Mísseis do mesmo tipo:
No Dong B / Musudan
Míssil balistico médio / longo alcance
SS-N- 6 «Serb» / R27
Míssil balistico intercontinental
SS-N- 8 «Sawfly» / R-29U Mod.2
Míssil balistico intercontinental
SS-N-18 «Stingray» / RM50 «Volna» Mod.3
Míssil balistico intercontinental
SS-N-20 «Sturgeon» / 3M20
Míssil balistico intercontinental
SS-N-23 «Skiff» / RSM-54 / «Sineva»
Míssil balistico intercontinental

SS-N-23 «Skiff» / RSM-54 / «Sineva»
Míssil balistico intercontinental


Fabricante: Soviet State Factories
Função principal: Arma estratégica
Alcance: 8300km Velocidade: Variável / discutido
Tipo de ogiva : Nuclear com multiplas ogivas
Potência = 400kt
Peso da ogiva : 2800Kg.
Peso total: 40300KgComprimento: 14.8 M.
Diâmetro: 1900mmSistema orientação: Inercial

 

Unidades navais que utilizam este sistema


O SS-N-23 é um míssil balístico intercontinental desenvolvido nos anos 80. Ele possui três estágios e é movido a combustível líquido.
Ao utilizar combustível líquido e a utilizar três estágios em vez de apenas dois o míssil marcou modificações profundas na visão soviética sobre as concepção de dos mísseis balísticos.
O desenvolvimento deste sistema, tão pouco tempo após o lançamento do SS-N-18 e do SS-N-20 esteve alegadamente relacionado com a insatisfação das autoridades militares da União Soviética com as prestações daqueles sistemas.

Outra das diferenças significativas reside no facto de o SS-N-23 transportar apenas quatro ogivas nucleares de 100kt contra dez no modelo anterior, o SS-N-20.
No entanto, o míssil foi inicialmente concebido para transportar 10 ogivas. A redução foi decorrente da redução acordada com os Estados Unidos

Desenvolvido já nos anos 80 o sistema foi instalado a bordo dos submarinos balísticos do tipo Delta-IV, ainda que existam notícias que afirmam que alguns dos navios do tipo Delta-III foram modificados para receber este novo tipo de míssil.

Com a retirada de serviço activo da maioria dos mísseis SS-N-18, o SS-N-23 é o principal míssil balistico lançado de submarinos ao serviço da Rússia.
Uma versão melhorada deste míssil começou a ser estudada após o falhanço do míssil SS-N-28.

SINEVA
O SS-N-23 foi alvo de um processo de modernização que foi baptizado de «Sineva».
Esse processo foi resultado do falhanço do projecto do míssil SS-N-28, que despoletou um programa de emergência para evitar que a Rússia ficasse numa situação complicada do ponto de vista estratégico, com o fim de vida dos mísseis SS-N-20.

Os SS-N-23 «Sineva» diferenciam-se dos modelos anteriores por possuirem capacidade para transportar 10 ogivas em vez de 4.
O míssil mantém os três estágios e um alcance máximo de 8300km.

Informação genérica:
Desde que começaram a ser introduzidos os mísseis balísticos nos arsenais dos Estados Unidos e da União Soviética, que a instalação desses sistemas a bordo de submarinos se tornou uma necessidade.

Do lado soviético, foi desenvolvida uma família de sistemas de mísseis balísticos lançados a partir de submarinos, que evoluiu à medida que evoluiam os sistemas lançadores. Os mísseis deste tipo produzidos pela União Soviética dividem-se da seguinte forma:

Mísseis de dois estágios e combustível sólido

SS-N-8 - Primeira linha de mísseis soviéticos
SS-N-18 - Uma modificação ou modernização do SS-N-8
SS-N-20 - Aumento da capacidade dos SS-N-18 para 10 ogivas

Mísseis de três estágios e combustível líquido

SS-N-23 - Nova família de mísseis que reduziu o numero de ogivas para quatro e passou a utilizar combustível líquido.

SS-NX-28 - Projecto de míssil balístico destinado a substituir o SS-N-20, abandonado após falha catastrófica.

SS-NX-30 «Bulava» - Versão do míssil Topol em desenvolvimento, que dispões de seis ogivas (algumas fontes afirmam serem até 10)



No-Dong B
A Coreia do Norte desenvolveu a partir de 1995 o que parece ser uma versão derivada e melhorada do míssil balístico R-27 (SS-N-6) soviético, conhecido como No-Dong B.
O sistema norte-coreano está instalado em viaturas sobre rodas.

   
---