Dados sobre países utilizadores:


Listar veículos do tipo
Carro de combate médio

Veículos idênticos ou relacionados:


Char D1
Carro de combate leve

Char D2
Carro de combate médio

S-35
Carro de combate médio

 

Acontecimentos relacionados
Blitzkrieg a ocidente
Queda da França

S-35
Carro de combate médio (Somua)
S-35

Projeto: Somua
França
Dimensões
Comprimento
Comprimento máximo
Largura
Altura
Altura máxima
5.46
n/disponivel
2.108m
2.692M
Peso vazio
Peso / combate
Cap. Carga
Reboque
18t
20.48t
N/disponivel
N/disponivel
Motor / potência / capacidades
Motor
Potência
Vel. maxima
Terr. Irregular
Somua 8V
190cv
37 Km/h
15 Km/h
Tração
Tanque combustivel
Autonomia
Tripulação
Lagartas
N/disponível
257Km
3
35º
30º
N/disponivel
2.336M
0.508M

Armamento básico
- 1 x 47mm L/34 SA35 (Calibre: 47mm - Alcance estimado de 0.285Km a 1.5Km)
Sistema de radar auxiliar:

País: III Reich / Alemanha
Designação Local:PzKpfw 35C 739 (f)
Qtd: Máx:300 - Qtd. em serviço:0
Situação: Retirado
Operacionalidade:
Somua S-35
Um S-35 adaptado para utilização pelos alemães após 1940
Os alemães reconheceram muitas das qualidades do S-35 e adaptaram-no para utilização pelas suas forças de ocupação e para segurança interna além de ter sido utilizado para treino de tripulações.

Parte dos S-35 foram modificados para utilização como veículo de comando e chegaram mesmo a ser utilizados por unidades alemãs na frente leste.

Ainda havia veículos S-35 ao serviço quando em 1944 os aliados atacaram a normandia.


Forum de discussão

O projecto de construção do S-35 remonta ao inicio dos anos 30 em que o exército francês emitiu uma especificação para uma autometralhadora pesada.
A especificação foi aceite e foi posteriormente decidido que o veículo seria construido como tanque médio padrão do exército da França.

Ele foi baptizado como Char S-35 e a sua construção começou em 1935 e continuou até à queda da França na primavera de 1940.
Foram produzidos 396 exemplares até 10 de Maio de 1940, 19 entre 10 e 30 da Maio e mais 12 unidades em Junho, totalizando 427.

O melhor carro de combate da fase inicial da guerra

Uma das curiosidades que se deve referir relativamente a este veículo, tem a ver com o facto de que do ponto de vista do armamento e da blindagem, ele é claramente superior a qualquer tanque alemão da mesma época.

A blindagem frontal (e da torre) que no S-35 atingia os 56mm era largamente superior à blindagem de 15mm do Panzer-III, que era o carro de combate que os alemães tinham para atacar os tanques inimigos. Para piorar as coisas, o carro de combate alemão tinham um canhão anti-carro de 37mm, idêntico ao canhão anti-carro distribuído à infantaria alemã, que era ineficaz contra a blindagem dos carros franceses.
Apenas o PzKpfw-IV com canhão de 75mm para apoio de infantaria estava melhor armado mas o canhão de 75mm alemão não era eficiente contra os carros franceses.

Onde se notava uma diferença significativa entre os carros de combate alemães e franceses era nos motores. Para começar, os motores alemães tinham mais potência e a velocidade dos carros alemães era por isso superior.

Em termos gerais, a mecânica dos carros franceses, nomeadamente do S-35 não era muito fiável, e as viaturas sofriam um considerável nível de avarias. No entanto, também há quem afirme que os problemas mecânicos dos carros franceses não eram muito diferentes dos problemas alemães.
Como os franceses estavam a retirar, quando uma viatura avariava ela era invariavelmente abandonada. Já os alemães estavam a avançar, pelo que uma viatura avariada podia ser reparada, o que aconteceu inumeras vezes.

Por isso, o único problema que é unanimemente considerado como determinante, é o facto de os carros de combate franceses terem uma torre com um só homem, que é ao mesmo tempo comandante do veículo e operador da principal arma.
Assim, o comandante tinha que servir ao mesmo tempo como apontador, municiador e artilheiro. Isto fazia com que o veículo não pudesse ser comandado eficientemente e reduzia muito a sua eficácia.

Igualmente grave, é a falta de meios eficazes de comunicação, que tinham sido profusamente distribuidos aos alemães, mas que eram poucos entre os franceses, que continuavam a preferir sistemas de comunicação visuais.

Em 1940, já com a França em guerra, foi iniciada a produção de um substituto do S-35, o S-40, com um motor de 220cv e uma nova suspensão, mas o inicio da guerra e a derrota da França levaram ao cancelamento do projecto.



Informação genérica:
A França desenvolveu vários carros de combate durante a I guerra mundial e no periodo entre-guerras, desenvolveu alguns carros de combate que inicialmente foram concebidos como pesados e que foram reclassificados como médios.

Dois modelos se destacam pelos números produzidos.

O primeiro é o Char D2, um carro desenvolvido com base no D1 muito mais ligeiro (e que tinha sido pensado para substituir o FT-17 da I guerra). Fabricado pela Renault, ele faz lembrar em alguns aspectos o tanque médio britânico Mark II medium.
A dedicou-se posteriormente a desenvolver uma versão maior do D1 que viria a ser o char B1.

O outro carro de combate médio francês é o carro S35 desenvolvido pela Somua.

Em termos gerais, contráriamente ao que se tornou lugar comum, os carros de combate franceses eram superiores aos alemães em armamento e em blindagem.

O número de carros médios de que os alemães dispunham contra os franceses era mínimo e apenas alguns carros alemães estavam equipados com peças de 50mm.

Todos os veículos alemães que foram utilizados na invasão da França em 1940, tinham equivalentes franceses em maior quantidade, com melhor blindagem e melhor armamento.

Como se pode verificar pelas datas, os militares franceses tinham desenvolvido carros de combate médios em 1932, que em 1940 ainda eram superiores aos que os alemães enviaram contra a França.