Dados sobre países utilizadores:


Listar veículos do tipo
Sistema lançador de foguetes de artilharia

Veículos idênticos ou relacionados:


BM-13-16
Sistema lançador de foguetes de artilharia

BM-21 «Grad»
Sistema lançador de foguetes de artilharia

BM-27 «Uragan» 9P140
Sistema lançador de foguetes de artilharia

 

Acontecimentos relacionados
Batalha de Smolensk

BM-13-16
Sistema lançador de foguetes de artilharia (Soviet State Factories)
BM-13-16

Projeto: Soviet State Factories
União Soviética
Dimensões
Comprimento
Comprimento máximo
Largura
Altura
Altura máxima
10.7
n/disponivel
2.23m
2.7M
Peso vazio
Peso / combate
Cap. Carga
Reboque
4.12t
4.85t
N/disponivel
N/disponivel
Motor / potência / capacidades
Motor
Potência
Vel. maxima
Terr. Irregular
Studebaker
110cv
50 Km/h
20 Km/h
Tração
Tanque combustivel
Autonomia
Tripulação
Seis rodas (quatro motrizes)
150 Litros
390Km
3
50º
20º
0.7M
0M
0.5M

Misseis / foguetes de artilharia
Sistema de radar auxiliar:


Forum de discussão

O BM-13 é o Katyusha original, embora muitos outros sistemas que são ou derivados ou inspirados nele, também recebam o nome de Katiusha.

A arma começou a ser desenvolvida nos anos 30 e as primeiras unidades ficaram operacionais em 1933, no entanto a arma era considerada altamente secreta e a sua primeira utilização operacional só se deu durante a batalha de Smolensk, a primeira ofensiva soviética contra os alemães, cerca de duas semanas depois da invasão da URSS. Estavam disponíveis apenas 40 sistemas BM-13, sete dos quais foram utilizadas em Orsha durante a batalha de Smolensk, onde naturalmente pelo seu pequeno numero não tiveram qualquer impacto na batalha.

De facto, a arma era tão secreta que os próprios militares russos que não a conheciam fugiram tomados de pânico por causa do ruido que a arma fazia ao ser disparada, resultante dos motores de foguete que a propeliam.

Cada calha do sistema tinha 4,88M de comprimento e podia ser elevada a 45 graus permitindo disparar o foguete a uma distância de 8500 metros. Também podia mover-se lateralmente de 10 a 20 graus, consoante o tipo de plataforma utilizada.

O foguete com calibre 132mm movia-se a uma velocidade de 355 metros por segundo e a ogiva pesava 18,5Kg, a que se juntava o peso do combustível (cerca de 7Kg). O peso total do foguete rondava 30Kg.

Além do foguete de 132mm, havia um de 82mm, modelo M-8

O sistema de pontaria era básico, utilizando um morteiro e os veículos contavam ainda com dois macacos hidraulicos que permitiam estabilizar o veículo.

Informação genérica:
O sistema geralmente conhecido como Katiusha, ou «pequena Catarina» foi desenvolvido a partir de 1933, embora só em 1938 tenha recebido autorização para finalizar o projecto, depois de os sovieticos terem tido conhecimento do desenvolvimento do Nebewerfer por parte dos alemães. O Katyusha era constituido por 8 calhas de lançamento para 14 foguetes de 132mm. O sistema era montado num camião comercial ZIS-5 e posteriormente ZIS-6 de fabrico local quando se verificou que o modelo anterior não era suficientemente estável.

Depois da entrada dos Estados Unidos na guerra, milhares de veículos da Studebaker foram utilizados como base para os Katyusha.

Naturalmente a União Soviética, foi o primeiro país a utilizar os lançadores multiplos de foguetes, durante a segunda guerra mundial. A sua primeira utilização operacional, ocorreu em Smolensk, em 1941, durante a investida alemã contra a União Soviética. A este sistema, a URSS deu o nome de Katiusha, ao qual os soldados soviéticos deram o nome de "orgãos de Estaline".

O sistema evoluiu ao longo da guerra e posteriormente, com a adição de novos modelos derivados, mantendo no entando a mesma filosofia de utilização.

Ainda durante a guerra foi introduzido o BM-8 de curto alcance e o M-30 de longo alcance.

O BM-21, o mais conhecido sistema de foguetes de artilharia foi o desenvolvimento seguinte, com a colocação de um total de 40 tubos de lançamento numa plataforma rotativa, em cima de um camião do tipo URAL.

No inicio dos anos 70, também a então Checoslováquia lançou a sua versão deste tipo de arma, com o sistema RM-70. Embora o dispositivo de lançamento com 40 tubos seja idêntico ao sistema soviético, a colocação em cima de plataforma TATRA (mais longa) permitiu a inclusão de um sistema automatico de carregamento.

O sistema BM-27 que entrou ao serviço nos anos 70, ainda tinha a mesma aplicação táctica, embora já se tratasse de um sistema muito modificado e melhorado.

Uma outra e mais recente derivação, chama-se BM-30 ou «Smerch», também foi copiado pela China.