Dados sobre países utilizadores:


Listar veículos do tipo
Veículo de Combate de Infantaria

Veículos idênticos ou relacionados:


BOXER / AMB
Viatura táctica pesada

Boxer / APC
Veículo de Combate de Infantaria

 

Notícias relacionadas
Alemães estudam mais um modelo de veículo blindado
Boxer versus Freccia

Boxer / APC
Veículo de Combate de Infantaria (KMW Kraus-Maffei Wegmann)
Boxer / APC

Projeto: KMW Kraus-Maffei Wegmann
Alemanha
Dimensões
Comprimento
Comprimento máximo
Largura
Altura
Altura máxima
7.88
n/disponivel
2.99m
2.37M
Peso vazio
Peso / combate
Cap. Carga
Reboque
25t
33t
8000Kg
N/disponivel
Motor / potência / capacidades
Motor
Potência
Vel. maxima
Terr. Irregular
MTU
710cv
103 Km/h
40 Km/h
Tração
Tanque combustivel
Autonomia
Tripulação
Oito rodas motrizes
N/disponível
1050Km
2+9
60º
30º
0.8M
2M
1.2M

Armamento básico
- 1 x 30mm E-8 (Calibre: 30mm - Alcance estimado de 0.1Km a 2.5Km)
Sistema de radar auxiliar:


Forum de discussão

A versão APC pedida pelo exército alemão, será a mais numerosa das versões, independentemente de possivelmente virem a existir outras versões futuras.

A versão APC está equipada com um torre equipada com um lança-granadas de 40mm. A versão holandesa estará equipada com uma torre equipada com uma metralhadora 12,7mm.

O reduzido armamento deve-se ao tipo de função que os Boxer deverão desempenhar.

Os alemães pretendem utilizar o Boxer em versão ambulância (72 veículos), viatura de comando e viatura de engenharia. Os holandeses pretendem utiliza-lo como ambulância, viatura de comando, viatura de engenharia e em outras duas versões de transporte.

Informação genérica:
O projecto MRAV (Multi Role Armoured Vehicle) começou a ser negociado em 1999 como futuro veículo blindado multi usos.

Ele seria uma plataforma base, configurável e destinada a substituir vários veículos no exército alemão, como o M-113 e o FUCHS.

No seguimento do contrato inicial, a Holanda aderiu ao projecto, mas a Grã Bretanha desistiu dele, alegando que o MRAV, posteriormente conhecido como BOXER, era demasiado grande para as necessidades britânicas, que previam a necessidade de um veículo que pudesse ser facilmente transportado por via aérea.

O programa desenvolveu-se lentamente, mas finalmente em 2006, a Holanda e a Alemanha apresentaram as suas encomendas (200 para a Holanda e 272 para a Alemanha).

A grande vantagem apresentada pelo fabricante é a modularidade do veículo. Mas a vantagem de se poder trocar um módulo por outro, é presentemente vista como pouco prática em termos de situações reais de combate.

Outro ponto forte do blindado, é a sua blindagem, mais eficiente e mais pesada que a de veículos congéneres.

Os custos do Boxer são a sua principal desvantagem. Embora seja o mais pesado dos novos veículos blindados sobre rodas europeus, ele será também o mais caro. Ao preço, o Boxer tem relativamente pouco para contrapor. Os sistemas de armas previstos, são idênticos aos que se prevê instalar em veículos mais ligeiros.

Não estão para já previstas versões equipadas com armamento mais pesado que 12,7mm para os veículos holandeses e uma torre com um lança-granadas de 40mm para os veículos alemães.
NOTA:
O Boxer é na realidade fabricado por um conórcio chamado ARTEC, e que é uma empresa participada pela KMW alemã e pela STORK-Fokker holandesa, sendo esta última responsável pelo fabrico dos veículos para o exército holandês.