Dados sobre países utilizadores:


Listar veículos do tipo
Carro de combate médio

Veículos idênticos ou relacionados:


AMX-30 (B2)
Carro de combate médio

GCT - 155mm
Artilharia Auto propulsada

AUF-2
Artilharia Auto propulsada

 

Acontecimentos relacionados
Combates de Khafji

Notícias relacionadas
Equador e Colômbia cortam relações diplomáticas
Tanques venezuelanos em movimento
Venezuela será primeiro cliente do «SPRUT» russo

AMX-30 (B2)
Carro de combate médio (Giat Industries / NEXTER)
AMX-30 (B2)

Projeto: Giat Industries / NEXTER
França
Dimensões
Comprimento
Comprimento máximo
Largura
Altura
Altura máxima
6.59
9.48m
3.1m
2.86M
Peso vazio
Peso / combate
Cap. Carga
Reboque
34t
35.941t
N/disponivel
N/disponivel
Motor / potência / capacidades
Motor
Potência
Vel. maxima
Terr. Irregular
Hispano-Suiza 12V Diesel
720cv
65 Km/h
30 Km/h
Tração
Tanque combustivel
Autonomia
Tripulação
Lagartas
970 Litros
550Km
4
60º
30º
1.3M
2.9M
0.93M

Armamento básico
- 1 x 105mm CN105 F1/G1 (Calibre: 105mm - Alcance estimado de 0.1Km a 2Km)
Sistema de radar auxiliar:

País: Espanha
Designação Local:AMX-30
Qtd: Máx:300 - Qtd. em serviço:0
Situação: Retirado
Operacionalidade:
Os AMX-30 espanhóis foram retirados de serviçono final dos anos 90, com a incorporação de carros de combate M-60 e Leopard-IIA4. A Espanha tentou vender parte dos seus AMX-30 à Colombia, mas o estado dos veículos foi considerado insuficiente, além de que o governo da Venezuela demonstrou pouco à vontade com a aquisição.

O governo espanhol decidiu cancelar a venda e os AMX-30 deixaram de estar ao serviço, estando na situação de armazenados e não operacionais.


Forum de discussão

O AMX-30 foi o tanque que os franceses escolheram para substituir o M-47 como prinicipal tanque do exército francês de pois da II Guerra Mundial.
Dado não pertencer à estrutura da NATO, a França decidiu seguir uma politica de armamento autónoma, o que levou o país a desenvolver a sua própria linha de equipamentos militares.

Os franceses começaram a estudar o seu tanque pós II Guerra, imediatamente a seguir ao fim do conflito e um dos veículos mais interessantes nesse periodo foi uma versão fabricada em França do tanque Panther alemão, equipado com um canhão francês de 75mm que por sua vez também era uma derivação do canhão de 75mm que equipava aquele tanque alemão.

O desenvolvimento culminou já no inicio dos anos 60 com o AMX que incorporava todos os desenvolvimentos franceses com carros de combate leves como o AMX-13 ou o Panhard EBR.

A opção pelo armamento principal, foi no entanto ditada pela necessidade de dispor de um mínimo de elementos comuns nomeadamente munições, com os restantes países da Europa , que tinham optado pelo canhão de 105mm, tanto nos tanques M-48/M-60 como no Leopard-I alemão e no Centurion britânico.

A principal vantagem do AMX-30 é o seu tamanho e peso relativamente pequeno, em contrapartida vários problemas foram sendo detectados ao longo do seu periodo de vida operacional. A transmissão apresentou vários problemas nunca resolvidos e a fraca blindagem do AMX-30 acabou por relegar o tanque para uma posição secundária em termos de carros de combate europeus.

Informação genérica:
O carro de combate AMX-30 foi desenvolvido na França no inicio dos anos 50, com o objectivo de garantir a independência da França em termos de armamentos. Ele substituiu essencialmente os carros de combate M-47 ao serviço do exército francês.

AMX-30B2 - Versão modernizada, com novos sistemas electrónicos e de controlo de tiro.

AMX-40 - Versão do AMX-30 equipada com peça principal de 120mm que foi um produto colocado no mercado entre o fim de produção do AMX-30 e do carro de combate Leclerc. O modelo não teve clientes.



Foram desenvolvidos sistemas de artilharia autopropulsada com base no AMX-30, a saber:

GCT - O chassis do AMX-30 foi utilizado como plataforma para o sistema de artilharia auto-propulsada GCT que entrou ao serviço no inicio dos anos 80.

AUF-1 - Modernização dos sistema GCT proposta no final dos anos 90, que inclui não só electrónica mais avançada, como uma torre redesenhada que pode ser instalada em chassis diferentes do AMX-30

AUF-2 - Idêntico ao AUF-1, mas com a instalação de uma nova arma principal de cano longo (L/52) com maior alcance. A versão AUF-1 modernizada chama-se AUF-1TA.