Mísseis do mesmo tipo:
AIM-120B AMRAAM
Missil ar-ar médio/longo alcance
AIM-120C AMRAAM
Missil ar-ar médio/longo alcance
AIM-120D AMRAAM
Missil ar-ar médio/longo alcance
AIM-120SL - AMRAAM
Missil ar-ar médio/longo alcance

AIM-120D AMRAAM
Missil ar-ar médio/longo alcance


Fabricante: Raytheon Systems
Função principal: Missil ar-ar de longo alcance
Alcance: 120km Velocidade: 4500km/h
Tipo de ogiva : Alto Explosivo / pre fragmentadaPeso da ogiva : 21Kg.
Peso total: 157KgComprimento: 3.66 M.
Diâmetro: 158mmSistema orientação: GPS + Datalink

 

Aeronaves que utilizam este sistema


O AIM-120D é um equipamento ainda em fase experimental

O AIM-120D, anteriormente conhecido apenas como míssil experimental AIM-120C-8, é diferente do modelo C, principalmente pela inclusão de capacidade para utilização do sistema GPS. De resto, o AIM-120D parece ser relativamente idêntico ao AIM-120C-5.

Ele terá um alcance aproximado de 120Km, (o dobro do alcance do AIM-120B) e uma capacidade idêntica no que respeita às dimensões da ogiva.

O AIM-120D, é o míssil de longo alcance que equipará o caça americano F-22 Raptor. As suas novas capacidades, especialmente a sua utilização do GPS e a possibilidade de comunicar com o avião lançador, dão-lhe várias vantagens tacticas.

Um dos problemas dos aviões «ditos» invisíveis, é o de tornarem a sua presença conhecida logo que lançam os seus mísseis. Com o AIM-120D, será possível a um F-22 Raptor lançar o míssil a uma altitude mínima, sendo que este. Se dirige ao alvo, rasando o solo, e aproveitando a sua capacidade de reconhecer o terreno em que se encontra.

O míssil só se dirige directamente contra o alvo, quando está já muito próximo, não permitindo assim a detecção do F-22, baseada na análise do seu trajecto.

Informação genérica:
O míssil AIM-120 AMRAAM (Advanced Medium-Range Air-to-Air Missile), ou míssil ar-ar de médio alcance avançado (o que implica que é disparado desde um avião, com o objectivo de destruir outro avião) é um míssil de longo alcance de última geração, de interceptação aérea. É guiado por radar activo, tem velocidade supersónica e possui a capacidade de operar com qualquer tempo, tanto de dia como de noite.

O seu projecto iniciou-se em 1975 com o objectivo da substituição do míssil AIM-7 Sparrow, que já apresentava grandes falhas. Ao longo do projecto e programa, houve vários problemas técnicos, políticos e custos, que juntamente com os atrasos levaram quase ao seu cancelamento, mas em 1991 US Navy recebe o seu míssil AIM-120A AMRAAM, sendo a produção normal iniciada em Abril 1992. Ao longo dos tempos foram sendo desenvolvidas versões mais modernas do míssil tais como AIM-120 B/C

O AIM-120 pode ser disparado de vários modos, tais como: “ Dispara-e-esqueça ”; “ LRI – Long Range Interceptation ”; “ LOBL – Lock-on Before Launch ”..

No modo “dispara-e-esqueça” o míssil domina o alvo através do radar do avião que o dispara e no momento do lançamento, passa a ser controlado pelas ordens enviadas a partir do avião. Durante a fase intermédia do voo o míssil passa para um sistema de navegação por inércia, ou seja, o seu computador de bordo calcula o ponto de intercepção com base na rota e velocidade do alvo e como se trata de um sistema passivo o míssil fica imune as contra medidas do alvo. Quando o míssil atinge o ponto previsto para a intercepção, o seu radar é accionado e dirige o mesmo para o alvo, podendo o radar variar o seu comprimento de onda e a frequência dos impulsos para enganar as interferências dos aviões inimigos. Com a aproximação ao alvo uma espoleta de laser-radar explode a ogiva, que espalha um círculo de fragmentos.

No modo LRI Long Range Interception o míssil actualiza os dados do ponto futuro onde deve ligar o radar, usando para esse efeito um datalink, estando a antena montada na traseira.

No modo LOBL Lock-on Before Launch o míssil adquire o alvo antes do disparo

O míssil tem também a capacidade Look-down e Shoot-down, podendo ser disparado contra alvos múltiplos.

Este míssil revolucionou o combate ar-ar, pois conjuga as melhores características para o combate: velocidade, maneabilidade, alcance e precisão. Para poder conjugar estas características, o míssil tem um sistema triplo de orientação. Assim sendo, este míssil é suficientemente ágil para o combate a curta distância, mas também preciso para lá do campo visual, o AMRAAM é o mais mortífero míssil em serviço no ocidente sendo utilizado por vários países do Mundo.

Este míssil também é utilizado em sistemas superfície-ar (SAM) tais como: NASAMS de origem Norueguesa, CLAWS e JLENS ambos de origem Americana.

Autoria: Humberto Cardoso

   
---