado de raiz para operar como bomba guiada.

Uma versão mais recente da GBU-39 é a GBU-53, que dispõe de sensores mais precisos e que permitem ao míssil atacar alvos móveis. O míssil não é no entanto adequado para atacar blindados.



JDAM-ER

Estão em estudo em vários países extensões do sistema JDAM, destinadas a aumentar em muito o alcance deste tipo de dispositivos.
Entre eles encontra-se o projecto australiano conhecido como AIR-5425.
Consiste numa JDAM, modificada para conseguir atingir alvos a uma distância entre 55 a 70km

   
---